segunda-feira, janeiro 19, 2009

Os porquês


A propósito da morte, naturalmente lamentável, de um jovem morador num bairro social da Amadora atingido a tiro por um policia andou a nossa comunicação social alvoroçada nos ultimos dias.
Criando até, vá-se lá saber porquê, eventuais semelhanças com acontecimentos recentes em França e na Grécia que levaram a violentos e duradouros confrontos entre manifestantes e autoridades.
Por cá, e sabe-se como as "novidades" importadas demoram sempre um pouco a chegar, também foi tentado reeditar esses actos de vandalismo mascarados de convulsões sociais através de uma manifestação marcada para em frente a uma esquadra de policia da zona.
Percebia-se o objectivo.
Felizmente os "foliões" que apareceram eram poucos e embora de caras tapadas (curiosa esta necessidade de não serem identificados) não passaram de umas quase inofensivas imitações
dos delinquentes que as televisões nos metem pela casa dentro de quando em vez.
Tenho lido um pouco sobre o assunto, visto na televisão entrevistas com familia e amigos a exigirem justiça e a prisão do policia , todo um conjunto de explicações para o sucedido.
Claro que deve haver uma investigação rigorosa e a eventual punição do agente se se comprovar que exorbitou nas suas funções.
O que ainda ninguém explicou,a começar pela familia, foi o que fazia um miudo de 14 anos altas horas da madrugada,dentro de um carro roubado na companhia de três cadastrados.
E, pelos vistos, armado !
A hora em que devia,isso sim,estar em casa a dormir.
E essa explicação gostava eu ter.
Porque não justificando o que aconteceu provavelmente ajudará a entender o contexto.
Deste e doutros incidentes do género.
Depois Falamos

3 comentários:

João Carvalho disse...

Assino por baixo. Totalmente de acordo.

Pantic disse...

É o país que temos, é sempre assim, seja no futebol, política, sociedade e etc, a comunicação social só pensa em chocar para vender, a maior parte das nossas chefias jornalísticas, porque eles é que decidem o que "falar", é de muito baixo nível.

Luis Melo disse...

Gostei mesmo dos "amigos" numa manifestação anti-violência... que acabou em violência...