sábado, maio 02, 2015

O Nosso 14

Fazer três pontos neste jogo quase garantia a Europa.
É certo que o Estoril está longe de ter uma equipa tão boa como em anos anteriores mas esta segunda volta tem mostrado que para vir buscar pontos ao nosso estádio não é preciso ter nenhuma equipa deslumbrante.
Que o digam Gil Vicente, Setúbal ou Belenenses.
Mas o Vitória não falhou e por isso, misturando uma boa primeira parte com uma etapa complementar "sonolenta", conseguiu o objectivo.
Individualmente:
Douglas: Muito bem. No pouco que teve para fazer fez bem feito. E evitou um ou dois golos que pareciam certos nos poucos ataques estorilistas com perigo.
Bruno Gaspar: Bela exibição. Sem grandes problemas a defender e subindo muitas vezes pelo seu flanco em lances de envolvência atacante. Oxalá possa continuar por cá na próxima época.
Josué: Mesmo "mascarado" foi fácil reconhecer a classe com que actua. Um bom regresso e que podia ter tido uma "cereja" em cima do bolo se o árbitro mão lhe tivesse anulado um golo.
Moreno:Outra excelente exibição do capitão vimaranense. Bem a defender e bem a empurrar a equipa para a frente especialmente no segundo tempo quando percebeu o "adormecimento" colectivo.
Luís Rocha: Um bom jogo do lateral vitoriano. Bem a defender e oportuno a integrar-se no ataque. Custa a perceber como se demorou três meses a compreender que era a solução para a saída de Traoré.
Cafu: Em excelente forma acaba os 90 minutos dando a sensação de que está pronto para mais 90. É o "sucessor" natural de Flávio Meireles (até no número) e será mais dia menos dia o capitão de equipa.
André: Um bom jogo do médio vitoriano. Bem nas tarefas defensivas e muito esclarecido a distribuir jogo.
Bernard: A assistência para o primeiro golo de Valente foi o seu melhor momento. Teve outras jogadas em que mostrou a inegável classe a par do "desespero" que é vê-lo esbarrar livres atrás de livres nas barreiras. Numa equipa que conta com outros jogadores com aptidão para baterem esses lances (Moreno,Cafu, Luís Rocha) é incompreensível a insistência nele.
Sami: Mais uma oportunidade dada e mais uma oportunidade perdida. Apenas aos 65 m encontrou o posicionamento no terreno mais compatível com o que tem produzido.
Álvez: Não marcou...mas merecia. Uma exibição cheia de garra, pressionando a defesa e procurando as oportunidades de golo. Excelente a assistência para o segundo golo.
Valente:Dois excelentes golos mostrando o seu talento de ponta de lança. Pô-lo a extremo é uma "maldade" que ele procura compensar com uma enorme entrega ao jogo e uma generosidade sem fim.
Mas é na área que rende mais.
Otávio: Entrou a substituir Sami embora com funções diferentes dado ser um jogador de outras caracteristicas. Integrou-se bem e esteve na jogada do segundo golo.
Bouba: Entrou para ajudar a defender(!!!) a vantagem face ao poderoso Estoril-Praia. Cumpriu.
Tomané: Em dez minutos criou mais lances de golo do que Sami em todo o tempo que jogou (já para não dizer em todo o tempo desde que está no Vitória) o que diz tudo. Incompreensível que se continue a promover um "emprestado" quando temos um jogador do clube que lhe é bem superior.
Assis, Plange, Ivo e Gui não jogaram.
Com estes três pontos a Europa está praticamente garantida.
O que não significa que os restantes nove em disputa não sejam para ganhar.
Porque até ao lavar dos cestos é vindima.
Depois Falamos

8 comentários:

Anónimo disse...

Caro Luís Cirilo.


Concordo com a sua análise, em especial, no que concerne ao Luís Rocha e ao Cafú!

Apesar da "tenra" idade de ambos, para mim, têm o perfil de típico jogador que o Vitória tem que apostar.

Concordo a 100% que o Cafú têm postura para capitão. Apesar de algumas falhas naturais tem tudo para dar certo. Se ele quiser...

Acho que o André não está com a cabeça no Vitória. Falta-me perceber se não lhe subiu a fama à cabeça. Acho que o Bernard passou pelo mesmo, mas já percebeu (nas últimas jornadas) que ainda tem muito que provar no Vitória.

Para mim, o Ricardo Valente é das melhores contratações que o Vitória fez nas últimas épocas (década!?). Apesar de não ter formação do Vitória (já andou por Porto, Braga, Leixões,...) enquadrou-se bastante bem com tudo o que diz respeito ao Vitória. Se ele quiser tem tudo para dar certo!


Fernandes.

luis cirilo disse...

Caro Fernandes:
De uma forma geral estou de acordo consigo. Apenas no caso do André me parece que ele atravessou um período menos bom mas está de regresso ao seu nível. Ele é um excelente profissional e estou certo que estas continuas conversas sobre transferências não o perturbaram.

ana sofia Vieira disse...

As suas palavras encarnam bem o sentido do 8 ou 80 vitoriano, nunca sabemos dar valor, ou falta dele a quem o tem... A verdade é que temos uma equipa miserável das mais fracas da liga, mesclada com 3 ou 4 jogadores de qualidade, mas insuficientes!
Temos um treinador que claramente é o melhor da nossa história, pelos resultados, pela postura, pelo que sabe e pela forma como se comporta. Com um medíocre, como muitos que tivemos, estávamos a lutar para não descer!
Mas vamos tirar as dúvidas já no próximo ano...
Saudações cordiais!

Anónimo disse...

Boa noite, caro Luís,

É com a maior das felicidades que vejo alguém como o Luís escrever, jogador por jogador, exactamente, aquilo que acho que está bem, assim-assim e/ou mal nos 14 que representam o Vitória de sete em sete dias.

Acrescentaria apenas que Luís Rocha conseguiu salvar um golo logo nos minutos iniciais, naquele que foi, quanto a mim, o momento mais importante da sua exibição.

Sobre Bernard, continuo a ver o potencial todo lá, mas estagnado desde o início da época: os defeitos que mostrava em Agosto são os mesmos que mantém hoje em dia e as qualidades já não são tão bem demonstradas como no início da época. Há lances desesperantes para qualquer adepto e para qualquer companheiro de equipa: perante o Estoril, há uma jogada em que Bernard poderia ter isolado Alvez (completamente sozinho do lado direito) mas, após ter visto o posicionamento do uruguaio, optou por correr com a bola rumo ao meio-campo adversário. É impressionante (e por demais referido pelo Luís) o egoísmo que continua a grassar no futebol de um jovem com tanto potencial.

Já agora, acerca das exibições de Sami, começo a achar que estão a ser cada vez mais bem aceites por parte dos adeptos vitorianos. Os aplausos entusiásticos que ouve aquando das suas saídas de campo (mas só quando o resultado é favorável...) tiram-me qualquer palavra da boca(escreve alguém que, ainda na sexta-feira, quase partia uma cadeira do nosso estádio, obviamente sem querer, tamanho é o desespero e o nojo que me mete ver um jogador destes a jogar sucessivamente no Vitória). É impressionante a forma como este emprestado se tem exibido a um nível ainda pior comparativamente ao de Nii Plange na temporada passada aquando das suas utilizações no lado direito do ataque. E com Tomané no banco... Imagino que se Alex estivesse disponível, lá teríamos nós de ver Álvez e/ou Valente e/ou Tomané a ir para o banco para o ex-"jogador de um ''''''''''grande''''''''''" jogar.

Para terminar, dizer que fico feliz por demonstrar algum desconforto no que concerne à entrada de Saré. É patética a forma como a equipa se colocou a jeito de sofrer um golo por forma a tentar defender, em contenção, uma vantagem magríssima: e que poderia ter-se revelado demasiado curta face a algumas boas oportunidades que o Estoril teve para levar pontos para a Amoreira. São alterações de um treinador que continua a mostrar que não presta qualquer bom serviço ao futebol fim-de-semana após fim-de-semana. A Taça continua a justificar muita coisa quer em Guimarães, quer na imprensa mais favorável que alguma vez vi a um treinador.

Atentamente,
José Miguel Rocha

Anónimo disse...

Cara Ana Sofia Vieira,

Fala em "equipa miserável". Pedia-lhe, cordialmente, que, comparando, jogador a jogador, o plantel do Vitória com qualquer um actualmente abaixo do nosso clube na tabela me referisse qual dos pior classificados é superior. Dizer o que disse parece-me ir ao encontro de uma retórica que se impregnou em Guimarães (com a fantástica ajuda do "melhor [treinador] da nossa história", segundo o que diz) derivada das divisões em que jogava uma parte considerável dos futebolistas do Vitória nas épocas anteriores. Mas isso a mim diz-me pouco: a qualidade média dos da Liga não é muito mais elevada do que a média dos campeonatos inferiores, estou cada vez mais em crer. Então se compararmos com uma franja elevada dos estrangeiros que chegam a Portugal época após época... Aceito que, no início da temporada, as expectativas fossem reduzidas por mero desconhecimento. Agora, passado esse desconhecido, alegar que a equipa do Vitória é fraca custa-me a aceitar. Muito. (E basta olhar para o que treinadores como Paulo Fonseca dizem. "Não me importava de estar enfraquecido como o Vitória" Está aqui: http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/pacos_ferreira/interior.aspx?content_id=4409375)

Relativamente ao que diz sobre Rui Vitória: melhor treinador da nossa história? Está certa disso? Se falar com pessoas que conhecem e presenciaram grande parte da história do Vitória acredito que não vai haver uma única que concorde. Eu próprio, com 22 anos de idade, nunca na vida coloco o treinador actual entre os melhores entre os que vi em Guimarães.

Resultados? Quais? A Taça que justifica tudo e mais alguma coisa? Mas paramos no tempo em Maio de 2013? (admito que dedicações toponímicas e afins contribuem para isso, mas espero que os adeptos do Vitória tenham a ambição de conquistar mais e mais troféus não olhando sempre para o passado)

Postura? Qual postura? O que é a postura? E a forma como se comporta? O que quer dizer com isso?

Termino referindo que, se por "tirar as dúvidas já no próximo ano" transmite a ideia de que teremos outro treinador na próxima época, só posso desejar ardentemente que esteja certa e que possamos esclarecer toda e qualquer dúvida que subsista. Olho para os nomes de vários treinadores e não encontro razão para que essas dúvidas não sejam dissipadas em benefício do Vitória, por causa da saída de Rui Vitória.

Atentamente,
José Miguel Rocha

luis cirilo disse...

Cara Ana Sofia Vieira:
Não concordo com a sua opinião quanto ao valor global da equipa. Sendo evidente que em Dezembro era bem mais forte ainda assim é uma boa equipa que merece o quinto lugar em que vai ficar. E até lhe digo mais: se tivesse sido aproveitada a 100% (sem a utilização de opções mais que discutiveis e sem alguns receios nalguns jogos) podia muito bem ficar no quarto lugar.
Quanto a RV é sem dúvida um dos treinadores que fica na nossa História pelo percurso que aqui fez desde 2011. Daí a ser o melhor vai uma distância que não percorrerei.
Mas concordo consigo que na próxima época, se ele sair como tudo indica, ainda lhe vamos dar mais valor do que aquele que hoje damos.
Caro José Miguel:
Os lances que refere de Luís Rocha (pela positiva) e de Bernard(pela negativa) são bem verdade.
Acrescentando que o egoismo de Bernard,já bem patente em dois lances do jogo anterior em que preferiu rematar mal do que servir colegas bem melhor posicionados, merece severa censura porque são a negação do que é o jogo de equipa. É nitidamente um jogador que está a jogar para o brilho individual eventualmente respeitando instruções do empresário. Isto para já não falarmos da forma como nos leva ao desespero com a forma como marca livres e cantos consecutivamente mal. Mas aí a culpa é do treinador que há muito devia ter dado instruções para serem outros colegas a fazê-lo.
Quanto ao Sami partilho da sua indignação. A sua permanente utilização,sem nada que o faça merecer, é um desrespeito pelos sócios que pagam cotas e pelo colegas de equipa que tem de jogar por ele. Hoje quando vejo o Sami ser titular sinto-me quase tão indignado como quando o Milo metei benfiquistas nas bancada topo sul. Num caso como noutro estão intrusos em lugares que deviam ser nossos.
Saré...em Vila do Conde entrou tarde. Com o Estoril entrou para ajudar a defender contra uma das equipas mais fracas da liga. Mas já reparou quem ficou no banco? Assis (não conta para esta análise) Plange, Ivo e Gui. Bernard foi muito bem tirado mas para entrar um dos outros mais vale ter entrado o Saré. Lamenta-se é que um médio como Bruno Alves tenha sido convocado e depois ficado de fora dos 18. É um jogador que defende e ataca e dava mais alternativas no banco do que Ivo ou Gui.
Subscrevo grande parte da resposta que deu à Ana Sofia Vieira. Excepto quanto ao treinador da próxima época se RV sair. Aí temo que ela tenha razão. Depois Falamos

Anónimo disse...

Caro Luís,

Concordo, como não poderia deixar de ser, com os seus acrescentos relativamente ao que já havia escrito. Estou em crer que o jogo perante o Estoril começou a ficar tremido com a inclusão de Saré, passando o Vitória a jogar em duplo-pivot defensivo (!), em casa (!), perante o Estoril (!). De facto, olhando para o banco, talvez o melhor que havia a fazer seria trocar Bernard por Gui - que, mesmo não brilhando quando entra, dá a sensação de que pode, a qualquer momento, revelar-se uma opção bastante útil. Ou então ficar quieto e não mexer, tal como havia feito (e mal) com o Braga.

Fala (e muito bem) de Bruno Alves. Da mesma forma, estou certo que poderíamos falar pelo menos de Arrondel, Denis, João Pedro, Zitouni, Vigário, Alexandre Silva e Helinho (falo de acordo com o que vou ouvindo e lendo sobre a equipa B). À beira de Plange, Ivo, Sami, Otávio, etc. só posso apostar que não devem nada (se ficarem a dever o que quer que seja é porque nem na equipa B merecem estar), podendo perfeitamente ter mais oportunidades.

Sobre a próxima época, só nos resta esperar para ver. Com ou sem Rui Vitória, que seja melhor do que a presente temporada.

Um abraço,
José Miguel Rocha

luis cirilo disse...

Caro José Miguel:
Rui Vitória, ao que sei, tem mais dois anos de contrato e por isso é lógico que seja ele o treinador na próxima época.
Ou pelo menos seria lógico num clube em que a roleta de entradas e saídas não girasse com tanta intensidade.
Assim não sei.
Sei é que olho para 2015/2016 com grande preocupação.