domingo, março 22, 2015

O Nosso 14

Estes da fotografia, uma vezes em maior número e outras em menor, são os únicos que estão a "jogar" ao nível da primeira volta e por isso merecem um justo destaque.
Quanto aos que pisaram o relvado de Alvalade, e numa perspectiva imbuída do espírito pascal, há a dizer o seguinte um a um:
Douglas: Sofreu quatro golos, sem culpa em nenhum, e não teve muito mais que fazer. Na baliza não está o problema. Nem nunca esteve ao longo da época.
Plange: Rui Vitória insiste em que ele está preparado para jogar na primeira equipa e em que a sua adaptação a lateral foi um sucesso. Infelizmente parece-me estar enganado em ambas as questões. Amorim, misteriosamente dispensado, é e será sempre melhor lateral que Plange.
Josué: Numa defesa a meter "água" por todo o lado vai assumindo o papel de pronto socorro. Não chega é para tantas encomendas. Apesar de tudo um dos melhores em Alvalade.
Kanu: Passou de não convocado a titular depois da lesão de João Afonso. Não tem justificado a preferência em relação a Moreno. Muitas dificuldades face a Slimani e Cia. Foi o autor do nosso golo numa emenda oportuna.
Bruno Gaspar: Um bom lateral direito e um apenas sofrível lateral esquerdo. Num jogo face a um adversário com bons extremos (Nani, Carrillo, Mané) o Vitória "inventou" nas duas laterais. Dificilmente o resultado podia ser outro.
Bouba: Um jogo discreto e sem a influência que exercia na equipa tempos atrás.
André: No filme "O Clube dos Poetas Mortos" há uma frase dos alunos em relação ao professor (interpretado por Robin Williams) que ficou célebre: "Oh Captain, my Captain..."
Aplica-se plenamente ao actual momento de André e ao jogo que fez em Alvalade.
Bernard: Alguém terá de lhe explicar, porque me parece algo esquecido, que o futebol é um jogo de equipa. Jogar para o brilho individual não é boa estratégia. Especialmente quando não há...brilho!
Alex: Outro dos que escapou,mas por pouco, à palidez que foi regra. Procurou jogar simples e levar a equipa para a frente. Mas com o recuo para lateral(para remediar um erro de escalonamento) até as boas intenções desapareceram.
Tomané: Talvez o melhor vitoriano na noite de Alvalade. Não regateou esforços, correu toda a frente de ataque (onde esteve sozinho até à entrada de Valente), criou os poucos lances com alguma objectividade do ataque vitoriano. Em tempo de Páscoa foi o "cordeiro" destinado ao sacrifício. Mais uma vez.
Sami: Titular, segundo a ficha oficial do jogo, saiu aos 58 minutos sem ter jogado.
Valente: Primeira opção de Rui Vitória trouxe alguma agressividade ao ataque e protagonizou uma ou duas jogadas de perigo para o ultimo reduto leonino. Justificava-se ter entrado mais cedo. Desde o primeiro minuto para ser mais objectivo.
Gui: Um remate de cabeça com algum perigo. Mais nada.
Otávio: Entrou numa altura em que o destino do jogo estava traçado há muito.Mas entrou...
Assis, Moreno, Cafu e Ivo Rodrigues não foram utilizados.
Vem aí duas semanas de paragem antes da agora importantíssima recepção ao Arouca a três de Abril.
Nestes dias se ganhará(ou perderá) o apuramento europeu face ás reflexões que terão de ser feitas e decisões que terão de ser tomadas por Rui Vitória e a sua equipa técnica. 
Melhor que ninguém eles saberão que há coisas que tem de mudar na equipa.
Porque a margem de erro acabou!
Depois Falamos

8 comentários:

Rui Cordeiro da Silva disse...

Só umas notas:

Parabéns à claque. Esses sim, entram sempre para ganhar... e dão sempre goleadas!

Plange nunca foi, nem será um defesa, seja direito, seja esquerdo, seja central! Por que razão pensam tantos treinadores que podem transformar extremos em defesas laterais???

Com Luis Rocha (defesa esquerdo de raíz) na equipa B, por que razão jogou Bruno Gaspar na esquerda?

Por que jogou Sami, se já todos vimos que ele não tem o valor de Valente?
E por que só entrou Valente quando já nada havia a fazer?

Por que fica sempre Gui no banco? Será que a rapidez e a garra dele só serve para os finais das segundas partes?

Anónimo disse...

"saiu aos 58 minutos sem ter jogado".
A definição perfeita para Sami.
Eu como vitoriano tenho vergonha cada vez que vejo esse jogador(?) em campo com a nossa camisola. porque não joga por ter valor mas sim porque temos uma direcção ajoelhada face ao porto e ao pinto da costa. vergonha!!!

Ricardo Martins

José Duarte disse...

Temo que o nosso Vitória não consiga atingir o objectivo da qualificação para a Liga Europa.
Porém, sem discordar das críticas
que acabo de ler, entendo que nós, adeptos, devemos salvar a nossa pele sobre a co-responsabilidade no descalabro iminente que pode atingir-nos... esquecendo tais observações em prol do "quanto pior, melhor" - e vamos continuar a apoiar a equipa durante estas últimas jornadas.
Venha de lá o Samy, o Nii Plange, etc., no fim, como diz o treinador, far-se-ão as contas... MAS QUE NÃO NOS ACUSEM DE FALTA DE APOIO.

luis cirilo disse...

Caro Rui:
Apenas posso estar de acordo contigo.
São demasiados mistérios para o meu gosto.
Caro Ricardo:
Em boa verdade que andou ele a fazer em campo durante 58 minutos?
Caro José Duarte:
Creio que os adeptos tem cumprido o seu papel e não será por falta de apoio que a equipa deixará de se apurar para a Liga Europa. Ela, equipa, é que tem de fazer bastante mais por isso

António José Guimarães Carvalho disse...

Boa tarde...
Ni Plange escolheu o desporto errado para exponenciar as suas potencialidades de corredor. Claramente a bola atrapalha-o.
É bicuda demais para ele.
Kanu está rebentado para o futebol.
Saminão tem lugar nem no Ibis - O pior clube do mundo.
O Octávio tem qualidades mas precisa de ser muito bem limado na equipa B.
O Ivo rodrigues do pouco que se viu mostra muita vontade de fintar,mas só perde bolas e e não se preocupa sequer depois em recupera-las e muito menos em ajudar a equipa.
Depois há os casos mistério tipo Triangulo das Bermudas como o Bernard que passado 8 jornadas de grande fulgor virou zombie,e mais recentemente o André que se eclipsou semanas antes do eclipse de sexta.
Existem os incompreendidos como o Alex e o Tomané que supostamente em beneficio da equipa tem vindo a ser queimados e a amputar a equipa de algumas soluções interessantes que eles oferecem quando jogam nas posições para as quais estão vocacionados,sendo que no caso do Alex,ele faz parte do Lote de sismas que o treinador já teve com outros - Barrientos,Luis Rocha,Amorim...Não há um jo em que o Alex não seja substituído ou recuado.E normalmente acontece quando está a ser o mais influente e preponderante,e dos poucos que vai transportando jogo para zonas mais avançadas.
É um caso flagrante de pura embirração !
O Gui...continuo sem conseguir aquilitar do seu verdadeiro potencial...Talvez por que nunca lhe deram sequer um jogo inteiro para se saber o que vem de lá.
Entretanto...Aquele que era o fetish da eqyipa técnica,de repente saiu das opções,onde nunca deveria ter surgido.
Falo do Ricardo que veio de Vizela que uma vez queria atirar a bola para a clinica e o tiro saiu demasiado fora do alvo e acertou numa baliza que se fosse humana teria entrado em estado de choque e morrido depois....

luis cirilo disse...

Caro António Carvalho:
E constatando tudo isso constatamos também que há na equipa B jogadores que podiam oferecer soluções interessantes se lhes fossem dadas oportunidades. Infelizmente não são.
Prevejo oito jornadas de sofrimento

Anónimo disse...

Ainda neste preciso momento estou sem imaginação possivel para tentar saber o que vai na cabeça de RV nas suas sucessivas apostas em Plange!!!
Sempre que joga tem sempre culpa direta nos golos sofridos, ao não marcar/ acompanhar os adversários devido ao seu mau posicionamento, ao fazer pénaltis, ou ao fazer faltas estupidas e ser expulso! Ao ataque não acrescenta nada já que não sabe sequer cruzar uma bola!

Sr. Luis , peço desculpa mas neste momento não consigo perceber a teimosia de RV para com o lado direito da nossa defesa! Mas como tal quem sabe é o treinador e não eu. Apenas me resta apoiar a sua decisão.

Cumprimentos
Mendes

luis cirilo disse...

Caro Mendes:
Eu percebo a sua duvida que é também a minha. E uma duvida que é reforçada cada vez que o vejo jogar e me parece óbvio que não tem as caracteristicas necessárias aquele lugar. E ainda percebo menos a dispensa de Amorim.
Enfim...