terça-feira, março 17, 2015

E Agora Rui?

O mais fácil no futebol é culpar os treinadores pelos maus resultados.
São o bode expiatório mais à mão de semear.
Podem as direcções dirigir mal, os jogadores jogarem pouco, os departamentos médicos serem ineficientes mas o primeiro a ser responsabilizado é sempre o treinador e a primeira panaceia para resolver os problemas é despedi-lo.
Despedindo um (mais a sua equipa técnica) aliviam-se as responsabilidades e culpas de muitos.
Estou naturalmente desiludido com a segunda volta do Vitória.
Com os resultados, com algumas exibições, com a falta de golos e de pontos que vem caracterizando as ultimas semanas da nossa equipa A.
E não estou de acordo com todas as opções de Rui Vitória.
Desde tácticas de jogo a opções que faz nas convocatórias, no onze inicial e nas substituições durante as partidas.
Mas estou de acordo com muitas outras.
E como eu qualquer vitoriano que goste de futebol e veja os jogos do Vitória.
Mas é assim com Rui Vitória como seria com Mourinho ou Guardiola ou qualquer outro treinador do mundo do futebol.
Porque um dos grandes atractivos desta maravilhosa modalidade é o permitir que cada um de nós seja treinador de bancada, alinhave as suas tácticas, faça as suas convocatórias , escale a sua equipa e faça as suas substituições durante o jogo.
Quero com isto tudo dizer que estando o Vitória numa crise de exibições e resultados, que nos acabrunha a todos depois do que a primeira volta nos permitiu sonhar, continuo a acreditar firmemente que Rui Vitória faz parte da solução e não do problema como outros responsáveis do clube.
E é com ele ao leme que vamos sair da crise!
Porque ao avaliarmos o actual momento da equipa temos de ter memória.
Não a memória que interessa a alguns, e que é falar de uma Taça ganha em futebol e que parece ser desculpa e justificação para tudo (ponham os olhos no basquetebol que já ganhou duas e este fim de semana vai tentar ganhar a terceira sem se ouvirem os seus responsáveis a falarem repetitivamente do passado), mas sim a memória do que tem sido o percurso de RV e da sua excelente equipa técnica nestes quatro anos de clube.
Quatro anos em que teve de reconstruir a equipa todos os anos  e ás vezes mais que uma vez por ano.
Quatro anos em que teve de conviver regularmente com um balneário com salários em atraso.
Quatro anos em que viu partir os seus melhores jogadores.
Quatro anos em que lançou jovens talentosos mas pouco pôde desfrutar do seu talento.
Quatro anos em que teve muitas vezes, na defesa do supremo interesse da sua entidade patronal, de fazer cara alegre a coisas feias.
Quatro anos em que teve de assistir a invasões de treinos e intromissões nos balneários sem uma palavra de repúdio por parte de quem a devia ter tido.
Pior.  Propiciadas por quem devia impedi-las.
Quatro anos em que decisões "comerciais" se sobrepuseram a opções desportivas.
E nestes quatro anos, mesmo com os seus erros próprios que são tão inegáveis quanto humanos, Rui Vitória foi o grande(quantas vezes único) factor de estabilidade da equipa de futebol A.
E por tabela do próprio clube.
Resistindo a vicissitudes diversas.
Que foram de ele próprio (para além dos jogadores como é sabido) ser "oferecido" ao mercado a ter sido nomeado no inicio desta temporada como manager com poderes absolutos na gestão do plantel (foi o que se anunciou)para depois cair na realidade de ser apenas ouvido, e nem sempre, nos vários negócios que foram feitos.
Situação que teve o seu triste corolário na transferência de Traoré para o Basileia!
Rui Vitória tem, como qualquer ser humano, as suas qualidades e defeitos.
Tem,contudo, uma qualidade extraordinária que é a de ser extremamente leal ao clube para o qual trabalha, colaborante com a sua direcção, sempre preocupado em contribuir para a resolução dos problemas e em não fazer o que quer que seja que os possa criar.
E essa qualidade que é extremamente louvável tem,porém, o condão de em certas situações acabar por se transformar num defeito.
Que é o de fazer dele o bode expiatório de situações e desencantos pelos quais não é responsável.
Aqui chegados é pois tempo de perguntar e agora Rui?
Agora o que fazer para devolver à equipa a sua aura conquistadora e a sua apetência por ganhar.
Sabemos que jogadores decisivos (Hernâni e Traoré) ou que podiam ser opções importantes (Defendi, Barrientos, Crivellaro, Amorim) já cá não moram.
E que dos chamados reforços de Janeiro apenas Valente o é de facto porque os outros não vieram acrescentar nada ao que já cá havia.
Oferecem mais diversidade mas não mais qualidade.
Mas é o que temos.
E se com o que tínhamos nos podíamos bater com Sporting e Braga com o que temos a nossa obrigação continua a ser sermos superiores a Paços de Ferreira e Belenenses.
E isso tem de começar sábado em Alvalade.
Talvez apostando nos jogadores que vão estar cá para o ano  e para os quais não é indiferente ir ou não ir à Europa com a camisola do Vitória.
Talvez convocando e alinhando uma equipa, e montando a respectiva estratégia, com base na sua mais profunda convicção de que é a melhor equipa naquele momento e para  aquela circunstância.
Talvez, sem abdicar da lealdade que é uma sua boa imagem de marca, compenetrando-se de que tem um nome a defender e a ambição de uma carreira a fazer e estas segundas voltas  em nada contribuem para que essa ambição se revista de caracteristicas motivadoras para futuras entidades patronais.
Não sou ninguém para dar conselhos a Rui Vitória.
A não ser um adepto que quer o melhor para o clube e acredita convictamente que Rui Vitória ,tendo as suas responsabilidades no "problema", faz parte da solução necessária a devolver o Vitória ao caminho dos triunfos.
Depois Falamos.

23 comentários:

ON disse...

Por muito que me identifique com os seus pensamento para o Vitória, desta vez não me identifico. Aliás, se me recordo dos seus textos, no final da anterior época desoprtiva, o Luis Cirilo defendeu a mudança de treinador, atribuindo-lhe uma grande cota parte, pela péssima reta final que fizemos (corrija-me se estiver enganado).
E se realmente acompanha o nosso campeonato, tudo o que apontou como contrariedades para o Vitória também o é, para os outros clubes, e isso não invalidou que alguns desses clubes tivessem feito campeonatos melhores que o nosso. Portanto, essas contrariedades aplicaram de uma forma geral a todos os clubes que compoe a nossa liga, com uma agravante para nós: mantivemos o treinar, o que de certa forma deveria funcionar um fator positivo para nós.
A minha opinião acerca do RV não é de hoje, por isso, não precisei dos piores resultados para dizer o que digo dele: é um treinador fraco, com boa imprensa, e que tem tido a sorte de aproveitar as contrariedades para desculpar os seus fracassos.

luso disse...

pode ser que um dia, RV resolva falar.
É que se o fizer pode pôr muita coisa e vários dirigentes em cheque.

...Se RV quiser...

Anónimo disse...

Estou totalmente de acordo com a crónica. É claro que Rui Vitória não pode sair, Sr. Luís Cirilo. É o treinador perfeito para assegurar as finanças do clube. Nisso tem mérito. Menos para dar alegrias aos adeptos e aos sócios quando estes pedem um prémio maior do que a Taça. Tem sido infeliz nas últimas jornadas, mas todos sabemos que ele é um treinador de primeira volta de eficácia comprovada que se encolhe ou ataranta humildemente - aquilo que o Sr. Luís Cirilo chama "lealdade" - quando a direção lhe tira o tapete. Sabe montar equipas para amealhar pontos na primeira metade que lhe dão tranquilidade de manutenção na segunda volta. Mas um lugar europeu é uma tarefa mais complicada. Quanto a mim, só depende dele em ter coragem de ir à B buscar o que falta na A.
O problema da época 2014/15 é que se começou com as expetativas em alta. Eu e muitos outros sonhamos com o título. Com o segundo lugar. Com a Liga dos Campeões. Parecia que isso seria possível ata à saída de Hernâni. E até podíamos ter lá chegado se não houvesse pressa de fazer dinheiro em Janeiro para pagar salários até 2020. E a culpa desta pressa recai no suspeito do costume: o grande gestor Júlio Mendes! Que ainda tem a lata de vir para os jornais dizer que deseja chegar à Liga dos Campeões. De que raio de liga dos campeões é que ele falou?
Depois da saída do melhor jogador, vimos um filme já antigo: o Vitória a voltar à condição de Clube que se deixa levar de cantiga por 2 ou 3 milhões quando podia ter feito 15, 20 ou 25 por dois ou três jogadores. E aí sim, podia pensar na Liga dos Campeões. Ora, no Vitória, quem faz o Clube é quem manda nele e não a equipa. Com uma direção impaciente e a entrar em tilt quanto lhe acenam com notas e Rui Vitória já a pensar na época 2015/2016, vai-se tentar segurar um lugar europeu com titulares que não ganharam ao Penafiel e ao Gil Vicente? A este ritmo perdulário, dentro de um mês o Vitória estará em 6º ou 7º. Portanto, nada a que não estejamos habituados porque decidiram trocar a mentalidade ganhadora por estabilidade financeira antes do tempo de colher dividendos gordos.

Quim Rolhas

José Duarte disse...


Entramos bem na fase do "Nem o Pai morre, nem a Gente almoça".

Mas... viva o Vitória!!!

Júlio Vieira de Castro disse...

Se RV fizesse desde o inicio da época o que fez Lito Vidigal, provavelmente tinha-se salvado de alguns dissabores.

Pedro disse...

Caro Cirilo,o Sr. Rui Vitória é um treinador limitadíssimo. Não quero com isso escamotear as asneiras - que são muitas - da direcção e do auto-proclamado arauto da gestão: Eng. Júlio Mendes.
O Vitória não tem fio de jogo, não tem uma ideia, não há rotinas, é chutão para a frente e pouco mais. Nunca vi os sócios tão resignados perante tão pobre futebol. Há 4 anos que é assim.
Com o Hernâni apenas disfarçávamos as nossas debilidades, pois ia resolvendo com o talento aquilo que a equipa não conseguia. Sempre que fazia um mau jogo...a equipa desaparecia.
Cumprimentos,
Pedro

Anónimo disse...

Cirilo, respeito muito o Rui Vitória pelo que fez em prol do nosso Vitória. E não falo apenas da Taça de Portugal, falo do que referiu no seu post, foi ele que segurou este clube (SAD?) durante um grande período em que pairou no ar a possibilidade de caírmos ao foço. Mas neste momento tem a imagem desgastada de mais para continuar ao leme do VSC, não tem o apoio das bancadas, não mostra capacidade para reagir a ciclos menos positivos, não creio que terá capacidade para nos colocar definitivamente a lutar por mais do que lutar sofridamente por um lugar europeu. Quero mais. Que soluções acha que seriam boas alternativas? O que acha de Domingos Paciência, que fez bons trabalhos na Académica, em Braga e no Sporting?

Anónimo disse...

Vai desculpar-me Sr Luís Cirilo, mas Rui Vitória já foi fator de instabilidade no balneário, por várias vezes, nomeadamente ao dizer nas entrevistas que tinha que se desenrascar com o que tinha quando determinados jogadores saíam. Isso quer dizer que os que ficam são uma espécie de refugo... É muito mau dizer isso. Melhor faria em ter um modelo de jogo e dizer que se não joga o Zé joga o João... Se treinasse a equipa em condições podia fazer isso. Atualmente, a avaliar pelas exibições, parece que não treina. Ninguém percebe o que é que ele faz nos treinos durante a semana. Enquanto os outros chegam a Guimarães com a lição bem estudada os jogadores do Vitória andam no campo a trocar a bola à toa... Não sabem marcar cantos nem cruzamentos e os passes e perdas de bola tem sido um desastre. Sem falar da desorientação em que ficam quando o adversário pressiona a defesa; ninguém se desmarca para receber a bola, etc etc...

luis cirilo disse...

Caro ON:
Não podemos estar sempre de acordo.
No final da época passada referi que o ciclo de RV no clube poderia estar a chegar ao fim é verdade. Precisamente por prever o desgaste que para ele seria mais uma época de reconstrução. Infelizmente não me enganei. E as contrariedades que lhe tem aparecido não são apenas as normais derivadas da competição. Tem havido outras que prejudicam o rendimento da equipa e desgastam o treinador.
Caro luso:
Duvido que o faça. Não está na sua forma de ser..
Caro Quim Rolhas:
creio que com a actual filosofia de gestão não há treinador que nos possa dar as alegrias que merecemos.
Porque quem gere tem como única solução para os problemas financeiros vender quantos jogadores podem e o mais depressa possível. Procurar novos investidores, aumentar o capital social da SAD, buscar parcerias a sério em vez de indianos e afins isso não fazem eles. Lá saberão porquê.
Quanto aos salários até 2020 achei piada. Oxalá a época acabe sem sobressaltos.
Caro José Duarte:
É mais ou menos isso.
Caro Júlio:
Quem sabe...
Caro Pedro:
Não estamos de acordo desta vez.
Embora eu aponte alguns erros a RV a verdade é que o trabalho dele tem de ser avaliado face aos condicionalismos que lhe tem sido impostos. E esses condicionalismos tem sido brutais

Anónimo disse...

Cirilo, o futebol do Vitória na 1ª volta deixava adivinhar que a bitola não iria durar 34 jornadas. As mudanças de Janeiro apenas aceleraram uma queda que seria inevitável com aquele modelo. Claro que provavelmente não teríamos tido uma queda tão abrupta e rápida como aquela que estamos a ter, mas a dependência nos lances de bola parada e nos lances individuais de Hernâni era assustadora! Conseguimos o factor surpresa nas primeiras jornadas, tendo tido também a felicidade do calendário nos presentear com as duas vítimas mais tenras do nosso campeonato logo a abrir, mas depois disso, e à medida que fomos sendo estudados e alguns jogadores observados mais de perto pelos adversários, só Hernâni conseguiu juntar irreverência à sua velocidade para se soltar das amarras. Foi ele o nosso abre-latas, foi ele que criou vários golos, seja por rasgos individuais, seja por faltas que sofreu (que deram golo e/ou valeram cartões que condicionaram os adversários). Aliás, era penoso ver que quando os adversários nos criaram mais dificuldades de penetração, a equipa virava constantemente à direita e procurava o passe longo para Hernâni cair nas costas do lateral...

Isto para dizer que Rui Vitória é isto. É futebol feio, à antiga. Este ano conseguiu expremer um jogador com características que mais nenhum tem no plantel e que geralmente custam muito dinheiro para contratar. Sem ele... acabou-se!

Gostava muito de ver Paulo Fonseca no Vitória e sei que ele também gostaria de vir para cá. Lito Vidigal também me agradaria...

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Acho que mudar de treinador nesta altura seria um desastre total. RV tem condições, especialmente se o deixarem trabalhar tranquilamente e não lhe impuserem "opções comerciais", para dar a volta ao texto e conquistar o quinto lugar. Quanto ao futuro não faço vaticínios. Se RV sair (acredito que o faça por vontade própria) a escolha do sucessor será certamente muito delicada. Não me parece que Domingos Paciência seja a melhor opção mas quem lá está que resolva.
Caro Anónimo:
Pelo que pude aferir na minha passagem pela anterior direcção os treinos de RV são intensos, bem planificados e ao nível do que se faz no futebol moderno. Não me parece que o problema esteja aí. Acontece é que ele perdeu meia dúzia de jogadores em Janeiro e ainda recebeu uns "empréstimos" que em nada ajudaram a equipa a vários níveis. E tudo isso arrasou uma equipa que vinha fazendo uma excelente Liga

Rui Cordeiro da Silva disse...

Rui Vitória é, de facto um excelente treinador, que espero que fique no Vitória por muitos anos!

Infelizmente, não lhe dão os melhores jogadores para fazer as melhores equipas... Mas ele faz as equipas melhores e depois é forçado a "dar" os melhores jogadores que ele próprio treina e potencia com a mestria que se lhe conhece.

Rui Vitória é a solução. O problema é a mentalidade comercial que quem manda e que não vê mais além no horizonte do que 6 meses. O nosso campeonato não tem 6 meses!

O problema é querer vender a todo o custo ao fim de 6 meses jogadores que ainda não estão no máximo das suas potencialidades (como já o próprio treinador admitiu em alguns casos) a um preço baixo e, sabe-se lá, com que danosas contrapartidas para o vendedor.

Quando oiço declarações sobre o nosso objectivo ser a Liga dos Campeões entristeço-me... Não é com planteis com validade de 6 meses que vamos algum dia conseguir tal façanha!

Ou a mentalidade comercial do clube/SAD muda, ou então seremos sempre um vencedor adiado!

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Hernâni é um grande jogador que em condições normais devia ter rendido muitíssimo mais do que rendeu na transferência para o FCP. Infelizmente foi mais um péssimo negócio. Em todas as vertentes. Quanto ao resto temos uma equipa cheia de emprestados, com lesões que demoram eternidades a resolverem-se e um balneário em que a chegada dos emprestados teve certamente mau efeito.
Quanto a futuros treinadores...aguardemos pelo que se vai passar. Se RV sair no fim da época então será tempo de pensar nisso.
caro Rui:
Tens toda a razão. O que falha no Vitória é a gestão desportiva. E essa,ao contrário do que foi dito no inicio desta época,não é feita por Rui Vitória

Anónimo disse...

Nunca achei que o que tínhamos no início seria suficiente para bater os marroquinos, quanto mais os lagartos, numa prova de regularidade que dura 9 meses...

Vou só pegar no caso concreto do plantel dos marroquinos:

GR: do que tenho visto, eles têm dois guarda-redes que dão pontos. Nós temos um, que esteve lesionado boa parte da época.

DE: Traoré foi a contratação sensação do campeonato. É melhor que Djavan ou Tiago Gomes, mas estes dão bem conta do recado. Chemman e Breno são fraquíssimos...

DC: Moreno e Defendi caminham para o final da carreira e andaram sempre presos por arames. Deram bem conta do recado enquanto houve pernas, depois deram lugar à juventude. Gostando eu da dupla Josué-Afonso, acho que Santos-Pinto não lhe ficam em nada atrás e acrescentam experiência.

DD: aqui estamos claramente por cima. Baiano e Goiano. Parece anedota, mas não é. Bruno Gaspar ganha em todos os aspectos, mas... não é nosso!

Médios: até à lesão, Saré foi imperial no meio campo. Formava com André André e Bernard um tridente de meio campo muito forte. Mas do outro lado estão Danilo, Tiba e o jogador mais irritante da história. Danilo é jogador de outro nível, para o ano vai estar num tubarão europeu. Felizmente é do Mendes e dará apenas uma migalha. Tiba é um todo o terreno, que não deve muito a André. Bernard tem um potencial imenso, mas não foi decisivo como é a Micaela para os... outros.

Extremos: começámos a época com Hernâni e Alex e acredito que esteve aqui a nossa força. Mas do outro lado há Rafa, Pardo, Pedro Santos, Agra. Ganham em opções, e Pardo e Rafa não devem nada a Hernâni. Ainda se cometeu a proeza de irmos buscar o maior nabo que eles lá tinham, o Sami...

Avançados: bem, quem tem Tomané e Éderzito (não consigo escrever isto sem me rir) está definitivamente equilibrado... por baixo! A grande pecha de ambos os plantéis está aqui, sem dúvida!

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Pois eu achava, e continuo a achar, que tínhamos plantel para disputar o 3/4 lugar. Que se em Janeiro não tivesse sido enfraquecido com as saídas podia perfeitamente,ainda por cima com Valente a reforçá-lo,dar-nos o acesso á pré eliminatória da Champions.
Ponto por ponto:
Temos dois excelentes guarda redes que dão pontos. É profundamente injusto, depois do jogos que fez,continuar a por-se em causa o valor do Assis.
De acordo quanto a Traoré mas lamento que o nosso melhor LE depois de ele sair(Luís Rocha) continue a ser posto de lado para jogarem colegas que não lhe são superiores.
Defendi aos 28 anos está a caminho do final de carreira? Josué e João Afonso com 24/23 anos são inexperientes e Defendi com 28 era velho. Para si as carreiras são muito curtas.
Na LD concordo. E ainda tínhamos Amorim que foi desperdiçado.
Em termos de médios não temo comparações. Bouba, André, Bernard, Cafu, Zitouni, Bruno Alves, João Pedro, Barrientos,Crivellaro, tomara o Braga. Infelizmente também nesse sector Janeiro foi nefasto.
Quanto a extremos tínhamos Hernâni, muito melhor que qualquer extremo do Braga (anos-luz de diferença), e ainda temos Alex. Mas a saída do Hernâni foi-nos fatal.
Quanto aos avançados não acho que existem lacunas no nosso plantel. Tomané é um bom avançado, Álvez um "matador" a quem as lesões tem tirado continuidade e Valente e Areias são homemes de área com faro de golo. Se tívessemos mantido o plantel, contratado Valente e dado outra utilização a Barrientos e Crivellaro podíamos ficar perfeitamente em terceiro lugar.

Anónimo disse...

Sabe dizer-me quantos jogos de I Liga e competições europeias fizeram Josué e João Afonso? Defendi não dura muitos anos como jogador de futebol, é um lesionado crónico...

Concordando que Hernâni é o melhor dos extremos em equação, não o acho anos-luz à frente de Rafa nem de Pardo. Nem sequer em velocidade lhes ganha assim por tanto. Alex acho inferior a estes dois até.

Também acho que está a querer fazer de Valente mais do que ele realmente é. Talvez tenha exagerado na apreciação que fiz a Tomané ao colocá-lo no mesmo nível de Éderzito (LOL), mas algum dia estes dois dão garantias de golos para uma qualificação europeia? Já nem falo numa eventual participação com estes dois a comandar o ataque...

Quanto a médios, falou em muitos nomes, mas se formos a expremer bem o sumo da coisa... Resume-se praticamente aos 3 nomes que referi. Até porque Barrientos nunca foi opção na equipa A e Crivellaro foi a espaços, sem nunca ser uma mais-valia. A Cafú corre-lhe Vitória nas veias, merece a minha vénia. Já o seu futebol é outro assunto...

Anónimo disse...

Com o plantel de início da época, não fossem as saídas de Hernâni e Traoré e o 3º lugar seria nosso.

Mas ainda não dou o 4º por perdido. Nem por sombras ! Apesar da 2ª volta deplorável podemos lá chegar...

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Defendi, para si, ora é lesionado crónico ora está em fim de carreira.
Não é nem uma coisa nem outra e era,simplesmente, o nosso melhor central. Mas já não está cá. Quanto aos pontas de lança é evidente que Tomané e Valente por si sós não chegam mas acredito que com Álvez livre das lesões o panorama pode melhorar muito. Até porque Tomané é mais um avançado que um ponta de lança puro.
Barrientos nunca foi opção, esta época, é verdade e esse é um dos tristes "mistérios" que perseguem este plantel. Quanto a Cafu acredito no seu futebol como acredito no dos outros médios que referi. Tem é de ter oportunidades.
Caro Anónimo:
Registo o seu optimismo mas não partilho dele. Na jornada deste fim de semana vamos ao Sporting e o Braga recebe a Académica. Em condições normais ficaremos a nove pontos do quarto lugar. Não é distância recuperável a oito jogos do fim.

Luis Costa disse...

Caro Cirilo,
Falta acrescentar que também tivemos 4 anos sem futebol, apenas "pontapé pa frente e fé em Deus", sendo que este ano passou para o "passa ao Hernani que ele resolve". 4 anos de classificações medianas (para não dizer coisa pior).
4 anos de um discurso sem ambiçao e sem mobilização.

Quanto à perda dos melhores ativos, caso não saiba, isso acontece com todos os clubes Portugueses.
Até os 3 estarolas ficam sem eles.
Mas sobre este tema dou-lhe como exemplo um clube do n/campeonato:
O Estoril em 2 epocas perdeu sempre os seus melhores jogadores:Lica, Evandro, C.Eduardo, S.Vitoria, Luis Leal, etc, e o Marco Silva nunca se queixou, não entrou em discursos miserabilistas, e a equipa continuou a ter rendimento e a praticar bom futebol.

Quanto ao jogadores que saíram e que na sua otica fazem falta, pergunto-lhe, Porque é que o escritor nunca lhes deu oportunidades (exceçao so Difendi)? De quem é a culpa ?

Quanto aos fato de apenas R.Valente se ter mostrado o unico "reforço" de inverno, porque é que o escritor o encostou para colocar os emprestados com lugar cativo na equipa mesmo sem precisarem de treinar ? De quem é a culpa ?

Quanto à instabilidade do balneário, pergunto-lhe: Há alguém que tenha criado mais instabilidade e desanimo no balneario do que RV ao dar lugar cativo ao 3 emprestados mal chegaram ?

E já agora qual foi o motivo para a 2ª volta da epoca passada ?
Não me diga que foi a saída do Abedolay, pois trata-se de um jogador que passou uma boa parte do tempo lesionado e que constipava com frequencia nas viagens de autocarro até ao Porto.

Mas concordo quando diz que RV faz parte da soluçao . . .indo embora rapidamente

Anónimo disse...

Vamos a Alvalade, certo. Também os marroquinos lá irão, ainda! E eles ainda vêm ao Berço. Em condições normais, em resultado destes jogos colocar-nos-emos a 3 pontos, com vantagem no confronto directo. Teremos outros 7 jogos para recuperar 3 pontos. Acha muito? Eu não acho.

luis cirilo disse...

Caro Luís Costa:
Quer comparar o preço a que nós ficamos sem os melhores activos ao preço a que os chamados grandes ficam sem os deles? Ou até o Braga. Ou até o Moreirense!
De resto se há comparação que não quero fazer é do Vitória com o Estoril. Porque infelizmente acho que cada vez nos parecemos mais com eles nalguns aspectos.
Quanto aos jogadores que sairam é verdade que Barrientos e Amorim não tiveram nenhuma hipótese enquanto Crivellaro ora tinha ora não tinha. Defendi é um caso à parte porque estava lesionado e foi sempre titular até à lesão.
Mas a razão disso acho que está só no treinador? Eu acho que não. Especialmente no caso de Barrientos há seguramente uma "estória" por trás. Quanto aos emprestados é evidente que vieram instabilizar os colegas que já cá estavam. E por várias razões. A verdade é que vieram por decisão de alguém quanto todos sabíamos que por vontade do treinador Hernâni não teria saído. Há perguntas a que só a SAD pode responder.Incluindo as razões da segunda volta da época passada.
Caro Anónimo:
Entre o meu pessimismo e o seu optimismo naturalmente que prefiro a sua visão das coisas. E se ambos os clubes minhotos perderem em Alvalade e depois ganharmos o confronto directo é óbvio que reentramos na luta pelo quarto lugar. Se...
Aguardemos.

Anónimo disse...

Caríssimo Luís Cirilo,

Tal como já tive oportunidade de dizer várias vezes, para mim, Rui Vitória é, e sempre foi, parte do problema.

Creio serem dois os principais critérios para avaliar a prestação de um treinador: resultados e qualidade do futebol apresentado.

Relativamente à segunda, estou certo de que ninguém se atreverá a elogiar, por um segundo, o futebol que o Vitória apresenta desde a chegada de Rui Vitória. Não vou repetir o que já foi dito (e bem) sucessivamente nesta caixa de comentários no que toca a chuto para a frente, etc. É lamentável o "serviço estético" que este treinador presta ao futebol.

E resultados? Três épocas e meia e:

2011/2012: 6º lugar e não apuramento para a Europa; Eliminação na Taça de Portugal perante o Aves na 4ª eliminatória; Último lugar na fase de grupos da Taça da Liga.

2012/2013: 9º lugar na Liga Portuguesa; Conquista da Taça de Portugal; Eliminação na fase de grupos da Taça da Liga.

2013/2014: 10º lugar na Liga Portuguesa; Eliminação na 4ª eliminatória na Taça de Portugal; Eliminação na 1ª eliminatória da Taça da Liga perante o Leixões; Derrota copiosa na Supertaça; Eliminação na fase de grupos da Liga Europa.

Sobre esta época, duas saídas precoces de Taça de Portugal e Taça da Liga.

De tudo isto, retiro uma conquista a que faz alusão no texto e que, como diz, não pode justificar tudo. A Pedro Emanuel já ninguém lhe aponta essa vitória, José Rachão já foi esquecido, bem como António Sousa. E nunca vi nenhum desses três a ser vangloriado pela vitória no Jamor, sendo que não vejo nenhum problema com isso.

A escandalosa boa imprensa de Rui Vitória (sinceramente, acho que é um dos, senão o, treinador que mais boa imprensa tem) é que se vai regozijando com as vitórias e calando com as derrotas. E isso vai permitindo que ele continue a ser associado a lugares onde, por mérito, me parece estarem claramente acima do que se justifica. Mas isso não é problema nosso.

Um abraço,
José Miguel

luis cirilo disse...

Caro José Miguel:
Aponta factos.
Que são indesmentíveis.
Mas há uma realidade que ajuda a explicar esses factos e que se prende com a permanente instabilidade que o clube tem vivido em termos financeiros bem como (falta de) estabilidade do plantel.
Como sabe só no passado mês de Janeiro entre entradas e saídas movimentaram-se 21 jogadores o que se não é recorde mundial deve andar lá perto.
De resto não acho que o futebol tenha sido sempre mau bem pelo contrário. Na primeira volta deste campeonato ou na segunda volta de 2012/2013 o Vitória fez jogos de muito boa qualidade. Onde mais critico o nosso treinador é nalgumas opções que faz nas convocatórias e nalgumas teimosias em jogadores que manifestamente nunca terão capacidade para corresponder. Plange a lateral é um exemplo flagrante mas há vários outros. Gostava muito de ver RV poder treinar uma equipa/plantel estabilizado durante duas ou três épocas. Aí faria o juizo definitivo sobre a qualidade do futebol das suas equipas.