sexta-feira, dezembro 04, 2015

Quem manda no Vitória?

O Vitória prescindiu de Luís Esteves.
Um dos mais reputados treinadores de guarda redes a nível europeu, que vinha fazendo um notável trabalho no Vitória, foi dispensado apenas e só porque o desempregado que foi contratado para treinar a equipa A exigiu trazer com ele todos os seus colaboradores igualmente desempregados incluindo um desconhecido treinador de guarda redes.
Claro que quando Sua Excelência fez semelhante exigência devia ter-lhe sido imediatamente apontada a porta da rua até em função de empolgantes entrevistas em que recentemente se manifestava o orgulho em ter no Vitória treinadores vitorianos e vimaranenses.
Como é o caso de Luís Esteves.
Que é seguramente muito mais vitoriano e sofre muito mais pelo clube do que alguns dos que agora lhe apontaram a porta da rua.
É evidente  que a desculpa, ridícula de principio a fim, é a de que foi convidado a continuar noutras funções.
O que equivaleria a convidar Ronaldo para continuar no Real Madrid mas noutras funções que não de jogador ou Pep Guardiola a ficar no Bayern mas noutras que não como treinador.
E só num clube com uma gestão desportiva cada vez mais patética é que se troca um treinador de valia europeia (a única mais valia a esse nível que existia no Vitória)por um desconhecido apenas e só porque um treinador recém chegado o exigiu.
É ,em termos de gestão desportiva, um completo disparate.
E em termos de vitorianismo uma ingratidão brutal que deve chocar qualquer um .
Porque o Luís Esteves ,além de ser competentíssimo(que é o que mais interessa)e vitoriano desde sempre, recusou meses atrás acompanhar Rui Vitória na ida para o Benfica apenas e só pelo prazer que lhe dava trabalhar no seu clube.
Perdendo com essa recusa a possibilidade de ganhar mais e de ter uma projecção mediática que trabalhar no Benfica sempre dá.
Mas também porque o Luís Esteves criou no Vitória uma iniciativa pioneira, a Academia de guarda redes, cujo sucesso (João Miguel, Miguel Oliveira, Palha e os que vem atrás) é completamente indiscutível e serve na plenitude os interesses estratégicos do clube.
A "paga" foi esta!
E por isso questiono quem manda hoje na SAD do Vitória.
A administração?
O recém chegado treinador?
Quem promoveu a sua vinda para cá?
Não sei.
Mas sei que aquilo que fizeram a Luís Esteves é de uma ingratidão tal que nunca mais os seus autores poderão falar de vitorianismo sem despertar sorrisos de pura comiseração.
Quem faz coisas como esta é vitoriano?
Gosta do Vitória?
Parece-me bem que a resposta é um rotundo não a ambas as questões.
Depois Falamos

P.S. Esperemos que o notável legado que Luís Esteves deixa ( a Academia de guarda redes) não vá também por água baixo.
Infelizmente é o mais certo.

10 comentários:

R.Baptista disse...

Boa tarde, não sou o maior fã de SC, não defendi a sua contratação, mas não posso deixar de não concordar com o seu texto.
Passo a explicar:
1 - Um treinador tem que ser o responsável máximo pela equipa técnica.
2 - É perfeitamente normal quando um treinador chega a um clube "escolher" as pessoas com quem quer trabalhar, ou seja, pessoas que partilhem da sua visão.
3 - No caso de Luís Esteves, é de reconhecer o trabalho que estava a desenvolver com os Guarda-redes em Guimarães, se teve oportunidade de ir para o Benfica e não quis a opção foi dele. Na minha profissão se eu tiver hipóteses de mudar para uma empresa que me paga mais e continuar na mesma porque gosto mais, quando eles me mandarem embora vou e ponto final, a decisão é deles.
4 - Quanto à questão de viver e sentir o clube, tretas! É sempre bom ter pessoas que sentem o Vitória, (Miguel Silva a cantar em pleno jogo, lindo), mas isso não pode ser um requisito para se trabalhar no Vitória. Dizer que se manda embora um Vitoriano para se contratar um desempregado é pura demagogia, está a comparar uma pessoa a desenvolver um trabalho com outra que ainda o vai realizar, é injusto fazer essa comparação.
5 - Quem gere não pode olhar a amor, não pode olhar a sentimento, tem de olhar para números e resultados, apenas e só!

Ricardo Baptista

luis cirilo disse...

Caro Ricardo Baptista:
Respondo ponto por ponto:
1)Concordo. Mas acima do treinador há uma direcção/administração que é quem define as prioridades do clube. Se o treinador não concordar...treinadores é o que não falta. E melhores que o actual então há-os aos pontapés passe a expressão.
2)Mais normal ainda é o clube definir quem quer na equipa técnica da sua responsabilidade e confiança. E no Vitória, ao longo dos anos, não faltam exemplos. Quer um? O Neno. Que fez parte de várias equipas técnicas,e bem melhores que a actual, por directiva do clube.
3) Citei apenas essa possibilidade como prova do amor do Luis Esteves ao Vitória. Não como qualquer critério de competência. O futebol, como nós bem sabemos,também se faz de paixão e emoção.
4) Leia outra vez o que escrevi. É claro que o critério primeiro é o da competência e deixei isso bem claro. E em termos de competência o Luis Esteves é o melhor treinador de guarda redes do nosso futebol. Quem disse que gostava de ter técnicos no clube por serem vimaranenses e vitorianos não fui eu. Foi o presidente do clube/SAD.
5) Tem toda a razão. E é(também) por os números e resultados serem pouco mais que miseráveis que estou indignado com esta decisão. Porque quando se mandam embora os bons é difícil que os resultados melhorem.

MIGUEL FIGUEIREDO disse...

Pela primeira vez concordo e assino as palavras de Luis Cirilo. Se temos qualidade na equipa, porquê dispensar só porque alguém não gosta!

Anónimo disse...

"...recusou meses atrás acompanhar Rui Vitória na ida para o Benfica.."

Apenas lhe digo, uma mentira dita muitas vezes, não passa a ser verdade.

Anonimus disse...

Caríssimo Luís Cirilo,não posso de deixar de estar mais de acordo com V. Exa.. Comecei já a ponderar se devo ou não deixar de ser sócio, porque deixei de entender a utilidade do associado. Tenho a HONRA de ser AMIGO PESSOAL do Luís Esteves, mesmo que o não fosse, nunca concordaria que se trate
um VITORIANO de uma forma abaixo de cão.Sou associado de três dígitos e não fora ter ido para o ultramar hoje teria + de 50 anos de associado...! Nunca esperei viver e ver atitudes directivas tão absurdas e prejudiciais de uma Associação que AMO: V.S.C. . domingos Silva

luis cirilo disse...

Caro Miguel Figueiredo:
Ai está uma pergunta a que não posso responder. Outros o devem fazer.
Caro Anónimo:
Quando se querem fazer determinadas afirmações não se pode ser anónimo.
É apenas uma questão de credibilidade.
Caro Domingos Silva:
Parece-me evidente que os vitorianos não se identificam com atitudes destas.
Especialmente porque são lesivas do interesse do clube.
E quando nem os nossos,como o Luís Esteves, respeitamos é porque algo vai muito mal.

Saganowski disse...

Luis Esteves é, de facto uma grande perda para o Vitória.
Esperemos que num futuro (bem próximo, deseja-se...), outros mais vitorianos o saibam ir buscar e deixar continuar o belo trabalho que vinha fazendo!
Este não é o "meu" Vitória!

Mr.Karvalhovsky disse...

Não tinha conhecimento desta história.
Um clube como o Vitória tem que preservar os bons, ainda pra mais quando esses são vimaranenses e vitorianos!
A ser como diz, é uma decissão desastrosa, inacreditável, absurda... Triste!

luso disse...

o atual guarda redes do Vitória é apenas mais uma evidência do valor e interesse do trabalho de Luis Esteves
E que evidência...

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Acho que cada vez há mais vitorianos a pensarem o mesmo.
Caro Mr. Karvalhovsky:
É como diz.
Uma tristeza. A juntar a várias outras.
Caro luso:
Exactamente. Uma evidência que acentua a injustiça feita a Luís Esteves