segunda-feira, dezembro 28, 2015

MEO, NOS e ...Eles

Este é actualmente o"campeonato"mais interessante do futebol português.
O da luta pelos direitos televisivos dos clubes.
Um "campeonato" em que ainda não se conhece o vencedor (pessoalmente aposto na MEO face ao poderio da PT mas no nosso futebol nunca se sabe...) mas que já tem um claro derrotado quando a procissão ainda vai pouco além do adro.
A Liga Portuguesa de Futebol Profissional.
Que vê assim definitivamente (?) derrotado o seu projecto de negociação centralizada dos direitos televisivos que visava uma distribuição mais equitativa das enormes receitas que os referidos direitos geram mas que estão desde sempre mal distribuídos.
E assim vão continuar.
Porque assolados pela crónica falta de dinheiro (as razões disso já se sabe quais são) os dirigentes dos clubes optaram pelo habitual "salve-se quem puder" que caiu que nem ginjas nos interesses das empresas que negoceiam os direitos.
Porque é sempre mais fácil, e proveitoso, negociar com quem está com a corda na garganta e por isso não se pode dar ao luxo de ser exigente e reivindicativo.
O primeiro a atravessar-se foi o Benfica que depois de longas - e quase fechadas- negociações com a MEO acabou por fechar contrato com a NOS por uma verba a rondar os 400 milhões de euros por um período de dez anos naquele que foi o maior contrato de sempre do futebol português.
O maior mas apenas por três ou quatro dias.
Porque a MEO ( escudada pela PT à qual pertence) contra atacou e acaba de fechar um contrato ainda maior com o Porto, no ordem dos 457 milhões de euros pelos mesmos dez anos, embora com outras nuances porque envolve publicidade nas camisolas e direitos de transmissão no Porto Canal.
E ao que parece o contra ataque da MEO foi ainda mais longe porque já terá fechado contrato com mais clubes nortenhos e estará em negociações com outros de norte a sul.
A disputa vai,pois, bem animada.
E estou certo de duas coisas.
Uma é que para alguns clubes (dois, três...espero que quatro...)esta negociação será mais vantajosa do que a negociação dos direitos centralizados mas para o futebol português será globalmente má porque vai aumentar as diferenças- que já são enormes- entre um reduzido lote de clubes privilegiados e os restantes que se limitarão a recolher o que...sobrar.
E isso terá óbvias consequências na competitividade do nosso futebol.
A outra é que a longo prazo se perceberá que MEO e NOS sairão destes negócios com bem maiores motivos de satisfação que os clubes porque aquilo que agora parece uma pipa de massa será menos do que o valor real dos direitos dada a evolução e o crescimento que se prevê para o negócio futebol na próxima década.
Fica a curiosidade de ver o que vai fazer a Olivedesportos/Sport-tv que com estes novos parceiros a entrarem no negócio dos direitos televisivos, com o ímpeto que se constata ,vê o seu "império" de muitos anos seriamente abalado correndo o risco de ficar apenas com aquilo que MEO e NOS não quiserem.
O que será, seguramente, muito pouco.
É claro que parece ser intenção da NOS transmitir os seus jogos na sport-tv, o que em teoria atenuará o seu problema,mas falo-à numa posição dominante deixando ao operador televisivo uma subalternidade a que não está habituado e que poder ser insuficiente para a sua viabilidade económica.
Tempos muito interessantes estes que se adivinham neste tão particular "campeonato" do nosso futebol.
Até porque a MEO, ao assegurar os direitos de transmissão no Porto Canal, pode muito bem estar a pensar na possibilidade de a médio prazo dar um passo em frente nessa área...
Há que esperar para ver.
Depois Falamos

P.S: Uma coisa é certa. "Alguém" vai pagar estes investimentos vultuosos que MEO e NOS estão a fazer no futebol.
A publicidade sem duvida.
Mas também os telespectadores que terão de pagar mais (se calhar bem mais) pelas suas assinaturas de televisão por cabo.

6 comentários:

cards disse...

Caro Luis Cirilo,
É um facto que o Porto fez um contrato maior que o Benfica por 57,5 milhões, mas teve de ceder mais coisas. Vejamos.
Benfica cedeu por 400 milhões a 10 anos os direitos televisivos e a BTV.
O Porto cedeu por 457,5 milhões a 10 anos os direitos televisivos, 7,5 anos a publicidade das camisolas e da publicidade estática do estádio e a 12,5 anos o porto canal.

O porto de 2018 a 2028 irá receber 45,75 milhões por época da MEO.

O Benfica de 2016 a 2026 irá receber 40 milhões da NOS. A estes 40 temos que somar 8 da Emirates e 2 da publicidade estática do estádio.
40+8+2=50 Pelo menos até 2018 pois nesse ano termina o contrato com a Emirates.
A vantagem importante que o Benfica tem no acordo é que o acordo do Benfica termina 2 anos maia cedo que o do Porto. Podendo renegociar com 2 anos de antecedência.

Até 2018 o Befica receberá 70 milhões da NOS, 36 por época, mais 8 da emirates e 2 da piblicidade do estádio. 36+8+2=46
O porto ainda está sob alçada da Olivedesportos até 2018 portanto receberá 25+7,5+2=34,5.
O Porto só se aproxima do Benfica em 2018 que passa a receber 45,75.



Ambos são bons acordos para os clubes e excelentes para as operadoras.
Hoje 400 e 457,5 parece muito mas em 2026 e 2028 podem parecer pouco.

cards disse...

Eu penso que as minhas contas estão certas.
Mas só em 2028 saberemos quem recebeu mais dinheiro.

Cunha Artur disse...

Espero que os dirigentes do Vitória não se precipitem, aproveitem esta oportunidade para resolverem a desgraçada dívida, que tanto tem afligido quem governa os destinos do clube ou se escudam nela para justificarem o "Injustificável". Veremos se neste possível euromilhões as pessoas olhem mais para o umbigo do clube do que para a vaidade das obras "cinzentas". É tempo de sairmos do marasmo eclético, do faz de conta e começarmos a lutar por títulos.

luis cirilo disse...

Caro cards:
Quer são muito bons contratos para as operadoras não duvido.
Para os clubes são razoáveis ou até bons. Mas em 2028 provavelmente quer Benfica quer Porto acharão que podiam ter feito melhor.
Os restantes é que tem de se por "finos" porque caso contrário estarão no futebol com a mesma função que as "chicanes" estão na Fórmula Um.
Caro Cunha Artur:
Estou de acordo consigo. É tempo de resultados desportivos e não de obras que não são a nossa raiz social nem sequer são precisas neste momento. Quanto ao resto penso que o Vitória também já terá resolvido a sua "vida", para os próximos anos, em termos de transmissões televisivas

Saganowski disse...

Se as assinaturas de cabo aumentarem, acho que o futebol pode ficar beneficiado! Se as cotas e os bilhetes compensarem em preço, pode ser que os estádios encham outra vez.

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Pode ser...