terça-feira, maio 24, 2016

Nós e Eles

Há textos que gostaria de não escrever.
Como há textos, provavelmente os mesmos, que alguns não gostarão de ler.
Mas não é por nos negarmos a olhar a realidade de frente que ela deixa de existir, nem fazermos de conta que não se passa nada faz com o que se está a passar deixe de ser realidade.
Todos os vitorianos, talvez com excepção daqueles que obstinadamente se recusam a andar de olhos abertos para as realidades,  tem a perfeita noção de que estes últimos dez/doze anos foram quase sempre maus para o Vitória e quase sempre bons para o Sporting de Braga.
Ontem terminou o ultimo ponto que nos dava vantagem sobre o velho rival neste período de tempo.
Nós tínhamos legítimo orgulho de neste período termos vencido uma Taça de Portugal enquanto eles a única que tinham no seu palmarés tinha sido ganha em 1966.
Agora não só eles venceram a Taça como passam a ter duas enquanto nós só temos uma!
Em seis finais que disputamos. Tantas como eles.
No resto as comparações são-nos completamente desfavoráveis não há volta a dar-lhe.
É verdade que fomos o primeiro clube fora de Lisboa e Porto a ir à Liga dos Campeões mas não passamos do play off de acesso à fase de grupos (com o roubo de Basileia à mistura mas isso não conta para as estatísticas) enquanto eles já disputaram três fases de grupos defrontando, e ás vezes com sucesso,algumas das melhores equipas europeias.
Por isso quando vejo manifestações de exacerbada clubite , procurando empequenecer os sucessos deles e hiper valorizar os pequenos sucessos nossos tenho a noção triste de que deve haver muitas vezes em que eles se riem de nós.
Nós chamamos-lhes marroquinos.
Eles ganham a taça da liga que nós nunca ganhamos
Nós dizemos que "Braga é merda".
Eles são vice campeões nacionais lugar que nunca conquistamos
Nós afirmamos que em Braga há mais benfiquistas que braguistas.
Eles vão a uma final da Liga Europa enquanto nós fomos há trinta anos aos quartos de final.
Nós dizemos que eles só tem gente no estádio com borlas.
Eles em 10 campeonatos ficam oito vezes à nossa frente!
Nós, num tempo em que as coisas eram diferentes, andamos anos e anos a disputar o quarto lugar com o Boavista enquanto eles se arrastavam pelo meio/fundos da tabela.
Depois eles cresceram, o Boavista caiu, e passamos a disputar esse quarto lugar com eles.
E agora?
Agora eles olham para cima e veem Porto, Sporting e Benfica com quem disputam lugares e acesso á liga dos campeões.
Nós olhamos para cima e vemos Belenenses, Estoril,Paços de Ferreira, Rio Ave e Arouca ,porque os quatro primeiros já vão tão longe que deixamos de os ver, e nem o acesso à Liga Europa conseguimos.
Eles vendem por milhões, reinvestem em jogadores  fazendo equipas sempre fortes e competitivas e os resultados aparecem com toda a regularidade.
Nós vendemos por "tostões", encharcamos-nos em emprestados que nada acrescentam (na sua maioria) e fazemos campeonatos em regra desoladores com uma ou outra excepção.
É a realidade.
É certo que os mais irredutíveis, ou menos propensos a verem a realidade com a necessária frieza, dirão que temos mais gente no estádio do que eles.
É verdade.
Ainda temos.
Mas a tal realidade para que alguns não gostam de olhar diz-nos que o fenómeno do bi clubismo em Braga atinge cada vez menos as novas gerações, aquelas abaixo dos 40 anos, que são cada vez mais pelo clube da terra e por nenhum outro e a tendência é para manter e até exponenciar face ao que tem sido os desempenhos do clube nesta última década.
E ninguém duvide que a conquista da Taça de Portugal vai dar um poderoso contributo para isso face ao impacto que tem nos mais novos em termos de admiração pelo clube e fidelização ás suas cores.
E por isso se a tendência da última década se mantiver ninguém se poderá admirar se as assistências em Braga tiverem uma curva claramente ascendente enquanto em Guimarães há uma curva claramente descendente que acabará por se cruzar com a ascendente do rival minhoto.
Hoje, em Braga, já se pensa seguramente em novas conquistas enquanto em Guimarães há muita gente que ainda vive agarrada à recordação do Jamor/2013 como se o mundo tivesse acabado aí.
Hoje a realidade é essa.
Que em nada nos tira o orgulho em sermos vitorianos, o amor ao Vitória, a consciência de que somos adeptos de um clube diferente de todos os outros.
Mas é preciso mudar.
Porque enquanto ao discurso ambicioso deles respondermos com o discurso depressivo sobre o passivo que já (quase) ninguém suporta.
Enquanto ás vendas de jogadores por milhões que eles fazem respondermos com a satisfação pelo encaixezinho do milhãozito de euros da ordem(num ou noutro acaso algo mais) pela venda de alguns dos nossos melhores.
Enquanto á valorização dos próprios activos que eles fazem "respondermos" com a valorização de emprestados que findo o empréstimo se vão sem qualquer proveito para nós.
Enquanto tudo isso e muito mais acontecer é escusado pensarmos que podemos competir com o Braga por classificações, apuramentos europeus ou até troféus.
Há ilusões que por não terem qualquer razão de ser ainda se tornam mais perigosas pelo risco de destruição que encerram.
E por isso o Vitória tem mudar de vida.
É bom que a SAD se consciencialize que é preciso apostar seriamente no futebol e que o faça por actos e não por palavras.
Um bom treinador, uma boa equipa, valorização do que é nosso para vendermos quando for do nosso interesse e por valores adequados e não quando aparece quem queira a dar verbas ridículas, um discurso ambicioso e reivindicativo, um inconformismo sem limites quando formos prejudicados pelos poderes ocultos do futebol .
Um projecto desportivo ambicioso, sustentável, que olhe e planifique o médio prazo.
Se assim for, se houver o "rasgo" necessário a mudar o paradigma desta década "maldita", ainda é possível reverter este estado de coisas que tem caracterizado os últimos  anos e devolver o Vitória ao seu verdadeiro lugar de quarto clube do futebol português com a ambição de ainda ser mais do que isso.
E estou absolutamente certo, pela experiência de quase 50 anos a acompanhar o Vitória, que se houver uma liderança mobilizadora, um projecto atractivo e uma equipa que corporize no relvado as nossas aspirações não será pelos adeptos que o o clube deixará de voltar aos seus melhores tempos.
Os vitorianos, agora sim podemos evocar a paixão pelo clube, nunca deixaram o Vitória caminhar só.
E não será agora que vão fazê-lo.
Não podemos é perder mais tempo.
Nós.
Porque eles não vão perde-lo de certeza absoluta.
Depois Falamos

44 comentários:

Raquel Ferreira Veiga disse...

Há textos que preferia não ler. Não por não concordar ou por estarem mal escritos mas porque gostava que a realidade que retratam fosse outra. É este o caso. Concordo com tudo aquilo que escreveu que infelizmente reflecte a realidade e nada mais e está como sempre excelente.
Lembro-me de em 2013, pouco antes do dia da final da Taça, estar a discutir com um colega do secundário na altura e um grande amigo meu que eu sei que gosta do Braga da mesma forma como eu gosto do Vitória e ele ter dito que eles já tinham uma no palmarés e nós tínhamos levado 6 na última vez em que estivemos no Jamor. Eu respondi-lhe com humor: "Pois têm, mas nessa altura a bola ainda era quadrada portanto não conta". Lembro-me perfeitamente e pelos vistos ele também porque ontem enviou-me uma mensagem a dizer "Já temos duas. A bola ontem era redonda. Onde estava o Vitória?". Dei-lhe os parabéns e disse-lhe que apesar do "joguito" que fizeram já a mereciam pelo bom trabalho dos últimos anos. Reconheço-o porque sei ver futebol e se não o fizesse não seria justa. Infelizmente é a realidade actual. Deixa-me triste como o deixa a si.
Já disse muitas vezes que há quem esteja deitado à sombra não da bananeira mas da Taça de Portugal. Se foi bom? Foi óptimo! Mas também me lembro que a primeira coisa que pensei quando vi um troféu, e com tamanho significado, ser levantado foi que "quero muito mais disto". E quero. A Taça Portugal que ganhámos é parte da nossa história, mas não é o que somos. Somos muito mais e temos a obrigação de conquistar muito mais. Lembro-me de ler no seu blogue há algum tempo que o nosso adversário não podia ser o Braga, tinham de ser o Benfica, Porto e Sporting porque devíamos lutar pelo mesmo que eles estão a lutar. Infelizmente agora temos de admitir que a realidade está diferente e agora dizemos que o nosso adversário não tem sido o Braga porque infelizmente não temos lutado por aquilo que eles têm lutado. Ao meu amigo bracarense deixei-lhe uma recomendação: "Festeja enquanto podes que para nas próximas épocas é tudo nosso.". Não acredito tanto nisso como gostaria, mas tenho esperança que há gente no Vitória que vai abrir os olhos e dar alguma seriedade ao meu aviso. Eu nunca fechei os meus e sei que o Luís também não e é por isso mesmo que queremos tanto ganhar. Não porque precisamos de troféus para ser do Vitória mas porque o Vitória é mais do que o que estão a tentar fazer dele.
Parabéns pela coragem em escrever e publicar um texto assim. É muito difícil para muita gente admitir metade do que escreveu. Admito que a mim me custa admitir e aceitar a situação mas admito-a porque só assim é possível crescer.

Diogo Ferreira disse...

Está tudo dito! Nada tenho a acrescentar apenas dizer que é de facto uma frustração enquanto vitoriano e sócio do vitória a situação atual da nossa equipa de futebol profissional. Os vitorianos - quer sejam sócios ou não - e as gentes de Guimarães, merecem melhor, muito melhor. No futebol vive-se de títulos e isso, por estas bandas, não há! Há adeptos apaixonados pelo clube, há adeptos que continuam a marcar presença no estádio - apesar de ser em menos numero do que é habitual - e acompanhar a equipa nos jogos fora mas, da parte do clube, para além da preocupação do reduzir o passivo, é o que se vê. É tempo de dizer, BASTA!

Anónimo disse...

Boa tarde Luís Cirilo.



A ambição que retrata no fim do texto só será possível quando o presidente for... Luís Cirilo.

Até lá, não vejo ninguém com real conhecimento do Vitória.

O Júlio Mendes é sócio do Vitória à quantos anos? Talvez 10 no máximo.

O Júlio Mendes já alguma vez viu o Vitória sem ser na tribuna? Certamente que não.

O Júlio Mendes já foi de camioneta ver o Vitória jogar fora? Certamente que não.

O Júlio Mendes é vitoriano. Certamente que não.

O melhor argumento que podemos ter é a certeza que eles não conseguiram fundar um clube na cidade de Braga. Uns apoiaram-se no arsenal e outros no Sporting


Fernandes.

luis cirilo disse...

Cara Raquel:
Muito obrigado pelas suas palavras.
Elas traduzem,também, aquela que deve ser a postura de todos os vitorianos e que passa por recordar com gratidão o passado mas viver de olhos postos no futuro. Eu quando em 26 de Maio de 2013 vinha a sair do Jamor já pensava em lá voltar para ver o Vitória voltar a ganhar. Adoro a nossa sala de troféus,quero vê-la cada vez mais cheia, mas tenho a noção clara que dela só consta mesmo o passado. Importante é criar as condições para ganhar mais vezes e mais frequentemente no futuro. E é isso que estão a fazer em Braga. Veja que na recepção na Câmara Municipal quer o presidente da Câmara quer o presidente do Braga já falavam em título!
E não duvido que estão a dar os passos certos nesse caminho.
Já escrevi em várias oportunidades, como a Raquel fez agora o favor de recordar,que disputar lugares com o Braga não me satisfaz porque quero é ver o Vitória intrometer-se no meio dos chamados "grandes". Essa é a minha ambição de vitoriano. Infelizmente vejo-os muito longe e ao perto, de baixo para cima, vejo Belenses,Arouca,Estoril,etc.
E até o Braga a uma distância imensa.
Tenho esperança que as coisas mudem apesar de tudo. E estou certo que a juventude vitoriana, de que a Raquel é uma excelente representante,terão um papel decisivo nesse ressurgir do nosso clube rumo ao seu verdadeiro lugar. E de uma coisa pode estar certa:
Se um dia o "gigante" acordar a sério nunca mais ninguém nos segura.
Caro Diogo:
Interrogo-me sobre o que seria do Vitória se não tivesse os adeptos que tem. Provavelmente andaria por patamares inaceitáveis com a sua dimensão e historial.
Mas já chega de os desiludir e sacrificar.
Os vitorianos tem o direito de serem felizes vendo a sua equipa jogar e ganhar.
Para isso muita coisa tem de mudar no clube e na SAD.
Gestão,ambição, discurso.
Sem perdas de tempo.
Porque já perdemos demasiado.

Pedro disse...

Caro Cirilo,
Excelente texto. Concordo com quase tudo. Percebi - corrija-me se estive enganado - que acredita que o Vitória pode crescer com esta direcção. É aqui que discordo do senhor. Não acredito que as coisas possam mudar sem mudar as pessoas/direcção. O discurso do passivo apoucou os vitorianos, ainda hoje ouvimos que temos de nos resignar, que somos um clube com dificuldades e que é um feito mantermo-nos na primeira liga. Como pode o discurso mudar sem mudar as pessoas? O único projecto desportivo que conhecem: o passivo.
O Vitória é a imagem dos seus dirigentes. Nunca foi, infelizmente, a imagem dos seus adeptos. Somos um clube adiado e cada vez mais pequeno (as assistências não mentem). A acreditar nas últimas notícias, não deixa de ser curioso o Vitória estar interessado/negociar num treinador que está à espera de uma resposta de um outro clube para ver se, na falta de melhor, assina pelo Vitória. Um Banho de realidade.
Na sexta-feira, na Rádio Fundação, vamos ouvir - quem tiver paciência ou nada melhor para fazer - o Presidente a falar em grandes investimentos, Liga dos campeões, títulos nacionais - como tudo se resolvesse com uma mala de dinheiro - aposta na juventude, na recusa em receber jogadores emprestados, num discurso coloquial, gasto e repetitivo...........sem nunca esquecer o passivo e que sem ele, Júlio Mendes, o clube tinha fechado as portas. A falta de vergonha e de noção da realidade tudo permite.
Cumprimentos

José Manuel Ferreira disse...

Não sei quem escreveu este texto, mas desde já parabernizo pela estrutura do mesmo, e também pela humilde que o faz, perante o rival de sempre.
No que diz respeito ao seu valor moral e sentimental penso que a história será outra.
Senão vejamos, clubes como o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães têm ao longo da sua história conquistado alguns títulos.
Títulos estes que não são de nenhuma forma suficientes para alimentar de forma sustentada e duradoura o ego dos seus adeptos.
Por isso neste exacto momento e a proposito de tudo isto, lembrei-me das palabras de um adepto do Sporting de Braga que ao ser entrevistado no domingo ao entrar para o Jamor disse o seguinte : "Somos um clube pequeno que não vive de titulos, mas sim de amor para o clube. E quem não vive isto não entende".
Um grande abraço a todos os Vimaraneses e um abraço especial ao meu amigo Pedro Pitão que partilhou este texto que reflecte uma grande humildade. Por aqui terá a humanidade que caminhar.
Um bom haja para todos Vimaranenses e Bracarenses.

Anónimo disse...

Caro Dr. Cirilo, vivo perto das Taipas, onde por certo saberá que há uma grande concentração de marroquinos, potenciado por uma aversão à cidade de Guimarães e alicerçada no braguismo/benfiquismo de algumas das famílias mais tradicionais da zona.
Serve a introdução para lhe dizer que ninguém como nós leva nas barbas com o sucesso do SC Braga. Mas por mais que o que o senhor diz no texto seja verdade não consigo perceber o que é que o sucesso do vizinho tem a ver com o nosso insucesso. Desculpe a franqueza, mas o que o senhor faz neste texto é um exercício demagógico e de puro provincianismo, coisa muito portuguesa de não subirmos na vida e termos inveja do sucesso do vizinho.
Não é por aí. O Vitória tem de trilhar o próprio caminho sem olhar para o vizinho. Se o vizinho tem sucesso, melhor para ele, nós temos de procurar o nosso próprio sucesso. Organizar e traçar dentro de portas os objectivos a médio/longo prazo, concordo consigo.
Creio que este texto não ajuda em nada.

a disse...

Parte 1 - Entrando com a foice na seara alheia, permita-me dar-lhe os parabéns pela análise feita. Sou bracarense, braguista e com metade da família de Guimarães e vitoriana. Sou braguista porque cresci e vivi a maior parte da minha vida em Braga - acho que é assim que deverá ser. Como acho que os meus primos de Guimarães deverão ser do Vitória - quase todos eles o são. Quando o Luís Cirilo refere que os de Braga se riem, nesta fase, quando os vitorianos tentam comparar o percurso de ambas as equipas, é capaz de ser verdade. Mas eu lembro-me muito bem, quando eu tentava comparar o Braga ao Vitória e o meu pais e primos começavam a rir. Eram os tempos do Paulinho Cascavel e dos craques zairenses, ou do Pedro Barbosa, Edmilson e muitos outros. Nós vivíamos apenas do São Karoglan que carregava a equipa às costas para não descer. Tinhamos a política da câmara e a igreja a intrometerem-se na gestão do SCB e muitos bracarenses preferiam estar afastados do clube e outros viraram-se para clubes de outras cidades. São ciclos. Mas pode ter certeza de uma coisa, por muito que os Braguistas não admitam em público, o campeonato recente mais "sem graça" foi aquele em que o Vitória estava na segunda divisão. Para mim, o campeonato perdeu o jogo que mais gostava. Um Braga e um Vitória fortes são sempre algo de muito bom para o campeonato português e para o nosso Minho. Porque os inimigos e aqueles que serem se riem são os dos 3 clubes do costume. Esses é que querem sempre um Braga e um Vitória amiguinho, subserviente e que não lhes atrapalhe a vida. Vivem como abutres para se aproveitarem de bons negócios em que levam os nossos melhores jogadores - algumas vezes para nem jogarem - e mandam uns emprestados para serem valorizados. Esses, sim, não gostam do Vitória, do Braga, do Setúbal, Boavista, Académica etc Esses é que são os inimigos. (cont)

a disse...

Parte 2 - Quanto á comparação dos adeptos - que os vitorianos tantos gostam de fazer - as coisas não são assim tão diferentes mas resultam de um ciclo virtuoso que o Vitória teve durante a gestão de Pimenta Machado e até antes. Com certeza que muitos que apoiavam os clubes de Lisboa se voltaram para o clube da terra e as novas gerações de Guimarães ficaram com o Vitória. Os bons resultados e visibilidade do clube ajudaram muito. Lembro-me que, antes disso, o meu pai e alguns amigos gostavam do Vitória mas também do Benfica ou do Sporting. O próprio Pimenta Machado era simpatizante do Benfica. Com certeza que havia os que gostavam do Vitória e só do Vitória mas também havia muitos vimaranenses de outros clubes. Os bons resultados vieram ajudar a diminuir a diferença e hoje o Vitória tem uma grande e admirada massa adepta. Em Braga, a coisa foi mais complicada. O SCB foi tendo péssimas direções e com a política da câmara e igreja sempre presentes. As novas gerações da época não sentiam o menor apelo pelo clube da terra. A mim, por exemplo, custava-me ver ligado ao SCB um presidente da câmara com o qual não me identificava minimamente. Só o queria longe da minha cidade e do meu clube. Os que eram do Braga tinham que gostar mesmo muito, ter muita paciência para esse cenário e para verem os amigos a festejar os títulos do Porto, Benfica ou Sporting. As coisas começaram a mudar em Braga há uns 15 anos e mais ainda com a gestão do atual Presidente do Clube. Quem estava afastado do SCB reaproximou-se e nas novas gerações - podem ter a certeza - a prevalência é o SCB. Ainda existem muitos adeptos do 3 do costume em Braga, é certo. Mas também existem em Guimarães e sabemos disso. É isso que deveremos evitar, dos dois lados. Quando um vitoriano tenta enfraquecer o SCB ou quando um braguista tenta enfraquecer o VSC, está - antes de mais nada - a fortalecer o benfica, porto e sporting. Tenham a certeza disso. Temos que incentivar os jovens de Braga e de Guimarães a apoiarem o clube da terra. O meu desejo é o Braga campeão sempre, o Vitória em segundo e, em seguida, os cubes apoiados pelas gentes das suas terras. No final e bem lá final ficam esses 3 do costume......Um abraço aos muitos amigos e familiares vitorianos, somos as mesmas gentes e da mesma região. Violência nunca será bem vinda e é coisa de incapacitados. Um VitóriaxBraga ou um BragaxVitória tem que ser sempre uma festa e o jogo mais lindo do campeonato.

Ricardo Moura disse...

Bem......
Até me fugiram me as palavras... eu, que tenho uma posição completamente oposta à sua...
SCB E VSC, juntos contra o sistema... rebetavamos tudo...

De um braguista de alma e coração..

Ângelo Marques disse...

Concordo totalmente com este texto e como adepto do Braga não posso deixar de dizer para se prepararem para ficarem por aí mais uma ou duas décadas se não for mais. O Braga sabe o que quer, tem claramente definidos os seus objectivos, neste momento qualquer jogador quer jogar no Braga e cada vez mais somos mais. O Braga veio para ficar já a uma década e não vai cair. Admito a vossa força como adeptos mas é só mesmo isso falta tudo o resto que está à vista de todos que dificilmente irá mudar.

Miguel disse...

Caro Cirilo,

Em primeiro lugar, dou-lhe os parabéns pelo seu texto. Pela honestidade e porque acredito que lhe tenha doido o coração ao escrever. Se me permite a opinião, penso que neste momento a prioridade do Vitória tem de ser voltar a ser competitivo e deixar de lado a obsessão Braga. E para voltar a ser o que foi, o Vitória precisa de gente que ao mesmo tempo seja competente, perceba de futebol e aja em conformidade com os interesses do clube.
E o próximo passo é já a escolha do novo treinador. Se for Pedro Martins penso que é uma bela escolha. Porque se for Jorge Costa, como já se falou, será mais do mesmo. Cumprimentos.

Anónimo disse...

BRAGA MANDA

Anónimo disse...

Sou do Braga mas respeito os adeptos do vitória
#supportyourlocalteam

Paulo Pinto disse...

Anónimo Anónimo disse...
"Caro Dr. Cirilo, vivo perto das Taipas, onde por certo saberá que há uma grande concentração de marroquinos, potenciado por uma aversão à cidade de Guimarães e alicerçada no braguismo/benfiquismo de algumas das famílias mais tradicionais da zona."
Ora aí está umas das grandes falhas das sucessivas direcções. O VITÓRIA não é só Azurém, Creixomil, Oliveira do Castelo, S. Paio e S. Sebastião.
O VITÓRIA tem que se implantar, maioritariamente, em Brito, Caldas das Taipas, Moreira de Cónegos, Ronfe, Serzedelo..
As direcções também tem que olhar para os vizinhos, Fafe, Felgueiras, Famalicão, S. Tirso.
Mas preferem refugiar-se na sua "redoma de vidro" e ignorar tudo isto.

De Guimarães disse...

Nós só precisamos de ter a força que sempre tivemos e teremos eternamente !
Afastarmo-nos por causa de uma direcção incompetente não é opção,e,só estamos mesmo a contribuir para adiar o enorme futuro que nós vamos ter !
Os que se desmotivram tem de voltar a motivar-sw,e,a mobilizar-se para construirmos melhores soluções do que as actuais,que afastaram,quem se devia ter mantido firme,e,tomado posição com quem nos representa muito mal !
Acreditem e sintam a força do melhor que já tivemos,e,no que muito mais viremos de certeza a ter !
Para inspirar os momentaneamente desinspirados,e inspirar aínda mais os que já o estão deixo aqui este link:https://youtu.be/JA9DXRLjUyo
Nada nem ninguém é Melhor,e Maior que Nós Todos Juntos !!!

Pedro Sousa disse...

Sr. Cirilo com o devido respeito, jámais se esqueça de que foi você que influencifavor favo da actual direcção o resultado das eleições, em que passamos a SAD em vez de SDUQ. Ambos sabemos o que uma e outra representa e o peso e influência dos sócios em cada uma delas.
Você era a figura mediática e a cara de verdadeiro Vitoriano, que está direcção não tinha e eu deu-lhes a confiança dos sócios. Que sirva de lição. Da próxima candidate se você é não contribua para o erguer de estatutos alheios. Desculpe relembrar que você tem culpa neste cartório.
Cumprimentos

Francisco Ferreira disse...

Há alguns dados importantes que não referiu e que são de assinalar:
1º - Temos mais 11 presenças no campeonato;
2º - Começamos a disputar o camp. da 1ª divisão na época de 1941/42 e eles só na de 1947/48 com uma subida polémica. Naqueles tempos o campeão distrital de braga era representante nª 1ª divisão e o Vitória não dava hipóteses.
3º - Temos uma Super-Taça que eles ainda não tem.

O nosso descalabro começou com chegada da "democracia" ao Vitória. Após a renúncia do "ditador" seguiu-se um presidente, empresário de sucesso que até percebe de futebol (vê-se); gentleman num meio mafioso resultou num empurrão para a 2ª Divisão; seguiu-se um empreiteiro bem sucedido que deve perceber de obras mas de gestão desportiva foi um zero.O descalabro. Melhoramos. Temos agora à frente do clube um Engenheiro. Percebe de contas e deve perceber de cálculos, mas de gestão desportiva é o que se vê.Tem a desculpa de estar rodeado de cepos
Os rivais tem um empreiteiro, dizem que falido, mas que teve a virtude de se rodear de gente competente e aqui está quanto a mim o sucesso de um e a decadência do Vitória.
Há que ressurgir, mas aconteça o que acontecer somos Vitória até morrer.
Francisco Ferreira.

Pedro Bastos disse...

Luis Cirilo Carvalho, que o seu texto seja um ponto de partida para um novo olhar sobre esta rivalidade, que se quer saudável, entre clubes e cidades vizinhas.
Podendo parecer um contra-senso, a realidade é que são os sucessos dos rivais diretos que nos motivam e "acordam" para atingirmos patamares mais elevados.
Se não fosse esta rivalidade, tenho a certeza que nem o Sporting de Braga, nem o VSC teriam a importância que têm hoje.
É verdade que nos rimos quando ouvimos os argumentos que enunciou: a presença no estádio, o bi-clubismo, etc.
Contudo, não concordo com a sua visão de se lutar pelo estatuto de 4º grande: já é tempo do futebol português evoluir para algo que vá além deste formato de 3 "grandes" e alguns a colocarem-se em bicos de pés para tentar chegar perto desses.
Não. Devíamos lutar pela existência de 5, 6 candidatos ao título de forma recorrente.
E aí, o Braga e o Vitória tinham tudo a ganhar como estruturas de mudança do atual estado do futebol português.
Já para não falar da projeção que a região alcançaria como pólo de sucesso desportivo.
Da parte que me toca, o único insucesso que desejo ao VSC é que perca sempre com o meu Braga (o mesmo que desejo às outras equipas todas!). Tal como qualquer vitoriano deseja sempre o sucesso do seu clube.
Mas enquanto nos entretivermos em pequenas "guerras paroquiais", os chamados 3 grandes vão alimentando o status quo à nossa custa...

Anónimo disse...

Caro Luís Cirilo.


Até por aqui se vê a grandeza do Vitória.

O Luís Cirilo publica um post que "toca lá no fundo" e aí estão os comentários.

Acredito que seja mais um dos posts que vai para a galeria com mais comentários.

Viva o Vitória. Até com este blog o Luís Cirilo galvaniza mais os sócios que muitas tretas que a direção organiza.

Se eu fosse presidente (ou mandasse alguma coisa) espalhava pela cidade em grandes letras a frase do nosso verdadeiro hino:

"Na derrota ou na glória terás Guimarães inteiro a puxar por ti Vitória"

A câmara também tem que contribuir para o sucesso do Vitória, pois também será o seu sucesso.

Está na hora de galvanizar as pessoas.

Um "cordão humano" no primeiro dia de trabalho da nova equipa (...e que seja um sábado numa tarde de sol!).

Camisolas "baratas" na apresentação da equipa no centro histórico...

Está na hora de galvanizar as pessoas.


Fernandes.

Francisco Guimarães disse...

O texto e muitos comentários são constatações de factos, mas como gosto de estatísticas, permitam-me deitar água na fervura (no escaldar de tristeza dos Vitorianos e no aquecer de felicidade dos Braguistas).
O quarto grande em Portugal, em títulos e palmarés é o Boavista, tem UM campeonato, 5 taças de Portugal e 3 Supertaças.
Nem Braga, nem Vitória e nem Braga + Vitória juntos tem isso.

Isto para dizer que o que se tem passado com o Braga nestes 10 anos ou o que se passou com o Vitória em algumas épocas, ainda é muito pouco para se constituírem como forças alternativas aos 3 estarolas e ao sistema quase centenário do futebol português.
Serão precisos títulos, muitos títulos para alcançar esse objectivo.
E isso não se faz enfraquecendo ou apoucando o vizinho, isso faz-se com cada vizinho a alcançar e ultrapassar o outro, sucessivamente, até ambos se tornarem grandes.

Na parte que toca ao Vitória, a questão não será copiar a gestão do vizinho, será mais acertar e inventar a sua propria forma de crescer e de CONQUISTAR!
O certo é que o que se fez nas ultimas 2 épocas é o puro exemplo do que NÃO se deverá fazer.

Albino Marques disse...

Tenho a solução para o problema do Vitória. O Salvador é negociável. Querem comprá-lo? Nós vendemos.

Luis Filipe disse...

Preparem se para mais uma época a olhar para cima!

Anónimo disse...

Este texto tem um link no sítio do superbraga e por isso aparece aqui muita gente de Braga a comentar. Eu sou um deles: sou sócio do Braga, para que fique claro. Não quero estar a "meter a foice em seara alheia". O Vitória pertence aos vitorianos. Ponto.
Dito isto, dou apenas a minha opinião, se quiserem valorizá-la.
Começo por subscrever a 100% o que um meu consócio braguista escreveu acima, em 2 partes. E também eu tenho família em Guimarães: sou casado com uma vimarenense.
Depois, dizer que o problema da dívida (ou passivo) é um problema REAL. E só quem lá está perceberá, de facto e não em sonhos, as limitações que isso impõe. Nesse aspeto o Vitória é o espelho do nosso país: pode-se dizer que não se gosta da " austeridade" e que se gosta mais do "crescimento" ou do "investimento", etc. Tudo TRETAS! O problema foi deixar-se, com más gestões, arrastar-se para uma dívida exagerada (Portugal = Vitória). Agora não há soluções milagrosas ou volta a dar: ou se paga longamente (com suor e lágrimas), ou é a FALÊNCIA. Não há outra solução, no Vitória, como no nosso país! Todos os outros cenários, são tretas. A realidade é o pagamento das dívidas.
Mas o Vitória é um clube Histórico no futebol português e na região: tem de apostar nos jovens de qualidade e misturá-los com alguns mais consagrados que consiga obter a preço de saldo. Só há esse caminho! E precisa, neste "caminho das pedras", cada vez mais do apoio das suas gentes! Porque há uma coisa que lhes reconheço e admiro, que é igual à nossa aqui em Braga: vocês LUTAM PELA VOSSA TERRA! O que vos move é o Amor ao Clube e não o amor às vitórias. Aqui até criamos um slogan para definir isso:" Quem não sente, não entende!". Então, mãos à obra, pois é precisamente agora que o Vitória mais precisa desse Amor! Porque, realmente, não gosto muito do Vitória (sou de Braga não de Guimarães), mas o que gosto menos é de um país tão pequenino e mesquinho, com tanta falta de cultura desportiva, que só tem 3 clubes de adeptos das vitórias, com 3 jornais, com 3 TVs.. E O RESTO É O QUÊ?? Só existe Lixoboa e o Porto? E Chaves, e Braga, Guimarães, Aveiro, Coimbra, Leiria, Setúbal, Faro, Portimão, Funchal, Ponta Delgada, etc, etc? São o quê?? Restos? Então força nisso! Pela VOSSA TERRA! Porque eu quero um país plural, com muitos pólos de desenvolvimentio, e que um dos maiores volte a ser esta nossa região do MINHO (como na Holanda, em que a sua capital, Haia, perde para outros pólos mais fortes como Amesterdão ou Roterdão). Não quero um campeonato só com os 3 clubes corruptos do sistema! Não quero um país centralizador e corrupto! Fiquei desolado pelo que aconteceu ao Beira Mar e este ano à Académica! :-( Tenho pena do momento débil de clubes como o Setúbal ou o Marítimo (a final da Taça da Liga mostrou bem). Ver um Arouca ficar em 5.° (sem lhes tirar o mérito próprio), diz bem do quanto os 3 grandes dizimaram os outros clubes (não há "classe média" que lhes faça frente, rebentaram com eles). Torci para que o Portimonense regressasse à 1.a Liga... Esse era o país - plural e desenvolvido - que eu gostava de ter. Não esta miséria servilista, centralizadora e fascista, com uma propaganda mediática para imbecis acerebrados. Força Vitória! Força Guimarães! (mas que ganhe o Braga) C.A.

Bruno Lopes disse...

Este texto é o espelho da pura realidade.
Parabéns...

Alberto Sá disse...

Sou associado do SCBraga de longa data estou feliz com o percurso do meu clube..A vida é feita ciclos andei muitos anos a olhar para cima e nunca conseguia alcançar o Vitoria..Não sou anti-vitoriano espero que encontrem o vosso rumo não estou por dentro do clube mas parece que Júlio Mendes é um presidente sensato e competente sejam felizes.

Manuel Ribeiro disse...

A realidade presente e futura do Vitória nunca poderá ser desligada da cidade e do concelho. Digo-o com mágoa: O Vitória nunca conseguiu projectar-se para além daquele espaço fisico. E esta condicionante assume-se determinante para o futuro do Vitória. Só será grande no futuro quem tiver adeptos, simpatizantes, seguidores. Esse desiderato só se consegue quando Guimarães e o concelho se assumirem como cosmopolitas e não como um grupo de sectários - tipo seita - fechado, hostil e único. Esta caracteristica, aparentemente boa, condiciona e determinará o futuro menos bom do Vitória. Reveladores disso, vejam quantos adeptos das equipas adversárias se deslocam a Guimarães; o ódio que quase todas os adeptos das restantes equipas revelam pelo "Guimarães" - não dizem Vitória. É uma realidade que me magoa pois gostaria de ver reconhecido em todo o pais e no estrangeiro o Vitória, por aquilo que joga, como noutros tempos, mas também pela simpatia, bem receber, e tolerância. Se os Vitorianos, actuais e os que hão-de nascer não forem por aí, os 100.000, 150.000 vitorianos que existem, calculo, nunca serão mais. E o Vitória será reduzido a isso. Só o amor extremo que anula a razão não chega. Um bem haja para todos os Vitorianos de bem.

Dulce disse...

A análise que fez está 100% correta.
Falta apenas saber o que o Braga fez que nós não fizemos. Dificilmente esses resultados se devem à capacidade de gestão do presidente daquele clube, agora as ligações que possui já são outra história.
Saberá melhor do que eu que o Braga cresceu à sombra de grandes negócios com o maestro das marionetas do futebol que é Jorge Mendes, F.C. Porto e da câmara municipal de braga. Correu-lhes bem...
Estamos neste momento preocupados com o Rio Ave, Paços de Ferreira ou Arouca? Mais uma vez temos o maestro a comandar estes clubes.No final tudo se resume a isto, os critérios de gestão são diferentes, as conexões não são tão poderosas!!!
Seguimos um modelo de gestão parecido com o da Gestifute, comprar barato, potenciar e vender. Umas vezes correu bem, outras vezes menos bem, mas não foi de todo mau. O maior problema é que continuamos permeáveis às pressões e condicionamentos dos 3 estarolas. É ridículo o que nos tem acontecido em todos os mercados de janeiro. É triste e repugnante. A quem podemos culpar? Obviamente esta direção, mas também não se livra de alguma responsabilidade. Deixou cair a sua candidatura em favor de Júlio Mendes e depois deixou a direção do clube. Não sei quais foram as suas razões, não quero saber. O que sei é que a sua saída deixou a direção do nosso clube sem alma vitoriana e o sentimento que fica é que não lutou o suficiente, ou não pode lutar, contra os interesses instalados no nosso clube. E se o senhor, pessoa tão ciente das dificuldades que nos rodeiam, com o apoio e confiança dos adeptos não pôde lutar, isto é capaz de ser difícil.
Somos adeptos fervorosos, fiéis e orgulhosos de sermos Vitória, não somos deste clube pelos títulos, somos deste clube por uma fé por um sentimento de pertença e isso é que nos distingue e não deve ser motivo de vergonha.
Sentir-me fragilizada pelo braga estar a ter um ciclo melhor que o nosso, não está nos meus genes vitorianos. Nos meus genes está a certeza de que vamos mais cedo ou mais tarde ser o Leicester português, mas para isso precisamos de timoneiros fieis e competentes e acima de tudo VITORIANOS!!!

Saudações Vitorianas

Pedro Silva disse...

Bom dia Sr. Cirilo

Bom, ando a dizer o mesmo vai já para alguns anos...
Por ironia do destino vim viver para braga e sinto que esta "inveja" positiva se faz sentir sobre mim se uma forma mais peculiar.
Desde há muito perdemos esta "guerra"primeiro para o Boavista, mas enfim o Boavista era do sistema e pairavam sempre suspeitas graves sobre o mesmo e nós usávamos tudo isso para disfarçar o nosso insucesso, mas agora o Braga que joga bem desde que Salvador arranjou este projecto solido, alicerçado em bom futebol e resultados desportivos que aparecem quase todos os anos.
Nós não temos comparação, só neste últimos anos eles fizeram melhor que nós em toda a nossa história:
Taça intertoto ganha, final da liga Europa, 1 taça de Portugal, 1 taça da liga e vários 2 e 3 lugares, para além de cronicamente ficarem sempre em quarto lugar, apenas em 2007 no ano cajuda nós conseguimos ficar na frente deles. Muito mau, da nossa parte!
Não se enganem! Braga tem adeptos tão bons como os nossos, mais confiantes e menos pessimistas fruto da confiança que vem por parte da equipa e da forma positiva com que joga, para ganhar, e não da forma que nem sei classificar como já o vitória joga, como está época foi exemplo. Cada vez mais os mais pequenos gostam do clube e mesmo as pessoas que cá vêm ter como por exemplo para a unversidade, vão aos jogos e gostam do clube. Não neguem os factos, o vitória está hoje perdido, numa gestão amadora e provinciana, sempre a apregoar os adeptos fantásticos que tem, mas que não ganham jogos e que parecem em boa verdade cada vez menos.
Precisamos claramente de outra política, para que finalmente possamos ser um clube consolidado, que luta para num ano a liga Europa e no outro para não descer, e com sorte isto da taça de Portugal um dia aparece. Ganhamos a taça porque tivemos o treinador mais competente da nossa história, que com nada, fez muito, mas não ganhamos como o braga com uma política desde há muito feita para isto sendo que merecidamente finalmente o conseguiu.
Não caiamos na clubite louca e saibamos finalmente fazer a nossa análise e tornar o clube naquilo que ele sempre mereceu, porque temos adeptos de liga dos campeões e direções amadoras, com gente que a única coisa que quer é ser conhecido na sua terra, assim temos equipas no campo medrosas, que perdem com todos e qualquer um, inaceitável!
Bastou ver estes jogadores este ano, com Rui vitória eram bons com SC são medíocres, joué, João Afonso, Bruno Gaspar...
Precisamos é merecemos uma equipa do tamanho dos adeptos que temos, grande! Como disse o Pedro Martins hoje!
Espero que seja um bom momento de viragem a propósito.
Um abraço a todos os vitorianos!

Pedro Silva

Anónimo disse...

Olá, começo por dizer que sou adepta ferranha do Braga e nunca gostei desta rivalidade que os bracarenses e os vitorianos têm... Quanto à diferença entre os dois clubes, ok temos mais trofeus que vocês, e daí? Temos que parar de comparar-nos com os outros clubes. Nao gosto nada de ver um adepto bracarense a falar mal de outros clubes quando deveria estar a enaltecer as cores do seu, por isso acho que vocês nao deveriam de preocupar só porque não têm tantos titulos...A seguir aos clubes grandes, o braga e o vitoria são as equipas com mais adeptos e é isso que importa, não temos as facilidades dos clubes grandes mas temos uma coisa que eles não têm que são os melhores e mais leais adeptos. :)

De Guimarães disse...

Eu procurei no SuperBraga.com a publicação em que seguem este tópico,e,não consegui encontrar...Se alguém me informar,registo-me e vou querer ajudar a incentivar esta onda positiva para que dure pra sempre e que cada vez seja mais forte entre os Nossos e os vossos adeptos.
Apelo a que nós Vitorianos nos registemos no site deles,e eles na VitóriaSempre.net,e que também nos registemos em massa nos sites de adeptos de outros clubes menos nos das 3 máfias do costume.
Espero e desejo que aceitem este desafio de consciencializar,e incentivar com toda a nossa força a que a população das cidades desses clubes passem a apoia-los em cada vez maior número,e deixem de apoiar os titulos das máfias conquistados à custa do apequenamento desses clubes !Incentivar-lhes também mais exigência com as respectivas direcções para que parem de se submeter às máfias,seja através de empréstimos de jogadores,de fretes vários que só favorecem os do costume,de se sujeitarem a todo o tipo de intimidações,e chantagens,de se prestarem a interesses de empresários,de televisões,e jornais ao serviço das máfias legitimadas por quem as serve e também lucra com isso,e também por nós que durante este tempo deixamos que nos dividissem para o sistema mafioso continuar a reinar !
Adorava que aderissemos todos ao que vos proponho !
Dêmos todos um definitivo BASTA ao feudalismo desta minoria que mina uma maioria que se todos quisermos se vai unir e cortar os tentáculos deste polvo nocivo !

Anónimo disse...

As palavras do "De Guimarães" são bonitas, mas bonito bonito, era um jogo VSC-SCB (ou SCB-VSC) com os adeptos a confraternizar antes do jogo no Largo do Toural ou no Largo da Oliveira... Isso é que era... diria que era inédito na Europa e uma valente "chapada de luva branca" ao Porto e a Lisboa!

Isso E O Fim disse...

Isso era óptimo !
Prá frente com isso ! :)

De Guimarães disse...

Óptima ideia !
Prá frente com isso !

De Guimarães disse...

É preferivel retirarem o meu penultimo comentário que eu inadvertidamente coloquei com o endereço de um blog cujo conteudo pode ferir algumas personalidades mais susceptiveis.

Marco Ribeiro disse...

Caro Luis Cirilo,

Concordo com o seu texto, mas já agora gostava de ouvir a sua opinião sobre a seguinte declaração do Pedro Proença:

"Pedro Proença: “É uma inevitabilidade o Braga ser campeão nacional”" in http://observador.pt/2016/02/15/pedro-proenca-inevitabilidade-braga-campeao-nacional/

O que me intriga é a palavra inevitabilidade, será que Pedro Proença apenas expressou um desejo de ver mais equipas a serem campeãs ou terá fugido a boca para a verdade e quem é campeão pode ser determinado por factores externos aos jogos. Afinal de contas isto é o futebol português.

Abraço,
Marco

luis cirilo disse...

Caro Fernandes:
Há várias pessoas em Guimarães que podem presidir ao Vitória com sucesso. Importa é terem uma boa equipa directiva e um bom projecto desportivo.
Caro Pedro:
Eu não disse isso. Agora eu sou institucional na análise. A direcção tem mandato até 2018 e a administração da SAD parece que vai ser reeleita no dia 18 de Junho correspondendo as escolhas a quem tem a maioria das acções. E é com estes eleitos/nomeados que o Vitória tem de viver a sua vida até que em eleições os associados possam escolher entre várias opções caso elas apareçam. Agora uma coisa garanto: Nem me iludo nem vou atrás de propaganda.
Caro José Manuel Ferreira.
se há coisa que tenho a certeza,embora não saiba se é possível tão cedo, é que Vitória e Braga tem de se entender em volta do que é essencial. No interesse de ambos.

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
É a sua opinião. A opinião de quem não percebeu. É a vida...
Caro a:
Dou-lhe os mais sinceros parabéns pelos seu comentário.
Com que estou genericamente de acordo porque traduz uma visão da realidade muito correcta e adequada aos tempos que vivemos.
Percebo bem o seu ponto de vista até porque eu também tenho família em Braga e até um primo direito, com quem me dou magnificamente, que já foi por várias vezes director do S.C Braga. E embora a rivalidade nos terrenos de jogo e entre adeptos faça parte intrinseca da realidade dos dois clubes temos de ser inteligentes e perceber,como muito bem explica, que os "inimigos" são outros. E esses outros muito se divertem com as "guerras" entre Vitória e Braga.
Os novos tempos do futebol vão exigir outras atitudes e outra visão das coisas.
Caro Ricardo Moura:
O futuro se encarregará de demonstrar que entre vitorianos e braguistas devem existir mais convergências do que divergências. A rivalidade tem o seu papel mas não nos pode cegar. Porque outros lucram...
Caro Angelo Marques:
Espero que esteja enganado. Em Guimarães houve tempo em que pensávamos assim e depois é o que se tem visto.

Anónimo disse...

1 - Li o artigo por casualidade, e não posso assumir que discordo.
No entanto, sei do seu clubismo e que em muitas vezes, caiu num discurso anti Braga, por vezes agressivo e injusto, tal e qual o que hoje alude existir em alguns dos seus…
Queria antes de tudo, corrigir a informação: estivemos por 2 vezes na liga dos campeões e não 3


Mas queria acrescentar algo.
Não entendo porque diz que a nossa conquista da TdP equiparou o feito do Guimarães. Não. Nós já tínhamos uma TdP há quase 50 anos.
Diz-me que o Guimarães foi a primeira equipa fora de Lisboa e Porto e ir à (pré eliminatória) da Liga dos Campeões. É um detalhe que nunca tinha visto, mas concluo que o SCBraga é a primeira equipa fora de Lisboa e Porto a ir a fases finais da LC.
Tal e qual, somos a par dos 3 do costume, a única equipa portuguesa com presenças em finais europeias, e quer se queira quer não, temos um titulo de cariz europeu : Taça Intertoto.
Queria também sublinhar, que não temos a supertaça, sim.
Mas temos umaa Taça da Liga, competição que parece que nunca interessa a ninguém que a perde…
Temos uma Taça da Federação (foi uma competição só realizada por um ano, mas onde participaram todos os clubes da 1ª e 2ª divisão – não sei os moldes da competição, mas é um título nacional, por ventura pouco falado porque só houve uma edição e que não foi ganhar por nenhum dos 3).
Por fim, omite, mas não se esqueça também, de que o SCBraga é o clube há mais anos na 1º liga. No seu artigo, nunca referiu, mas também o Guimarães tee várias épocas sofridas e numa das quais, desceu mesmo.
(cont)

luis cirilo disse...

Caro Miguel:
Da minha parte não há nenhuma obsessão com o Braga. Apenas um referencial em termos de avaliar o que tem sido a evolução de dois clubes vizinhos e aquilo porque cada um luta nos tempos que correm. Quanto ao resto estou de acordo.
Caro Anónimo:
Não manda não. Se mandasse tinha ganho o campeonato com Domingos Paciência. Mas cada um é livre de se iludir.
Caro Anónimo:
E eu sou do Vitória mas respeito os verdadeiros braguistas. Aqueles que só gostam d eum clube.
Caro Paulo Pinto:
Creio que nos ultimos anos tem sido tomadas algumas medidas para ultrapassar esse problema mas ainda há muito por fazer. É por isso que detesto ver associar o nome do clube apenas à cidade como se por acaso no resto do concelho não houvesse imensos vitorianos. o Vitória tem sede na cidade mas é um clube da região.
Caro De Guimarães:
Há valores que são do nosso ADn e que tem ficado algo para trás é verdade. Mas não duvide que para voltar a galvanizar os adeptos são precisas duas coisas pelo menos: Um discurso mobilizador e uma equipa ganhadora.
Caro Pedro Sousa.
Acredita que há erros que nunca mais repetirei na vida. Esse que aponta é daqueles que mais me penaliza pode ter a certeza.
Caro Francisco Ferreira:
A estatistica é importante mas é...estatistica. E hoje dizermos a um jovem para ser pelo Vitória porque temos mais 11 presenças que o Braga não serve de nada. É preciso,isso sim, fazermos ressurgir o "tal" Vitória de que muitos não gostavam mas a quem todos tinham respeito.
Caro Pedro Bastos:
Estou de acordo consigo. Claro que a nossa Liga, como por exemplo a inglesa, tinha muito a ganhar se tivesse sempre 5 ou 6 candidatos. O Braga está a fazer o trabalho nesse sentido. Espero que o Vitória o faça também. O meu texto é, de alguma forma,um contributo apra que a realidade seja olhada de outra forma.
Caro fernandes:
Está realmente na hora de galvanizar as pessoas e de (como digo muitas vezes) "acordar o gigante". Não é difícil. desde que se saiba é claro. Quanto a este texto não foi o que teve mais comentários nos dez anos do blogue mas foi, de muito longe, o que teve mais visualizações.Cerca de 35.000 o que é um número espantoso.
Caro Francisco Guimarães:
Inteiramente de acordo.
Caro Albino Marques:
Sinceramente? Não!
Caro Luis Filipe:
Todos olharemos para cima enquanto não formos campeões.
Caro Anónimo (C.A.)
Concordo consigo e dou-lhe os parabéns pela lucidez da sua análise. De facto o grande mal do nosso futebol é mesmo a macrocefalia dos chamados "grandes" que progressivamente tudo vai secando em seu redor e dando cabo de clubes históricos como aqueles que referiu. Vitória e Braga são as "pequenas aldeias gaulesas" que restam mas estão cada vez mais cercados pelos outros e por aqueles que com eles são coniventes. Uma das coisas que mais me agrada nos comentários a este texto é o aqui terem aparecidos vitorianos e braguistas que com as naturais divergências que os separam estão convergentes naquilo que deve ser a estratégia quanto ao futuro e ao inevitável entendimento que os dois clubes (e outros...) tem de fazer em volta de questões essenciais.

Anónimo disse...

2 - Acerca da proclamada paixão vimaranense vs braguista, nem tanto ao mar, nem tanto à terra : é tão falso dizer que os braguistas são bi clubistas, como em Guimarães serem todos adeptos de um só clube.

De facto, Braga como 3ª maior cidade, absorver milhares de pessoas oriundas de fora. Inevitavelmente, vieram com as suas paixões clubísticas. Maioritariamente benfiquistas por certo…
Braga, ao invés de Guimarães, cresceu imenso. Termos adeptos de outros clubes na cidade, não menoriza os braguistas. Faz parte da composição normal dos habitantes da cidade. Não há nada a fazer.
Por outro lado, é verdade que o clubismo assenta em resultados.
E se Guimarães teve uma década de 90 mais favorável, a nossa história teve altos e baixo (atenção, de que não partilho a ideia de que antes deste sucesso destes últimos 15 anos, não eramos nada no panorama nacional ! Não… Estivemos em finais da TdP, fomos à UEFA e com maior ou menor dificuldade, sempre fomos um clube de 1ª.


Sem querer parecer vaidoso, arrogante ou petulante, quero afirmar que como braguista (e que sou desde miúdo), o sentimento em relação ao Guimarães mudou muito. Continua a existir aquela rivalidade e vontade de ganhar, claro ! Mas com toda a sinceridade: neste momento é como diz: os adversários desportivos aos quais fazemos contas são outros 3.

Por fim, discordo da questão das assistências de Braga e de Guimarães.
Utilizando os seus termos: penso que se híper valoriza as assistências vimaranenses e empequenecem as de Braga.
Por um lado, a diferença é demasiado pequena para tanto ruído que às vezes se ouve. Diferença há sim, mas entre Braga/Guimarães e 3 clubes. E como há diferença sim, destes 2 para os outros que vem abaixo.
Até podia alegar imensas particularidades que não atraem mais gente, como o estádio ser fora da cidade, ser pouco funcional, ter acessos e estacionamento muito limitados, preços do clube (não só os nossos preços são mais altos em todas as categorias, como p.ex até crianças pagam quota mensal e cadeira) e porque não, uma quantidade de jogos muito maior e que para acompanhar, nos faz despender crescentes verbas.
Igualmente e sem querer polémicas, nem sempre se compreendem alguns números das assistências em Guimarães comparativamente a Braga, dada a quantidade de pessoas que à vista, se constatam estarem nas bancadas…

Anónimo disse...

3 - Termino : Braga e Guimarães manterão sempre uma rivalidade. Não concordo com atos de violência, como os que existem e oxalá um dia terminem.
Mas uma coisa é certa: os 2 clubes ganharão muito mais se estiverem juntos contra o sistema, do que a lutarem entre si. Podem não concordar: mas em 2009/2010 só não fomos campeões, porque s sistema não deixou. Hoje nós, amanhã vocês.

(ps : identifiquei-me em mensagem privada junto de Luis Cirilo)

luis cirilo disse...

Caro Bruno Lopes:
Obrigado. tentei que fosse.
Caro Alberto Sá:
É como diz. A vida é feita de ciclos. Lá chegará o tempo de voltarmos a ser superiores ao Braga.
Caro Manuel Ribeiro:
Percebo o seu ponto de vista e concordo em algumas coisas. Noutras não. Os vitorianos tem caracteristicas muito próprias e no dia em que as perderem o Vitória será como os outros.
E a maioria dos clubes não traz cá adeptos em número significativo não por medo mas por pura e simplesmente não os terem.
Cara Dulce:
Gostei muito da sua análise que considero correcta. Até no que a mim diz respeito.
E refere algumas coisas importantes desde a preponderância de Jorge Mendes nalguns clubes até aquilo que foi o modelo de crescimento do Braga.
Preocupa-me muito, como imaginará, a possibilidade de Deco vir a assumir um papel accionista na nossa SAD porque isso equivalerá a colocar-nos nas mãos de...Jorge Mendes.
Como me preocupa e tenho-o escrito bastas vezes a politica de empréstimos que nos enfraquece face aos três estarolas.
Por isso no projecto desportivo apresentado aos sócios (que era o projecto desportivo da minha candidatura) se era claro na rejeição de jogadores emprestados por clubes com que disputamos competições.
Com isso, e até prova em contrário,só lucra quem empresta.
Quanto ao futuro continuo a acreditar firmemente que o Vitória será um dia campeão nacional de futebol.Mas claro que muita coisa tem de mudar dentro do clube/SAD. Muita mesmo.
Caro Pedro Silva:
Apenas posso estar de acordo consigo. E juntar os meus votos ao seus no sentido de com Pedro Martins se começar a abrir um novo ciclo no futebol vitoriano. É bem preciso. Mas prefiro esperar para ver...
Cara Anónima:
Espero que as coisas evoluam no sentido que preconiza. Será bom sinal.
Caro De Guimarães:
Acho que tudo que possa contribuir para a conjugação de esforços entre os adeptos dos dois clubes e contra os 3 estarolas é positivo. A rivalidade não pode ser um muro intransponível.
Caro Anónimo:
Quem sabe...um dia...
Caro Isso é o fim:
A seu tempo...

luis cirilo disse...

Caro Marco Ribeiro:
Não sei o que queria dizer Pedro Proença com isso. Espero que se referisse a mais clubes para além dos 3 habituais poderem ser campeões. Mas ele vem de um sector que esteve sempre na primeira linha dos que impediam que esses outros clubes pudessem ter essas aspirações por isso não sei messo que lhe diga.
Caro Anónimo:
Não recebi nenhuma mensagem privada com a sua identificação.
Quanto ao resto é preciso que leia com mais atenção o que escrevi porque a comparação que fiz foi sobre os ultimos dez/doze anos e não sobre a História total dos dois clubes. E daí o afirmar que a taça ganha ao Porto equiparava as vitórias dos dois clubes nesse período de tempo.
Outra questão tem a ver com o meu clubismo que nuca escondi nem dissimulei atrás do politicamente correcto. sei é separar as coisas e não creio que alguma vez tenha sido injusto em relação ao Sporting de Braga. Sempre disse o que penso. Posso é aqui ou ali não ter razão mas isso acontece com toda a gente que tem opinião e a publica.
Quanto aos adeptos eu percebo o incómodo e a necessidade de invocar os que vem de fora para justificar a falta dos locais mas essa é uma questão de sempre e não de agora. Eu vou ao futebol a Braga há quase cinquenta anos, já lá vi muitos jogos do Braga com outros clubes que não o Vitória, e vi no 1º de Maio cenas que ainda hoje recordo com espanto como o algumas pessoas à minha volta festejarem com igual entusiasmo golos do Braga e do Benfica!!! Não me contaram, eu vi. Na bancada central logo abaixo da tribuna.
Guimarães também cresceu, também recebe milhares de pessoas que vem de fora para estudarem na U.Minho e nunca nos passaria pela cabeça justificar com isso a falta de clubismo dos vimaranenses. Até porque felizmente não existe.
O essencial, independentemente dos ciclos de sucesso de cada um dos clubes,é que ambos saibam unir-se no essencial contra os verdadeiros "inimigos". Que são três e estão bem identificados.
Quanto a 2009/2010 sou o primeiro a estar de acordo que o Braga só não foi campeão porque o "sistema" não deixou.
Tal como acontecera com o Vitória em 1968/1969 e em 1986/1987.