segunda-feira, janeiro 23, 2017

O "Borrego" Morto

O Vitória não ganhava em Braga há catorze anos.
Umas vezes por mérito do adversário, outras por demérito próprio, outras ainda porque não o deixaram as forças "sistémicas" em que o Braga se mexe muito melhor e usa a seu favor de que a famigerada arbitragem do famigerado Soares Dias é o melhor dos exemplos.
Ontem não parecia muito provável que o "borrego" tivesse o seu ultimo dia de vida.
Porque o Braga está melhor classificado, porque a equipa vitoriana vinha de uma série de resultados menos agradáveis e exibições pouco convincentes, porque por razões diferentes se encontrava privada de Marega , Rafael Miranda e João Pedro (três jogadores fundamentais) e porque o árbitro era Fábio Veríssimo de quem já esta época temos fortes razões de queixa.
A verdade é que um dérbi é sempre um dérbi e quando de dérbis se trata há lógicas que ou não funcionam ou funcionam ao contrário do esperado.
E por isso se assistiu a uma entrada fulgurante do Vitória que em dezasseis minutos fez dois golos ( e pouco depois ainda atirou uma bola à barra) enquanto o Braga parecia aturdido pelo rumo que o jogo estava a tomar e que era seguramente bem diferente do que esperava.
Creio que as linhas mestras do triunfo vitoriano assentaram essencialmente em três vectores:
Uma segurança defensiva assinalável que soube sempre tapar os caminhos ao adversário e que teve em Douglas um ultimo recurso em bom plano mesmo considerando o "franguito" no último minuto.
Um meio campo, privado dos dois habituais titulares (João Pedro e Rafael Miranda) mas em que João Aurélio e Zungu souberam estar à altura através de actuações de grande rigor táctico e construindo com Hurtado uma superioridade no meio campo de que o Braga nunca se conseguiu libertar.
E um (contra)ataque "explosivo com Soares e Hernâni em grande plano que transformaram a noite da "Pedreira" num verdadeiro pesadelo para os donos da casa.
O Vitória esteve tacticamente muito bem.
Mesmo num recuar de linhas após o segundo golo que deu mais espaço ao Braga mas um espaço muito longe da baliza vitoriana e que nunca causou a quem defendia particulares embaraços dado que a superioridade do adversário em termos de posse de bola foi sempre ineficaz.
Está morto o "borrego"!
De forma justa, meritória e que premeia aquela que foi a melhor equipa no jogo de ontem.
Uma equipa que quase nunca dominou o jogo em termos de posse de bola mas sempre o teve controlado em termos de ocupação de espaços e processos de jogo.
Iniciada a segunda volta com a devolução da "gentileza" da primeira jornada o Vitória está agora plenamente metido na luta pelo terceiro lugar com um Braga que nada ganhou na troca de Peseiro por Jorge Simão e com um Sporting em plena desagregação e que promete um final de época absolutamente penoso.
Pelo que do Vitória apenas se devia esperar um redobrar de ambição e um fortalecimento das apostas.
Só falarei sobre entradas e saídas depois de 31 de Janeiro.
Mas não posso deixar de considerar que com a pré eliminatória da Champions( e respectivos milhões) no nosso radar, com o entusiasmo em crescendo dos adeptos vitorianos, com a vulnerabilidade dos nossos adversários directos as notícias que tem vindo a público sobre transferências vão no sentido contrário ao desejável.
Porque onde se esperava reforço pela soma tem-se assistido a um enfraquecimento pela subtracção.
E quem quiser fazer do jogo de ontem uma "andorinha" que anuncia a "Primavera" está muito enganado.
Ou a querer enganar.
Depois Falamos.

P.S. Fábio Veríssimo até teria rubricado boa exibição se tivesse tido a coragem de disciplinarmente agir com outro rigor face aos da casa.
Assim ficou-se pela mediania.

4 comentários:

Paulo Pinto disse...

Boa tarde.
Mais uma vez me vou repetira. Pela "enésima" vez.
Actualmente; parece, eu repito, parece, que o VITÓRIA, clube e SAD, é gerido a partir da Torre das Antas. Os adeptos do Contumil referem-se ao VITÓRIA, jocosamente, como a equipa "C". Depois basta ver as figuras que os "nossos" dirigentes fazem pelo Dragão. Aparvalhados, eufóricos, bajuladores, subservientes,..., a assistir aos jogos do FCP. A isto juntam-se ligações "nebulosas" ao Deco e outros empresários que estão na "esfera" do Bimbo da Costa.
Sempre "passaram a perna" ao VITÓRIA. Sempre. Desde o caso Zahovic, pelo menos que eu me lembre.
No negócio Soares vamos, uma vez mais ter prejuízo, desportivo e financeiro. Ficamos sem o nosso melhor avançado e sem qualquer retorno financeiro. A ser verdade o que li, o Soares foi emprestado por € 500 000. Depois pagou, recentemente, mais € 500 000 por um percentagem do passe. A isto se juntarmos as comissões ainda vamos ficar em débito.
Já era tempo de arranjar uma direcção à altura do clube e dos seus adeptos. Depois do Milo lampião. Temos o Mendes & Marques do Dragão...

Anónimo disse...

Vitória sem espinhas no campo, goleada nas bancadas. Demonstração de força da nossa massa associativa, a mostrar claramente quem é o maior e quem é o mais vulgar.
Uma vitória de resto que é para mim um marco importante no regresso à normalidade: andar por cima do Braga. E uma anormalidade durar 15 anos já foi demais.
Quanto ao mercado, o melhor é mesmo esperar para ver, mas à inevitabilidade das saídas +/- anunciadas, os bons sinais de Zungu e a entrada de Rafael Martins podem atenuar o prejuízo desportivo. Aguardar por outras entradas, mas com mais um ou outro reforço (Sérgio Oliveira ou André André eram benvindos), a continuidade de Marega, podemos ambicionar o 3º lugar.
Ficar acima do Braga penso que será uma realidade, sinceramente estamos mais fortes. Estamos na luta pelo 3º, no mínimo...

De Guimarães disse...

Vitória justa !
O douglas muito inseguro nos cruzamentos e com um parrecaço inadmissivel!
O nosso G.R. chama-se Miguel Silva !
Nas bancadas como sempre é aquela maquinôna de apoiar desde o 1º ao ultimo segundo independentemente do resultado ! :D

luis cirilo disse...

Caro Paulo Pinto:
Percebo bem a sua revolta com mais um "negócio" difícil de perceber.
Foi por estas e por outras que sempre defendi que o Vitória devia ter relações institucionalmente correctas com todos os clubes que nos respeitem mas jamais devia entrar pelo caminho de ter jogadores emprestados por clubes com quem disputa competições.
Criam-se dependências que depois nos saem caras.
E admira-me que ainda não tenham percebido isso.
Caro Anónimo:
Quem me dera o seu optimismo.
A verdade é que ainda não vi entrarem reforços na quantidade e qualidade necessárias a lutar pelo terceiro lugar. Nem sequer pelo quarto para sermos sinceros. Acredito que se eles ainda vierem podemos entrar na luta pelo terceiro mas caso contrário dificilmente conseguiremos melhor que o quinto!
Caro De Guimarães:
De facto o Douglas teve dois erros que podiam ter comprometido o triunfo mas é um guarda redes que já nos deu muitos pontos. sem prejuízo de considerar que o Miguel Silva foi injustamente preterido depois da excelente época que fez o ano passado.