quinta-feira, novembro 19, 2015

Que Vergonha!



Confesso que ás vezes a minha capacidade de me indignar ainda me consegue surpreender!
Com quarenta anos de vida política, com tantas experiências acumuladas, com tanta coisa inacreditável a que já assisti acho difícil indignar-me com alguma coisa que suceda na política portuguesa  pese embora as ultimas semanas terem sido férteis em motivos para isso.
Mas na passada semana ao ler a revista "Sábado" confesso que ainda me surpreendi e indignei.
A referida revista perguntou aos 230 recém eleitos deputados o que pensavam sobre a providência cautelar dos advogados de Sócrates ( e incrivelmente despachada favoravelmente pela Justiça que temos) que visava impedir os orgãos de comunicação social do grupo Cofina de publicarem noticias sobre o caso em que Sócrates é arguido.
Não é uma questão menor.
Tem a ver com direitos, liberdades e garantias e mais especificamente com liberdade de imprensa.
Liberdade em suma.
Ao contrário do que seria expectável, e que seria os 230 eleitos repudiarem essa medida que coarta a liberdade, assistimos ao vergonhoso resultado que a seguir se discrimina:
158 deputados não responderam à pergunta. Como se o assunto fosse menor e não lhe devesse ser dada qualquer importância.
58 recusaram responder com o argumento de que não se queriam pronunciar sobre o assunto.
8 (todos do PSD) manifestaram-se, honra lhes seja feita, contra essa decisão censória.
6 (5 inevitavelmente do PS e 1 inacreditavelmente do PSD) manifestaram-se de acordo com a censura dos tribunais.
Já nem vou falar da CDU das "amplas liberdades", nem do BE que se julga acima da moral comum e censura tudo e todos mas se cala num caso destes, tão pouco do PS a quem o assunto incomoda- e muito- e que se dividiu entre os 5 defensores da censura e os restantes que se calaram que nem ratos.
Mas admira-me muito (e desilude-me imenso) que no meu partido apenas oito deputados tenham tido a frontalidade e a coragem de assumirem uma posição de repudio quanto à censura.
E por isso digo que nesta matéria me senti bem representado, enquanto cidadão, por Carlos Abreu Amorim, Firmino Pereira, Pedro Pinto,Duarte Marques,Ulisses Pereira,Sérgio Azevedo, Maria João Ávila e Carlos Páscoa.
Pelos outros não.
E tenho muita pena disso!
Depois Falamos.

2 comentários:

A CA SO disse...

Como vês, já nao estava lá. Senão, seria mais um dos que te irias orgulhar.
Abraço.

luis cirilo disse...

Caro A CA SO:
Não tenho duvidas disso.
Abraço