quinta-feira, novembro 12, 2015

ADN



O que levará quatro cidadãos, praticantes em três desportos diferentes, a exibirem símbolos do Vitória em momentos tão relevantes das suas carreiras desportivas?
Na conquista da taça de Inglaterra, do ATP de Valência, do campeonato da Alemanha e no campeonato nacional de ralis.
Jogando por outros clubes que não o Vitória ou praticando modalidades em que o Vitória não compete.
A resposta é simples de dar, fácil de entender para os "nossos", mas continua a suscitar admiração e espanto em muitos dos outros.
Chama-se ADN Vitória e é aquilo que torna os vitorianos diferentes de todos os outros adeptos em Portugal.
O orgulho no nosso emblema e na figura de D. Afonso Henriques.
A profunda identificação entre o clube e o concelho em que está sediado.
O sermos orgulhosamente vitorianos rejeitando bi clubismos e preferindo as derrotas do Vitória aos triunfos de clubes que nada nos dizem.
A inabalável convicção de que tudo que ganhamos foi por mérito próprio e a certeza que se não ganhamos mais foi por que não nos deixaram por meios ilícitos.
O sabermos que o ecletismo é uma marca identitária do nosso clube e através dele se alicerça o nosso crescimento em palmarés, em títulos e na captação de novos adeptos para o nosso clube.
O constatarmos que há muitos que não gostam de nós, nos detestam até, por sermos como somos e amarmos o nosso clube da forma intensa que o país conhece.
O termos enorme orgulho em Guimarães ser uma cidade livre de "feitorias coloniais" (leia-se casas de outros clubes) ao contrário do que acontece com a generalidade das cidades portuguesas em que o clube local é o segundo ,terceiro ou até quarto clube.
Tudo isso, e muito mais, faz parte do ADN Vitória.
E por isso os gestos de Pedro Mendes, João Sousa, Fernando Meira e Pedro Meireles causarão estranheza a muitos mas são para nós, vitorianos, perfeitamente normais.
Afinal que vitoriano não gosta de associar o Vitória aos seus próprios êxitos ?
Depois Falamos.

10 comentários:

Raquel Ferreira Veiga disse...

Apesar deste ADN único despertar algum "ódio" nos adeptos de outros clubes, também faz uma coisa rara e muito bonita de se ver que é despertar a admiração das pessoas de fora. Que não compreendem nem nunca compreenderão o Vitória como nós, e por isso mesmo nos admiram. Já me disseram algumas vezes que, apesar de serem de outro clube qualquer, admiram muito a nossa garra e paixão genuína. É de facto único um clube com poucos troféus despertar tanto amor e tanta dedicação nas suas gentes. É mesmo ADN, e é tão bom ser-se do Vitória!

luis cirilo disse...

Cara Raquel:
É exactamente como diz.
Desperta inveja mas também admiração.
E ainda "eles" não sabem como é bom ser vitoriano.
E digo-lhe uma coisa: Deve ser triste ser adepto das vitórias.
De clubes que muitos só veêm na televisão.

Luis Costa disse...

Meu caro está enganado
Aqueles a quem estes gestos causam mais estranheza nem são os "de fora", são aqueles que estão bem lá dentro.
Esses, infelizmente para nós, é que não compreendem nem nunca compreenderão o que é ser Vitoriano.

luis cirilo disse...

Caro Luís Costa:
Só posso dar-lhe razão.
E lamentar que assim seja.
Melhores dias virão.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Saganowski disse...

O ADN vitoriano nao se adquire com os cargos!
Ou se é do Vitória "desde pequenino" e se aprende a ser do Vitória desde criança, ou então soa a falso...

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Exactamente.
E ainda pior é quando só se "descobre" o Vitória a partir do momento em que se ocupam esses cargos.
Porque até aí o clube nada lhes dizia.

Nota:
Um palerma que se intitulou como benfiquista de Guimarães(claro que não se identificou) colocou o comentário mais estúpido que me lembro de alguma vez ter visto neste blogue.
Estúpido mesmo.
Não foi publicado porque usava expressões que para o imbecil serão normais no seu dia a dia mas impublicáveis num blogue que é lido por gente inteligente, educada e civilizada.
Mas confesso que hesitei.
Porque para os meus amigos e amigas vitorianos seria bem divertido verem ao ponto a que chega a estupidez humana.

Anónimo disse...

Adn Vitória, benção ou maldição!? Eu que impregnei a minha plebe desse adn, curioso, eles hoje ainda são mais doentes do que eu pelo Vitória, dou comigo a pensar se não os amaldiçoei,na vertente desportiva claro. É uma desilusão, ano após ano. A classe dirigente, na última década carece deste adn, ou nasce no berço ou então...eu já fui gozado na minha infância por trajar à Vitória por um alto dirigente vitoriano, tripeiro de gema à época, há coisas na vida que não se esquecem. Vitória sempre.

Ps: devia publicar o comentário censurado e deixar de ser egoista, nós os seus leitores também gostamos de alguma diversão de vez em quando.

Cumprimentos

FF

Paulo Sousa disse...

boa noite

em relacao as imagens, uma delas nao me diz nada ate por nao o considerar tao vitoriano quanto isso, e apenas tenho essa opiniao por saber de factos indesmentiveis aquando da sua transferencia!
em relacao ao comentario que voce nao aceitou, penso que o deveria fazer, agora tambem fiquei curioso ate para dar hipotese de respondermos pois voce nao esta sozinho.

cumprimentos.

luis cirilo disse...

Caro FF:
O Vitória é, e será sempre, muito mais importante que qualquer dos seus dirigentes.
Do passado ,do presente e do futuro.
Mesmo daqueles que tem em casa enormes espelhos de aumento.
Realmente apetecia-me publicar o comentário mas tem frases que embora sejam condignas de quem o escreveu(que não faço ideia quem seja) são muito abaixo do respeito que a esmagadora maioria dos leitores me merece.
Caro Paulo Sousa:
Penso que sei ao que se refere quanto a uma das fotos.
Preferi não valorizar isso e aproveitar o exemplo de quatro notáveis do nosso desporto que assumiram o seu vitorianismo em momentos marcantes.
Eu sei, e agradeço pode crer, que não estou sozinho nesta luta por um Vitória maior e melhor.
Mas o nível do comentário torna-o impublicável.