terça-feira, novembro 17, 2015

O Novo "Desporto"

Há em Portugal um novo "desporto" que conta já com um razoável número de praticantes em especial na "grande Lisboa" mas também noutros ponto do país.
Chama-se qualquer coisa como "tiro ao Cavaco".
E consiste em criticar o presidente da República por tudo mas geralmente por nada!
É essencialmente praticado por uma esquerda ressabiada que nunca lhe perdoou as cinco vitória eleitorais (e quatro por maioria absoluta, marca de que mais nenhum político português sequer se aproximou) em eleições de âmbito nacional, por uma direita "chique" que não lhe "desculpa" as origens humildes e o ter-se feito na vida à sua custa e por comentadores politicamente correctos que vão para as televisões dizer aquilo que julgam que as pessoas querem ouvir.
Mas não querem.
Porque Cavaco Silva é Presidente da Republica porque foi eleito duas vezes, em ambas à primeira volta, com mais de 50% dos votos e infligindo estrondosas derrotas a Mário Soares e Manuel Alegre verdadeiros ícones de uma esquerda que por aí anda.
E esse eleitorado não se evaporou nem deixou de existir.
E embora quase ninguém diga que votou em Cavaco (eu votei sempre, de 1985 a 2011 e se fosse hoje votava outra vez) a verdade é que ele ganhou.
Agora, a propósito de uma inegável crise política de que Cavaco não tem qualquer culpa e António Costa tem a culpa toda, já se critica o PR por demorar na solução da tal crise que outro criou mas ele tem de resolver.
Porque por Cavaco ,e pelo portugueses que votaram maioritariamente nessa solução, Portugal já tinha um governo em plenitude de funções.
Se não tem a responsabilidade é exclusivamente de António Costa e do PS que negaram valores, princípios e a própria tradição do Partido Socialista.
Esse é o facto indesmentível.
E no âmbito desse "tiro ao Cavaco" inserem-se as recente criticas pela sua deslocação à Madeira no contexto de uma visita há muito calendarizada.
Como se a Madeira não fosse Portugal e o Presidente se tivesse ausentado para o estrangeiro o que, aí sim, poderia merecer alguma critica.
Estar em Lisboa, no Funchal, no Porto, em Guimarães, em Beja,em Ponta Delgada, em Viana do Castelo é exactamente a mesma coisa.
Estamos no século 21, há telemóveis e internet, os contactos que o PR entende fazer não tem de ser obrigatoriamente presenciais e no palácio de Belém.
Nem quero imaginar o que diriam todos esses comentadores se Cavaco Silva, em plena crise política, tivesse ido uma semana de férias.
Como fez...António Costa!
Depois Falamos

P.S. Cavaco Silva não é infalível (longe disso) nem insusceptível de ser criticado.
Eu próprio o tenho feito neste blogue.
Mas uma coisa são os comentadores que criticam quando é de criticar e elogiam quando é de elogiar e outra bem diferente os que criticam sempre. 
De forma cega e obstinada.

4 comentários:

Portugal Bipolar disse...

Qual é a pressa? Sr. Presidente eu também não entendo esta gente!

Se o caminho é o mesmo, qual é a pressa?

Só existiu pressa quando o PEC IV foi chumbado, mas nessa altura era bem diferente.

Nessa altura era impossível pedir mais sacrifícios aos portugueses, não era Sr. Presidente?

Nessa altura existia pressa, até porque Portugal apresentava rácios de dívida insustentáveis, não se entendendo bem como é que alguém doutorado em ECONOMIA pela universidade de York, sendo Presidente da República, deixa o país chegar a este estado sem tomar medidas.

Sr. presidente, qual foi o tema da sua dissertação em York, aquela que o tornou Dr?

A Contribution to the Theory of the Macroeconomic Effects of Public Debt (1973).

Era só para confirmar...

Já sei, eu entendo Sr. Presidente, alertou para isso no seu discurso de 1 de Dezembro de 2009, dia da Restauração da Independência, pag. 397 e seguinte, não foi?

Sr. Presidente, ninguém ligou nada a isso.

O pessoal só começou a prestar atenção quando depois de ser impossível pedir mais sacrifícios aos Portugueses lhes foi retirado o 13º e 14º mês, aí sim, Portugal acordou!

Não tinham nada que adormecer na formatura, diz o sr. Presidente, embora eu o relembre que esses eram os tempos em que o candidato a 1º Ministro falava com as criancinhas a explicar que tinha as contas todas feitas, e que retirar subsídios era uma fantasia.

Sabe Sr. Presidente, o pessoal acordou quando em 4 anos foram aprovados 4 orçamentos de estado, todos eles inconstitucionais.

Eu sei que a constituição é uma merda e tem de ser mudada, mas foi esta merda que o Sr. Presidente jurou cumprir e fazer cumprir quando tomou posse.

Enquanto não tivermos outra é esta que temos de respeitar, todos os Países têm constituição e não é por mero acaso.

Agora, agora não existe pressa nenhuma, até porque nos últimos 4 anos deste des(Governo) emigraram meio milhão de almas, a esmagadora maioria entre os 25 e os 45 anos, pois foi, estando agora Portugal com um pequeno problema de sustentabilidade da S. Social, será que existe relação causa / efeito?

Já pensou nisso, Sr. Presidente, visto que o resto está tudo estudado?

Agora, não existe pressa nenhuma Sr. Presidente, até porque antes devíamos 185 mil milhões de Euros e agora, depois de 4 anos de sacrifícios devemos 230 mil milhões.

Com 230 mil milhões de divida às costas, existe alguma pressa em iniciar um caminho que em muito será igual?

Não existe pressa nenhuma! Só temos de cumprir com o que está assinado e isso está garantido, 2.8% défice para 2015 e 1.7% para 2016!

É limpinho, vai correr tão bem, como nos últimos 4 anos!

Se este bom governo de P. Coelho acrescentou em 4 anos 45 mil milhões ao bolo e correu tudo bem.

Andamos 4 anos bem governados, privatizamos o que conseguimos, arrecadando 5 mil milhões de €uros, quando pagamos 7.5 mil milhões por ano só em juros.

Eu sei que não tenho jeito para o negócio, sei igualmente que não sou doutorado em Economia, mas receber em 4 anos 5 mil milhões e pagar 30 mil milhões, visto deste lado, fica a sensação que fui encavado.


Eu não tenho pressa nenhuma Sr. Presidente, não tenho pressa e já vesti as cuecas de aço, não vá o Diabo tece-las...

O pessoal está com pressa,para quê? Para retomar o mesmo caminho?

Perspectivando igual performance chegaremos a 2019 com 275 mil milhões de €uros no saco da divida? É isso?

Qual é a pressa? Qual é a pressa se o caminho é o mesmo?

Qual é a pressa de nomear um novo governo? Eu sinceramente não entendo esta gente!

luis cirilo disse...

Caro Portugal Bipolar:
Acho sempre piada a essas contas em que não se soma à divida as verbas que nos foram emprestadas para não entrarmos em bancarrota.
O Presidente é um patriota, foi um grande primeiro ministro, e sabe muito melhor aquilo de que o país precisa que a aliança batoteira de derrotados.
Ele certamente fará o que for melhor.
Mantenham-se calmos

Portugal Bipolar disse...

Caro Luís,

O meu amigo sabe escrever 230 mil milhões de euros?
Pomos o 2, muito bem, depois pomos o 3, já está e depois acrescentamos 10 ZEROS...
São só 10, poderiam ser mais.
Isto com juros a 1% dá 2.3 mil milhões por ano, Portugal não paga 1% de Juros...
Isto com juros a 2% dá 4.6 mil milhões por ano, Portugal não paga 2% de Juros...
Isto com juros a 3% dá 6.9 mil milhões por ano, Portugal não paga 3% de Juros...

era só isso, sobre o Presidente, tenho ideia diferente.

Gosto de ler sobre quem pensa diferente, continuarei a passar por cá com a calma do costume. :)

Cumprimentos,

João

luis cirilo disse...

Caro João:
É sempre muito bem vindo.
Porque da diferença se faz a riqueza de um espaço de debate.