domingo, janeiro 11, 2015

O Nosso 14

O Vitória viveu na Luz um "drama" que de alguma forma traduz a actual realidade do clube e a gestão desportiva do seu grupo de jogadores profissionais de futebol.
E esse "drama" é simples de explicar.
Não soube jogar como um "grande"(que ainda não é) mas também  não sabe jogar como um "pequeno" (que nunca foi)e por isso perdeu-se nessa zona cinzenta com a qual convive mal.
Eu explico:
As sucessivas entradas e saídas de jogadores nos últimos três anos não permitiram,ainda,estabilizar uma equipa com maturidade, confiança competitiva e capaz de jogar da mesma forma em qualquer ambiente e por isso sentiu (até porque lhe faltaram jogadores experientes por lesões e castigos)demasiado os efeitos cénicos montados na Luz para este jogo com a enésima homenagem ao falecido Eusébio.
E por isso não conseguiu realizar uma exibição idêntica a outras que já fez este ano.
Também por mérito do adversário,é inegável, mas em boa verdade este Benfica está longe da valia que teve em épocas anteriores e bem longe de assustar quem quer que seja.
Veja-se que recentemente só ganharam ao ultimo classificado com um golo em fora de jogo.
Mas a equipa também não sabe, mais que não seja por vergonha, jogar como um "pequeno" e defender com um autocarro em frente da baliza e por isso optou por jogar no esquema de sempre sem estar apetrechada para isso num jogo com a exigência deste.
Daí a derrota por números que até nem foram exagerados para o que se viu.
Individualmente:
Assis: Sofreu três golos sem culpas, viu três bolas nos ferros (num deles depois de bela defesa) e ainda evitou mais alguns. Não foi por ele que a derrota surgiu. Bem longe disso.
Bruno Gaspar: Um jogo difícil face a Ola John. Bateu-se bem,ganhou e perdeu lances e ainda teve tempo para algumas idas ao ataque. Nota positiva.
Josué: A forma de jogar do SLB,com dois extremos e dois pontas de lança, é difícil para qualquer defesa e ainda para mais a quem está pouco habituado a encontrar adversários com essa forma de actuar. Ainda assim Josué não se perturbou e rubricou acção positiva sem responsabilidade nos golos.
João Afonso: Acusou dificuldades face á qualidade e experiência de Jonas e ás suas trocas de posição com Lima. Um jogo difícil mas que lhe permitiu ganhar experiência.
Chemman: Uma estreia muito complicada face ao melhor jogador do Benfica (Gaitan), que só por acaso ainda está neste campeonato, e que lhe colocou imensos problemas. Defendeu razoavelmente e "defendeu-se "como pôde usando a experiência de que é possuidor. A atacar pouco se viu mas também não era dia para isso. Com a saída de Traoré pode ter chegado a sua hora.
André: O "capitão" vitoriano concentrava nele muitas expectativas face à valia das exibições que tem efectuado e ás notícias que circulam em volta da sua possível saída. Não fez um jogo extraordinário,longe disso, mas mostrou a sua qualidade e foi alvo de uma marcação cerrada (e faltosa) por parte dos médios benfiquistas que estavam nitidamente instruídos no sentido de não o deixarem pegar no jogo.
Cafu: O melhor vitoriano neste jogo. Rijo a defender, bem a passar e com iniciativas atacantes coroadas com dois excelentes remates. Foi dos que não se perturbou com o ambiente. Provou que quando pode aproximar-se mais da baliza adversária traz valor acrescentado.
Bernard: Uma exibição apagada na linha das que vem fazendo ultimamente. Difícil de perceber como esteve em campo até aos 89 minutos.
Ricardo Gomes: Não era jogo para ele e isso ficou bem provado com uma exibição apagadíssima. Foi o primeiro a sair e já saiu tarde face ao que estava a produzir.
Tomané: O melhor avançado vitoriano neste jogo com dois remates perigosos a rondarem o golo. Massacrado com faltas pelos adversários,perante a habitual tolerância do árbitro, jogou a ponta de lança que é o lugar onde tem mais dificuldades em render o que pode.
Hernâni: Uma exibição muito cinzenta da qual apenas se destaca um bom remate nos primeiros minutos da segunda parte. Viu um amarelo por simulação(bem mostrado) embora em jogada idêntica do benfiquista Lima não tenha merecido idêntico critério.
Valente: Em estreia no clube e na 1ª liga apenas apareceu num remate ao lado depois de boa assistência de Bruno Gaspar.
Plange: Entrada dificil de entender salvo se devida a problemas físicos de Chemman. Não trouxe nada de novo mas também não comprometeu.
Gui: Entrou por entrar porque aos 89 minutos o jogo estava mais que decidido. Nem sei se tocou na bola.
Douglas, Kanu, Moreno e Zitouni não jogaram.
Cabe aqui dizer, como nota final, que face a tantas declarações sobre juventude,inexperiência, muitos nunca terem jogado na Luz ou minutos na 1ª liga da equipa vitoriana por comparação com um jogador do SLB (que por acaso nem jogou), admira que o "capitão" Moreno não tenha sido utilizado neste jogo. Ele que tanta experiência tem de jogos neste estádio.
Depois Falamos

5 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
luis cirilo disse...

O comentário removido é de um imbecil que ao abrigo do anonimato cobarde que caracteriza este tipo de vermes acha que pode insultar quem quer e lhe apetece.

Mr.Karvalhovsky disse...

Para além da péssima exibição da equipa, queria só lamentar a má vontade de um director do benfica + segurança que não permitiu que assistisse ao encontro junto dos restantes vitorianos.
Eu e outros colegas vitorianos que me acompanhavam, compramos o bilhete no estádio da luz e pagamos 21€!!!
Absurdo!

Em relação ao jogo:

Assisti a mais uma péssima exibição do Bernard, que passou ao lado do encontro.

O Valente (reforço que veio do Leixões) falhou um golo de baliza escancarada. A bola foi ter com ele e ele encolheu-se acabando por falhar o cabeceamento, livre de marcação e a 2 metros da baliza! Oportunidades como esta não vão reaparecer com muita frequência e se não marca assim...

O Ricardo Gomes acho que daria melhor Ponta-de-Lança do que é extremo, onde passa sistematicamente ao lado do jogo. Na minha opinião, seria uma boa experiência...

Finalmente, o Tomané embora esforçado, tem de começar a mostrar mais qualquer coisa...

luis cirilo disse...

Caro Mr Karvalhovsky:
É realmente uma situação absurda.
Quanto ao jogo estou genericamente de acordo quanto ás apreciações que faz.
Nomeadamente quanto ao posicionamento em campo de Ricardo Gomes que a jogar devia tê-lo feito como ponta de lança "soltando" Tomané para os flancos.
Bernard não está realmente na melhor forma e Valente é jogador para rever noutras ocasiões. Neste jogo fez uma estreia naturalmente difícil.

Miguel disse...

Sr. Karvalhovsky,

Concordo com tudo o que o senhor diz. Especialmente em relação a Tomané. Na minha opinião não tem qualidade para uma equipa com as ambições do Vitória.