segunda-feira, novembro 21, 2016

O Antes e o Antro

Foto: Record
O jogo de ontem teve para além dos aspectos agradáveis-triunfo do Vitória e fantástico apoio dos adpetos- outros profundamente negativos e que merecem ser aprofundados até às ultimas consequências em nome de um clube e de uns adeptos que merecem respeito.
Comecemos pelo "Antes" do jogo, fora do estádio, e que teve a ver uma vez mais com a forma condenável como os adeptos do Vitória foram tratados desde que chegaram ao Porto pela PSP.
Desde já convém lembrar que a sanha persecutória da PSP do Porto contra os adeptos vitorianos é antiga, teve o seu ponto mais negro quando os vitorianos foram obrigados a entrar descalços no estádio do Dragão, e repete-se em cada deslocação aquela cidade.
Desta vez o insólito aconteceu quando os vitorianos que fizeram a viagem de comboio chegaram a Campanhã por volta das 18.00h e lá foram retidos durante uma hora(!!!) até que cerca das 19 h foram metidos em carruagens do metro, cobraram-lhes bilhetes sem recibo no valo de um euro, e foram sendo "despejados" no Bessa com o jogo a decorrer e muita gente a só conseguir entrar no estádio já a primeira parte se aproximava do fim.
Isto a par de outros vitorianos que foram agredidos e roubados nas imediações do antro boavisteiro perante a mais absoluta passividade das forças policiais.
Isto é inaceitável e há que apurar responsabilidades.
Os vitorianos não são cidadãos de segunda no seu próprio país nem podem ser tratados como se "gado" fossem no mais absoluto desrespeito pelos seus direitos inclusive o de verem na sua totalidade um jogo para que pagaram bilhete!
Infelizmente a comunicação social, capaz de abrir telejornais e alimentar folhetins com um adepto do Benfica que levou duas bastonadas de um polícia nos arredores do nosso estádio, passou olimpicamente ao lado desta situação.
Como aliás a própria sport-tv, miseravelmente, escondeu quanto pôde o festival dado pelos adeptos do Vitória dentro do antro a que chamam estádio do Bessa.
E aí foi o que se sabe.
Na televisão já se tinham visto as agressões a Miguel Silva por parte de dois energúmenos indignos de andarem no futebol chamados Idris e Tengarrinha mais um capanga do staff boavisteiro que não souberam reagir de outra forma a uma derrota que foi mais que merecida. 
Na foto que encima este texto veem-se as agressões e, mais do que isso, vê-se o árbitro perfeitamente posicionado para apreciar tudo que se passou e por isso se ele for sério os dois energúmenos terão de sofre um castigo exemplar porque o que fizeram foi depois do jogo acabar e com completa premeditação.
Se Marega sofreu três jogos de castigo por agredir um adversário no decorrer do jogo o castigo a estes terá, se houver justiça, de ser bem superior.
Mas isto foi o que se viu.
Porque depois, no túnel, ainda foi pior ao ponto de ter obrigado a policia de intervenção a agir tal a sanha raivosa de dirigentes e outros conotados com o clube proprietário do antro contra jogadores, técnicos e dirigentes do Vitória a fazer lembrar os tempos mais negros do "apito dourado" em que os túneis de alguns estádios eram autênticos antros de terror.
Claro que isto não veio na comunicação social.
A mim foi-me contado por vários dirigentes do Vitória, que estavam lá e nem queriam acreditar que no futebol português( em pleno século 21) se pudesse assistir a cenas de "farwest" como aquelas a que assistiram, mas para além deles também lá estavam os dirigentes da Liga que tudo presenciaram e tem obrigação de escreverem no relatório o que viram.
Se forem sérios e narrarem factualmente o presenciado o dono do antro terá de ser severamente punido e o recinto interditado por vários jogos.
Uma coisa é certa.
O que aconteceu este domingo com os adeptos vitorianos antes do jogo e com a equipa e dirigentes no antro (pelos vistos até no camarote presidencial houve provocações) não se pode voltar a repetir quando daqui a apenas três semanas o Vitória voltar aquele antro para o jogo do campeonato.
É bom que quem de direito, seja a Liga seja o comando distrital do Porto da PSP, tome medidas nesse sentido antes que aconteça uma tragédia que depois todos lamentaremos amargamente.
Infelizmente as sementes para isso estão lançadas...
Depois Falamos

7 comentários:

Anónimo disse...

Não terá Miguel Silva posto em riste o dedo do meio em direcção aos adeptos do Boavista? É que o jovem guarda-redes do Vitória, como de resto é sabido, é um produto da claque do clube. Mas como diz, e bem, a Sportv tem por hábito encobrir imagens importantes. Não posso deixar de concordar quando diz que a transmissão televisiva não deu a devida e mais que merida antena à imensa massa vitoriana que se deslocou ao Bessa e foi incansável no apoio à equipa. O Vitória sempre foi um clube cujo o ADN tem como molécula principal os adeptos. E isso é admirável.

De resto parece-me que a sua análise é um pouco exagerada e demasiado imbuída de "clubite".

Ass: Um vitoriano

bruno almeida disse...

Boa noite ontem fui ver o jogo e fui de comboio e o que se passou nao teve nada a ver com a psp mas sim com os seguranças do metro que exigiram o pagamento de bilhete do metro eu também não gostei de entrar 30 minutos depois do inicio do jogo valeu pela passagem abraço

bruno disse...

Boa noite ontem fui ver o jogo e fui de comboio e o que se passou nao teve nada a ver com a psp mas sim com os seguranças do metro que exigiram o pagamento de bilhete do metro eu também não gostei de entrar 30 minutos depois do inicio do jogo valeu pela passagem abraço

Anónimo disse...

No próximo jogo no Bessa é muito importante que a equipa, e adeptos, não cedam a provocações senão passamos de vítimas a criminosos num instante. É o que costuma acontecer. E naquele antro já deviam ter vergonha do que o clube fez mas parece que, pelo contrário, têm vaidade na arruaça

Miguel Silva

Paulo Pinto disse...

Uma centenas de VITORIANOS(AS) concentraram-se na Casa da Música aguardando aqueles(as) que forma de comboio. Cerca das 19H00, e após várias interpelações à Polícia para os acompanhar, decidiram rumar ao Bessa e começaram a cantar "Avenida abaixo".
Logo a Polícia começou a "panicar".
Épico..

Macaco careca disse...

Uma pouca vergonha mas certos hábitos parecem dificeis de pôr fim, nem mesmo após descidas de divisão e processos de prisão que estiveram por um foi. Dá mesmo vontade de lá ir e na casa deles, chegar-lhes a roupa ao pelo.

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
A minha análise é a de um vitoriano que abomina o Boavista desde 1975.
O que aconteceu, lamentável mas habitual por aquelas bandas,tem como unicos responsáveis jogadores e dirigentes do Boavista. O João Miguel silva limitou-se a festejar como é seu direito.
Caro Bruno Almeida:
O que s epassou no metro foi com supervisão da PSP. Não são os funcionários da empresa que tomam decisões quanto aos timings dos adeptos serem encaminhados para o estádio.
Caro Miguel Silva:
Sobre o jogo de campeonato escreverei oportunamente. Mas claro que há que tomar precauções.
Caro Paulo Pinto:
Para os vitorianos ir ao futebol na cidade do Porto é cada vez mais uma aventura de fim imprevisivel.
Caro Macaco Careca:
Os mais hábitos continuam e quem os criou e fomentou também.
É um clube que goza de uma curiosa impunidade.