sexta-feira, setembro 23, 2016

O Muro

Um dos actos comemorativos do nonagésimo quarto aniversário do Vitória foi a inauguração de um mural do qual constam os nomes dos associados que em 2012 corresponderam à operação "Todos por uma Paixão" e auxiliaram financeiramente o clube.
Não importa agora, quatro anos depois, dissertar sobre se a operação foi um sucesso ou não (é óbvio que não foi) porque o que releva é que um conjunto de pessoas disseram "presente" quando o seu clube delas precisou.
E bem fez o Vitória, mesmo decorrido um período de tempo demasiado longo, em reconhecer esse acto generoso mandando edificar o mural a que então se comprometera como preito da sua gratidão a essas poucas dezenas de associados que se dispuseram a contribuir.
Até aí estamos todos de acordo.
Tenho contudo algumas dúvidas sobre o sentido que faz o mural ser encimado pelos nomes dos que em 2012 presidiam aos diversos orgãos do clube (e que são os mesmos de hoje) porque me parece quem nem a intenção inicial apontava nesse sentido nem o mural fica particularmente engrandecido com um tipo de referência mais comum noutro tipo de inaugurações.
Seria bem mais adequado, do meu ponto de vista, nele constarem apenas os nomes dos associados  que contribuíram para ajudar o clube sendo que nesses nomes, tanto quanto sei, já estão os dos presidentes dos orgãos.
Ou então, se a vontade de colocar nomes directivos fosse inultrapassável, dele mural deviam constar os nomes de todos os membros dos orgãos sociais em funções na actualidade e eleitos pelos associados em 2015.
A diferença, no espaço ocupado,não seria assim tão grande mas o significado, esse, seria totalmente diferente.
É que o Vitória não é um clube de "presidentes"!
E colocar um "muro", ainda que num "mural", entre presidentes dos orgãos de um lado e restantes membros eleitos e associados de outro não me parece positivo nem de interesse para o clube.
É o reparo que faço a uma decisão (construir o mural) que ficou muito bem à direcção do clube por  significar o cumprimento de uma promessa manifestando justa gratidão a quem o merece.
Depois Falamos.

10 comentários:

Anónimo disse...

Dr. Cirilo, vou mais longe na crítica e digo que sou totalmente contra este muro. O Vitória tem 94 anos, já passou de certeza por momentos maus, já teve momentos bons e nos momentos maus, há uma coisa que nunca faltou ao Vítoria: apoio popular, sócios. São os sócios anónimos que fazem do Vitória o que ele é. São os sócios anónimos que pagam as cotas mês a mês, que registam os filhos como sócios do Vitória ainda antes de o fazerem no registo civil, que se mobilizam e levam sobrinhos, vizinhos para o Vitória, "roubando-os" ao FCP ou ao SLB. O Vitória desceu à II Liga e aumentou o número de sócios, foram romarias e romarias a empurrar o Vitória novamente para a I Liga ! Onde está o mural para esta gente ?

Eu não contribuí nessa campanha, pareceu-me uma operação coração à moda do SLB, de raiz uma parolice portanto. Incomoda-me que distingam os sócios com base nesta situação. Eu não dei porque não quis. Mas conheço muita gente que com dificuldade não falta todos os meses com a cota deles e dos filhos, com dificuldade paga a sua cadeira e dos filhos, e não contribuiu porque não pode. Qual é a diferença ?

O Vitória devia era fazer uma estátua a este sócio anónimo que representa todos nós e que é a força do Vitória.

Paulo

Paulo Sousa disse...

Parabens pelo post, sem ironias.

luis cirilo disse...

Caro Paulo:
O mural corresponde a uma promessa da direcção aquando do lançamento dessa operação.
Pessoalmente nunca acreditei que ela resolvesse fosse o que fosse, por razões que nem vale a pena estar agora a referir, mas acho que a direcção fez bem em cumprir o prometido. Mesmo com um inexplicável atraso de anos.
Quanto ao "sócio anónimo" estou de acordo.
Ao longo de 94 foram sempre eles, os "sócios anónimos" que constituiram a grande força do nosso Vitória.
E recordo-me bem de nessa época maldita ver por todo o país grandes deslocações de vitorianos a empurrarem o clube de regresso ao seu lugar.
Curiosamente há muita gente que agora bate no peito a professar vitorianismo e nunca os vi nesses tempos difíceis.
Caro Paulo Sousa:
Obrigado.

Saganowski disse...

Parolice total!

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Também não gosto do aspecto e das cores do mural

Saganowski disse...

Caro Luís,
Não me refiro só à parolice do mural ou das suas cores!
Refiro-me à parolice de fazer um muro (que custou, obviamente, dinheiro) para agradecer aos sócios por terem ajudado a emendar as burrices de outros, já que passamos a vida a ouvir a ladaínha das dificuldades financeiras.

Eu não contribuí porque tinha (e ainda tenho) a certeza que isso não ia resolver nada. Mas se contribuisse, acho que seria de muitíssimo maior valor para o orgulho dos sócios serem agraciados de outra maneira mais "económica" para o clube com algo como, por exemplo, o título de sócios honorários.
Ou será que os sócios honorários só o podem ser depois de terem 50 anos de sócio ou de terem pertencido a uma Direcção?

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Foi uma promessa e por isso nada oponho ao seu cumprimento.
Estou é certo que os que contribuíram o teriam feito sem precisarem de um mural para serem recordados.
Quanto a ser sócio honorário não há limites minimos de idade nem é obrigatório que tenham pertencido a uma direcção

Saganowski disse...

Caro Luís,
A minha última pergunta era meramente retórica! :)
O meu Pai foi sócio honorário e nunca pertenceu a nenhuma Direcção.

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Era um excelente vitoriano

Saganowski disse...

Caro Luis,
Obrigado pelas tuas palavras. Nunca foi pessoa de querer nada do Vitoria, apenas que ele ganhasse sempre que possivel, sempre de forma justa e leal e que jogasse bom futebol.