segunda-feira, setembro 12, 2016

Duas Derrotas

Não tive oportunidade de assistir, nem via televisão, aos jogos das duas equipas profissionais do Vitória que se saldaram por duas derrotas expressivas.
A equipa A derrotada no "Dragão" por 0-3  e a equipa B vencida no D.Afonso Henriques por 1-5 face ao Portimonense
Derrotas face a dois fortes candidatos ao titulo, na 1ª e na 2ª Liga, mas que apesar disso não deixam de ser derrotas e por números inesperados face ao volume atingido.
Como não vi os jogos não vou comentar as incidências dos mesmos embora pelos resumos tenha percebido que no Porto o Vitória sofreu dois golos em que a sorte( de uns) e o azar(de outros) tiveram papel determinante e avolumaram um resultado que o equilíbrio do jogo na primeira parte não faria supor enquanto em Guimarães a equipa chegou ao intervalo a vencer e depois na segunda parte verificou-se um autêntico descalabro em termos de resultado.
Não são derrotas, face ao perfil e objectivos dos adversários, que mereçam particular preocupação embora  se tenham verificado resultados numericamente desagradáveis e que certamente merecerão correcções em próximos jogos por parte de Pedro Martins e Vítor Campelos.
De qualquer forma considero bem mais preocupante a derrota da equipa B.
Porque a A, mesmo com aquele 31 de Agosto disparatado, continua a ter os recursos humanos necessários a lutar pelo objectivo europeu e creio que o atingirá salvo um Janeiro/2017 ainda mais disparatado que o referido final de Agosto.
Já na B o panorama é bem outro.
Desde logo porque deve ser a única equipa da II liga que praticamente não se reforçou para esta época e menos ainda com jogadores que lhe dessem a solidez competitiva e a experiência necessárias a um campeonato tão longo, difícil e exigente como aquele que está a disputar.
Em contrapartida foi muito enfraquecida com muitas saídas de jogadores já com experiência de II Liga.
Desde os "promovidos" João Pedro, Rafinha e Alexandre Silva que estão agora, e bem, na equipa A cumprindo o percurso desejável para quem está na equipa B aos estranhamente emprestados como Arrondel ,que foi reforçar precisamente o rival de ontem, Cláudio que continua no Porto B quando devia estar cá e especialmente Areias que podia ser muito útil a ambas as equipas do Vitória.
E os outros.
Bruno Alves, Helinho, Fábio Vieira, Assis, Palha, Lima Pereira entre outros e todos eles jogadores com experiência de segundo escalão e que nalguns casos podiam ser importantes para darem a tal experiência necessária a um campeonato tão exigente.
Os jogadores mais velhos da equipa B tem vinte e dois anos (há sete com essa idade) sendo todos os outros mais novos,alguns até com idade de juniores, e boa parte deles em estreia em competições profissionais o que não contribui em nada para olhar o percurso da equipa com tranquilidade.
O que torna cada vez mais incompreensível o tal 31 de Agosto que encurtou as opções dos treinadores do clube mas muito em especial as de Vítor Campelos.
Confesso que estou preocupado com o campeonato do Vitória B.
Até porque houve em tempos quem na estrutura directiva do clube achasse que tanto fazia jogar no segundo como no terceiro escalão, houve até quem preferisse o terceiro escalão provavelmente por ser...mais barato, e isso não augura nada de bom quanto ao presente.
Espero que não tenham sofrido uma recaída.
Até porque noutras áreas, como a política de empréstimos de clubes portugueses, não dão nenhum indicio de terem aprendido com os erros.
Espero estar enganado mas a realidade da equipa B não aponta nesse sentido.
Depois Falamos.

P.S. Numa vista de olhos pelas redes sociais já percebi que alguns preferem apontar o dedo ao treinador da equipa B . São hábitos "cultivados"ao longo da época passada que a classificação final desmentiu rotundamente com o Vitória B a atingir tranquilamente a manutenção.
Respeitando naturalmente o direito de cada um à sua opinião permito-me sugerir menos superficialidade nas análises .
É que da superficialidade à cumplicidade não vai grande distância e alguns percorrem-na ainda que inconscientemente.

9 comentários:

Anónimo disse...

nao percebeu? eu explico, actualmente so pode jogar 1 jogador com mais de 23 anos, alem disso 8 juniores subiram , sendo preciso criar espaços para eles crescerem. Pedir reforços "experientes" a uma equipa B? enfim

Anónimo disse...

Isto há o criticar e o criticar. O comentário de cima diz tudo. E depois o que faríamos aos miúdos que saíram dos juniores. Vou-lhe confidenciar uma coisa. Está equipa B tem imensa qualidade visto ser a geração (ou grande parte dela) campeã em Juvenis. Como já o ouvi várias vezes criticar o fraco aproveitamento das outras gerações campeãs até fico pasmado qd vira o bico ao prego. O vitória tem que percorrer este caminho e dar estaleca aos miúdos que teem qualidade na equipa B. Este é o caminho. Só espero e que o mesmo aconteça qd for a transição para a A. E além do mais se não sabe fica a saber que as leis para as equipas B mudaram, e na minha opinião mt bem.

Saganowski disse...

A derrota com o FCP considero-a normal, tal como consideraria derrotas com SLB e SCP.
Agora, o que não considero normal, são derrotas com equipas concorrentes, ainda por cima em casa!
Tirando os jogos com o FCP, SLB e SCP, o resto é para ganhar TUDO!!!
Por isso, não me parece que a derrota com o FCP, apesar de ser por números exagerados, mereça reparos, bem pelo contrário.
Fomos uma equipa competente, solidária, capaz. Tivemos um deslize no primeiro golo e os outros dois foram pura sorte do adversário.
Os sócios acorreram em grande número e não deixaram de apoiar a equipa, mesmo perdendo por 3-0. Pedro Martins tem, claramente, os sócios do seu lado!

Relativamente à equipa B, ainda estou para perceber o que pretende a Direcção fazer. De facto, deixar sair o Areias para o Porto reforçou o adversário e debilitou o Vitória. Ainda estamos em Setembro, mas como o campeonato é longo e exigente, veremos se não vamos ter problemas que terão de ser emendados em Janeiro.
Será que nessa altura, o Vitória terá "peito" para exigir de volta o Areias a meio do campeonato, caso isso seja necessário?

Só mais uma nota: no último dia das inscrições deixamos sair por empréstimo o Areias e o Valente, jogadores portugueses, da casa. Esta semana contratamos um uruguaio (que estava desempregado), para a mesma posição.
Sabendo-se o que se sabe (via comunicação social) da grande quantidade de clubes que ele já representou com tão pouca idade, será que não temos aqui mais um jogador instável, ou mais uma "experiência" (leia-se negócio) da SAD???
Além do mais, estando desempregado (e não tendo o Vitória que pagar indemnizações ao clube anterior), será que não vai gastar uns milhõezinhos em prémios de assinatura?

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Como não percebeu nada do que escrevi vou explicar.
A equipa B não tem nenhum jogador de 23 anos porque são todos mais novos.
Um ano de experiência nessas faixas etárias faz diferença.
Eu sei que nos regulamentos (era o que faltava não saber) as equipas B só podem ter na FICHA DE JOGO um jogador com mais de 23 anos. O que não significa que não possam ter mais no plantel. Como ,por exemplo, jogadores que à partida façam parte do plantel A e não sendo chamados para essa equipa possam jogar na B. Isso aconteceu várias vezes no passado. Agora quando jogadores desses são emprestados a concorrentes directos perde a A e perde a B.
De resto não percebo a saída, entre outros, de Lima Pereira. Tem mais de 23 anos mas já uma boa experiência de segunda liga e numa posição em que a experiência é fundamental.
Caro Anónimo:
Estou sempre disposto a aprender com quem sabe mais. Como é anónimo não sei se é o caso. Pelo que escreveu não é. Conheço os regulamentos mas também conheço o futebol. >E sei bem da importância de ter jogadores experientes a "temperarem" a juventude dos que agora estão pela primeira ou segunda vez numa competição profissional. Sei bem do talento de muitos destes jovens mas também sabia do talento dos da equipa de 2012/2013 que desceu de divisão. Não por culpa dos seus treinadores (Luiz Felipe e depois Armando Evangelista)mas sim de não lhe terem sido dados os jogadores necessários a uma fase final de época complicada.
E por isso a equipa não pode ficar só dependente do talento dos jovens jogadores. É preciso dar-lhes o "conforto" da experiência. Quanto à mudança das regras não sou inteiramente da sua opinião. As equipas B tem de ter condições especiais, até para defender a promoção dos jovens talentos, mas não podem ser "filhas de um deus menor".
Caro Saganowski:
É como dizes quanto aos jogos com Porto e Portimonense.Quanto ao Areias...esquece.
O uruguaio vamos esperar para ver e depois falamos.
Mas salvo raras excepções (oxalá seja uma delas) jogadores desta idade (25) sem clube não me parece que tenham grande cartão de apresentação.

Anónimo disse...

Entao mantínhamos LIma pereira, assis, bruno alves, fabio vieira, palha, etc so para dar experiencia? ora aqui esta uma boa sugestão de gestão desportiva.

Pedro Matias, Socio 3045 ( so para não dizer que sou anonimo)

luis cirilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luis cirilo disse...

Caro Pedro Matias:.
Se lesse com atenção que escrevi perceberia que não disse isso.
Disse que ALGUNS poderiam ajudar a equipa com a sua experiência.
Alguns e não todos.
Quanto à gestão desportiva não me importo nada de comparar a que foi da minha responsabilidade com as que me sucederam.
Não me importo mesmo nada.

De Guimarães disse...

Saganowski,derrotas sejam contra quem forem NUNCA,MAS NUNCA se podem aceitar como normais !!!
Tudo é para ganhar a TODOS !

luis cirilo disse...

Caro De Guimarães:
Esse é o Vitória à Vitória.
Como o entendemos e desejamos.
Infelizmente nos tempos que correm essa forma de ver o clube está em segundo plano