quarta-feira, setembro 07, 2016

Mau Início

Não foi o resultado desejado.
Mas também não foi um resultado justo.
Acontece que a "justiça" no futebol se faz através dos golos marcados e sofridos e nessa matérias os suíços foram mais competentes que os portugueses e por isso venceram um jogo em que foram dominados durante a maior parte do tempo.
Afinal a "receita" que Portugal já utilizara durante o Euro 2016.
Sem Ronaldo, ainda a contas com a lesão do jogo face à França, Fernando Santos introduziu algumas alterações na equipa e mudou o sistema táctico para um 4-3-3 que contemplava a utilização de um ponta de lança (Éder) e dois extremos (Nani e Bernardo Silva) com o primeiro a aparecer a cair mais no meio e o segundo mais nos flancos combinando com os laterais .
E não se pode dizer que a equipa tenha reagido mal ás alterações tácticas porque entrou bem no jogo, construiu oportunidades, deu a clara sensação de ser capaz de prosseguir a senda vitoriosa do Europeu e iniciar da melhor forma o apuramento para o Mundial de 2018.
Mas depois sofreu dois golos em apenas seis minutos e com falhas defensivas graves.
E aí percebeu-se que a tarefa se tornara muito mais difícil porque a Suiça apanhou-se com um resultado a gosto e pôde recuar as linhas, diminuindo os espaços,  tornando mais complicadas as tarefas ofensivas dos portugueses.
E foi então que do meu ponto de vista Fernando Santos não esteve bem nas opções.
A perder por dois golos, e com trinta minutos jogados, era imperioso fazer imediatamente alguma coisa para inverter o rumo dos acontecimentos e tentar pelo menos reduzir diferenças antes do intervalo.
E isso só podia passar pela saída de um William Carvalho completamente inútil e a entrada de Ricardo Quaresma que tem sido a "gazua" que ajuda a resolver tantos jogos e cuja ausência do onze inicial já era difícil de entender.
Nada disso foi feito e FS preferiu aguardar pelo intervalo para mexer na equipa.
E aí, uma vez mais, fê-lo de forma não muito feliz.
Manteve Quaresma no banco e optou por lançar João Mário (outro cuja ausência do onze já fora estranha) e André Silva retirando William (finalmente) e Éder o que também não me pareceu a melhor opção porque a perder por dois golos é difícil perceber a troca de um ponta de lança por outro.
A verdade é que embora Portugal mantivesse a supremacia, e até desenhasse bons lances ,o golo continuava sem aparecer (com algum azar à mistura) e os suíços iam ganhando cada vez mais confiança e a convicção de que podiam ganhar ao campeão europeu.
A vinte minutos do fim FS lá se resolveu a finalmente lançar Quaresma e este ainda mexeu alguma coisa com o jogo nomeadamente através de cruzamentos bem medidos mas a que nunca foi dada a melhor sequência por uma equipa que já jogava mais com o coração do que com a cabeça.
E assim Portugal perdeu um jogo que podia perfeitamente ter ganho face a uma Suiça que não é nenhum "papão" e apresentou uma equipa inferior a outras que lhe conhecemos em tempos bem recentes.
Foi o primeiro jogo, as indicações foram positivas na sua maior parte, mas a verdade é que a margem de erro está gasta e agora Portugal tem de vencer os jogos que tem pela frente para vencer o grupo (um dos mais fáceis que lhe podia calhar)  e se apurar directamente para o Mundial evitando play offs que prometem ser muito mas muito complicados.
Depois Falamos

P.S Pode não ter nada a ver mas acredito que aquele jogo de preparação com Gibraltar, a mais fraca selecção da Europa  que não colocou qualquer dificuldade competitiva, e todo o clima de festa estabelecido em torno dele porem ter contribuído para o insucesso de ontem à noite.

6 comentários:

Miguel disse...

Boa noite Sr. Cirilo,

Concordo consigo mas acho que se esqueceu de mencionar um jogador. João Moutinho, de há algum tempo a esta parte, só joga pelo nome. Se é justo criticar William no lance do golo e exibição em geral, Moutinho não lhe fica nada atrás. Tanto no golo da Suiça como na exibição.

luis cirilo disse...

Caro Miguel:
Sim também não tem justificado a titularidade.
Estou de acordo.
Mas William Carvalho foi mau demais.
A "recuperação" dele no lance do segundo golo devia ter valido imediata substituição. Aquilo não é nada

Anónimo disse...

E o Eder? Por marcar aquele golo na final agora é de bom tom não dizer mal,mas mete pena ve-lo jogar,valha-me Deus!

Cumpts.
J.M.

luis cirilo disse...

Caro J.M.
O Éder é "aquilo" já sabemos.
Mas nem foi dos piores e a saída dele a perder por 0-2 pareceu-me errada

De Guimarães disse...

O inganheirú provou que teve muito mais sorte do que mérito em ter ganho o Europeu !
O william mão é,nunca foi,nem nunca será jogador de selecção !
O Bernardo deveria ter comelado o no meio-campo - O seu lugar natural !
Quaresma,e André Silva também deveriam ter alinhado de inicio !
A perder nunca por nunca teria saído Eder !
Era obrigatório que se tivessem procedido a alterações significativas logo após o 2ª golo !
E,tudo isto contra um adversário completamente banalissimo,mas que por acaso,ou não...Teve a ajuda da arbitragem em 2 lances dentro da sua grande àrea !
E aínda houveram mais uns caseirismos...
Mas essas nuances não escamoteiam os erros cometidos no plano de jogo !

luis cirilo disse...

Caro De Guimarães:
Há realmente alguns erros de casting misturados com falta de reacção quando a estratégia de jogo foi posta em causa pelos golos suíços.
Esperemos que estes erros não comprometam o apuramento.