quarta-feira, abril 15, 2015

Memórias do Derbie

Há mais de 45 anos a seguir o clube já perdi a conta ao número de jogos que vi entre Vitória e Braga ao longo de todo este tempo.
Em futebol, andebol, basquetebol.
Masculinos nas outras modalidades e femininos no basquetebol.
Especialmente no futebol não tem conta.
Em seniores (A e B), em juniores, juvenis e iniciados.
Na Amorosa, no D. Afonso Henriques e no 1º de Maio em Braga.
Triunfos, empates, derrotas, grandes jogos e outros que nem tanto.
Momentos de grande convergência (numa certa época em que um empate dava jeito...) e outros de grande turbulência e incidentes dentro e fora dos estádios.
De tudo isso, e muito mais, se faz a história do único derbie do Minho e dos encontros com o nosso único rival ao longo de mais de 90 anos de História.
Naquela que é a rivalidade mais antiga de Portugal porque é expressão desportiva da rivalidade milenar entre duas comunidades.
Hoje recordo aqui cindo jogos que me ficaram na memória.
O "meu" primeiro derbie foi em 1966.
O Vitória tinha ganho em Braga por 5-3 e na segunda volta o adversário vinha a Guimarães em busca da desforra.
Puro engano.
Foi "aviado" com um concludente 6-2 com uma grande exibição(e hat trick) do brasileiro Djalma.
Depois em 1981 outro jogo memorável.
O Vitória tinha começado mal a temporada, sob o comando de Fernando Peres e Cassiano Gouveia, e na primeira volta perdera em Braga por 0-3 entre outros resultados menos conseguidos.
Foi então que Pimenta Machado tomou uma das suas melhores decisões em 24 anos de presidência.
Despediu os técnicos e contratou José Maria Pedroto.
Que chegou ao clube poucos dias antes do jogo com o Braga e teve o primeiro treino presenciado por milhares de pessoas entusiasmadas com essa fantástica contratação.
Foi o Braga que "pagou" pela chicotada psicológica!
Ao intervalo já ganhávamos por 4-0 com um "vendaval" de futebol ofensivo de altíssima qualidade como poucas vezes me lembro de ver no nosso estádio.
Na segunda parte apenas marcamos um golo que fez o 5-0 final um bocado por força da lesão do ponta de lança Blanker que teve de ser susbstituido ao intervalo com dois golos no pecúlio.
Raramente vi um treinador transfigurar tão bem uma equipa até então abúlica e nada entusiasmante num onze sedento de ambição e a jogar um futebol excelente.
Pedroto era...Pedroto!
A terceira memória vai para 1986/1987.
Em Braga na primeira jornada tínhamos ganho por 1-0, golo de Adão, num 1º de Maio com milhares de vitorianos e em que me estreei a fazer relatos na Rádio Guimarães acompanhado pelo Francisco Tadeu nos comentários e pelo Dino Freitas na parte técnica.
Um jogo inesquecivel por muitas razões.
Mas recordo especialmente o da segunda volta em que vencemos por 4-0 com um hat-trick de Paulinho Cascavel e um golo de Ademir numa exibição magnifica dos comandados por Marinho Peres.
A quarta memória é muito mais recente.
Na época de 2010/2011 um Braga eufórico resolveu trazer os seus adeptos a Guimarães de...comboio.
Vieram muitos, embora não tantos como propagandearam, mas no fim do jogo tiveram de ouvir a música "Apita o Comboio" a celebrar o triunfo vitoriano por 2-1.
Muito me diverti na segunda feira imediata, no Porto Canal, à custa do meu amigo António Duarte!
A ultima memória é de 2012/2013.
Nos quartos de final da taça o Braga, à época com uma grande equipa, veio a Guimarães disputar a passagem ás meias finais numa posição de teórico favoritismo face à temporada que ambas as equipas vinham fazendo.
Provando que num derbie não há favoritos venceu o Vitória, com dois golos e uma grande exibição de Barrientos, carimbando a passagem à eliminatória seguinte num percurso que só terminaria na "mais bela tarde vitoriana" no Jamor.
Memórias agradáveis de jogos entre velhos rivais.
Sexta feira há mais um.
E como a história nunca se repete, nem há dois jogos iguais, esperemos que enfileire no lote das boas recordações destes jogos.
Depois Falamos

31 comentários:

Anónimo disse...

adorei ler este texto e as suas memórias destes jogos.
fiquei foi muito surpreendida ao saber que já tinha feito relatos de futebol numa rádio local.
que giro.
Nunca o diria porque tenho acompanhado o seu percurso nos últimos anos e não o imaginava a relatar um jogo do nosso Vitória.
na verdade em 1986 eu tinha apenas dois anos e por isso é natural que não me recorde.

Anabela Faria

luis cirilo disse...

Cara Anabela:
É verdade. Fiz muitos relatos na Rádio Guimarães e depois na Rádio Fundação. Embora nesta ultima fizesse mais a parte dos comentários porque os relatos fazia-os o Lázaro Nunes.
É normal que não se recorde porque fi-lo num período bastante curto (entre 1986 e 1988) e depois nunca mais.
Com alguma pena,devo dizê-lo, porque gostava bem de participar nessas transmissões radiofónicas dos jogos do Vitória.

Anónimo disse...

Isso é tudo muito "giro", Cirilo, mas olhemos para os números mais recentes. Últimos 12 jogos:

Braga 3-1 Vitória (Taça da Liga 10/11)
Braga 3-1 Vitória (Liga 10/11)
Vitória 1-1 Braga (Liga 11/12)
Braga 4-0 Vitória (Liga 11/12)
Vitória 0-2 Braga (Liga 12/13)
Vitória 0-0 Braga (Taça da Liga 12/13)
Vitória 2-1 Braga A.P. (Taça de Portugal 12/13)
Braga 3-2 Vitória (Liga 12/13)
Braga 3-0 Vitória (Liga 13/14)
Vitória 1-0 Braga (Liga 13/14)
Vitória 1-2 Braga (Taça de Portugal 14/15)
Braga 0-0 Vitória (Liga 14/15)

Domínio avassalador do Braga em sua casa, curiosamente contrariado no mais recente encontro, em que se verificou um... nulo! Em Guimarães, o Vitória apenas venceu um jogo em 90 minutos, na última jornada da época passada, num jogo em que nenhuma das equipas lutava por nada. Venceu para a Taça de Portugal em 120 minutos, mas até esse jogo já foi vingado esta temporada... em 90 minutos.

6 jogos em Braga:
5 Vitórias do Braga
1 Empate
0 Vitórias do Vitória
16 golos do Braga
4 golos do Vitória

6 jogos em Guimarães
2 Vitórias do Vitória (uma em prolongamento)
2 Empates
2 Vitórias do Braga
5 golos do Vitória
6 golos do Braga

12 jogos no total
7 Vitórias do Braga
3 Empates
2 Vitórias do Vitória (uma em prolongamento)
22 golos do Braga
9 golos do Vitória

Episódios "giros" e goleadas há para os dois lados, só nestes últimos 12 jogos até há um 4-0 e uma eliminação da Taça de Portugal no terreno do rival.

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Louvo-lhe a persistência.
Já agora ponha os números de 90 anos de jogos entre ambos. Sem esquecer que o Vitória tem mais 11 (ONZE) participações na primeira divisão que o Braga

Ricardo disse...

Já que estamos numa de numeros sugiro então que conte as participações nas competições europeias e o respectivo numeros de jogos e compare as duas equipas ( nem vou entrar pelos feitos nessas mesmas competições, ou melhor, até vou entrar: vencedor de uma taça intertoto, finalista da taça uefa/liga europa, 2 participações na fase de grupos da champions).

Resumindo, nem vale a pena comparar o historial europeu das duas equipas tal é discrepância entre os dois clubes.

Anónimo disse...

Cirilo, não quero que lhe falte nada.

Os números de 90 anos dão um empate total, em jogos de I divisão e taças internas. 51 vitórias para cada lado e 28 empates. 174 golos do Braga contra 168 do Vitória.

Anónimo disse...

O Vitória tem mais 11 participações, no entanto é o Braga que está há mais anos consecutivos a jogar a I divisão (fora os clubes do sistema). E não houve necessidade de pagar 1 milhão de euros ao Rio Ave para subir de divisão.

Até fica mal a clubes como Braga e Vitória puxar esse tipo de "galões". Eu participei mais vezes que tu, parece aquela conversa de derrotado "o que importa é participar". Podia responder que o Braga já ficou em 2º e o Vitória não, mas aí respondia-me que o 2º é o 1º dos últimos. Podiamos cair no ridículo e gladiar-nos com os 4 títulos (nacionais e europeu) do Braga e os 2 (nacionais) do Vitória. Até podemos ir buscar os episódios estrondosos para o futebol europeu que foram os jogos de Sevilha, Udine e Dublin. Mas estamos para falar no derby e aí o equilíbrio é nota dominante, por muito que tente escamotear. Aliás, não poderia existir rivalidade se assim não fosse...

Anónimo disse...

Caro Cirilo. Há dois anos nos 4-0 em que os Custódio festejou o seu golo como se não houvesse amanhã, a claque do Vitória veio a Braga em 12 táxis, devido à polémica dos bilhetes. No estádio, no aquecimento, no intervalo e no final, houve música dos "Táxi" e muita música espanhola. Já são 10 anos seguidos de António Salvador e uma supremacia nunca vista, nem no tempo do P.Machado. Nos próximos 10 anos se o Salvador continuar, será todos os anos mais do mesmo, o SCBraga sempre superior ao Vitória e no final sempre à frente. Esses 11 anos que fala, o Braga esteve na 2ª divisão porque não tínhamos sócios ricos no Brasil que pagavam grandes jogadores brasileiros para jogar no nosso clube. Quer trocar uma final da Liga Europa e 18 jogos na Fase de Grupos da Liga dos Campeões por essas 11 presenças a mais na 1ª divisão? Cumprimentos!

Anónimo disse...

Dizer que o Condado Portucalense nasceu em Guimarães é uma interpretação, embora a batalha decisiva tenha sido lá. Quando se diz ‘Aqui nasceu Portugal’, fala-se do Minho.” Para este historiador, berço da monarquia é diferente de berço da nacionalidade. Salazar é também responsável pela confusão. O ditador português desfigurou o Paço dos Duques com a ajuda de um arquitecto francês: queria dar a ideia de que num quarto dormia D. Urraca, no outro D. Afonso Henriques…Guimarães ganha a Braga em quilómetros quadrados (241 contra 183) e freguesias (69 contra 62), mas desde 1998 que perde em número de habitantes (161 mil contra 169 mil), quando Vizela passou a concelho. Ass:Costa Guimarães

luis cirilo disse...

Caro Ricardo:
Em termos europeus o Braga está num nível superior isso é inegável.
Mérito do clube e de quem o dirige.
E não deixa de ser curioso que a chegada de Salvador coincidiu,mais ou menos, com a saída de Pimenta. E foram efeitos opostos.
O Braga cresceu e o Vitória quase...adormeceu.
Caro Anónimo:
Apenas para desmentir duas coisas.
O Vitória não pagou nada ao Rio Ave para subir de divisão. Isso é falso.
O Vitória nunca teve nenhum ricaço no Brasil que comprasse grandes jogadores para os por cá a jogar.
Tinha,isso sim , um vitoriano que estava radicado no Recife e indicou alguns excelentes jogadores. Isso sim. Mas não os pagou.
Quanto á ida das claques a Braga de táxi desconheço. Mas já vi jogos do Braga em Guimarães em que um táxi chegava para todos os adeptos que vieram.
Agora é inegável que nestes últimos dez anos o Braga tem estado num plano superior ao Vitória. Em resultados e classificações nacionais e europeus.
Quanto ao futuro cada uma tira os foguetes que quiser. Embora concorde que por este caminho os próximos dez anos vão ser iguais aos ultimos dez.
Caro Costa Guimarães:
Guimarães é no Minho.
E nesse sentido é evidente que Portugal nasceu no Minho.
Isto sem por em causa o papel da igreja de Braga na Fundação e ,essencialmente, no reconhecimento externo da nacionalidade.

Anónimo disse...

Gosto de visualizar, que os "Magrebinos" sabem muita da História do Vitória, até falam em ricaços no Brasil, nossa fiquei estupefacto. Nos anos 60, 70, 80, 90 ficaram quase sempre atrás do Vitória, que a culpa era dos ricaços, gostei.

Intertoto, título Internacional? No Site da Uefa não aparece nada! Ganhar dois jogos a uma Equipa da Bósnia, deu Título Internacional, fiquem lá com a placa.

Um Clube que mesmo estando bem, não leva mais de 8 mil Adeptos sem haver borlas, é um Clube fraquinho, sem intensidade. Enfim, pena o meu Vitória estar na situação que se encontra há uma década, mas orgulhosamente Vitoriano!

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Eles lá no fundo tem uma grande admiração pelo Vitória. E por isso sabem tudo que nos diz respeito embora, como no caso do emigrante no Brasil, a história não seja assim.
Infelizmente tem razão nalgumas coisas. Nomeadamente na correlação de forças nestes dez anos em que ficaram quase sempre à nossa frente. Claro que a taça intertoto não vale nada mas também é verdade que jogaram uma final europeia e estiveram duas vezes na fase de grupos da champions. E tudo isso porque o Vitória se auto enfraqueceu neste tempo todo. E continua.

luso disse...

essa istória da taça Intertoto é uma anedota
Já agora, algum bracarense saberá dizer onde foi jogada a final?
E se houve algum cerimonial para entrega da tal taça.
Eu até diria, existe a taça?
E quem a atribuiu?

Já agora esclareço que uma das taças nacionais a que os bracarenses se referem é uma tal de taça da federação (que nem a federação reconhece)
Essa "taça" foi um torneio disputado em final de época (para os conhecedores chamou-se anteriormente taça Ribeiro dos Reis que era uma competição para reservas, para dar ocupação aos jogadores antes de irem para férias e dar receitas ao totobola

Francisco Ferreira disse...

Recordar é viver.
Na verdade o que conta são os resultados mas há resultados muito enganadores, alguns até escandalosos.nomeadamente nos últimos anos, basta citar aquele dum jogo disputado numa 6* feira Santa, de há poucas épocas atrás.
O que muita gente desconhece é que o Braga apesar de ganhar os primeiros 10 campeonatos distritais, o último na época 36/37, a partir dai nas dez épocas seguintes viu o Vitória ser campeão 9 vezes.
A partir da época 41/42 o campeão do distrital de Braga tinha direito a disputa o campeonato nacional e só muitas épocas depois, face à alterações dos regulamentos, é que o Braga subiu de divisão. Subida essa muito polêmica com jogadas sujas nos bastidores. É consultar os jornais da época ou perguntar a algum velhinho bracarense que não sofra de Alzheimer.

O que não há dúvida é que nos bastidores o Braga leva muito a melhor. Neste aspecto ganha por goleada principalmente desde que P.M. deixou o Vitória.

Anónimo disse...

Caro Luis Cirilo,

Como bracarense, sócio do SC Braga, que acompanha o seu blog por partilhar da sua cor partidária, venho aqui deixar os meus votos de que o jogo de amanhã seja um grande espectáculo e uma grande promoção ao futebol minhoto. E que o seja dentro e fora das quatro linhas, já que estarão em confronto as mais fortes massas humanas em Portugal, na minha opinião. Apoiar um clube com passado vitorioso e vícios de rico com carteira de pobre, não tem valor nenhum.

Desejo sinceramente que o Vitória consiga ultrapassar as dificuldades que tem tido que enfrentar e que consiga formar um projecto sustentável que lhe permita ombrear de forma constante com o SC Braga. Seria óptimo para todos, até porque obrigaria o meu clube a manter-se alerta e a forçar um pouco mais o andamento. O Sporting está ali ao virar da esquina, com um Minho forte, não tenho dúvidas de que cairia em pouco tempo.

Voltando ao derby, desejo naturalmente a vitória do SC Braga e estarei nas bancadas do Estádio DAH, a convite de um grande amigo vimaranense. Acredito que faremos alinhar Kritciuk, Djavan, Santos, A. Pinto, Baiano, Mauro, Luiz Carlos, R. Micael, Rafa, Zé Luis e Pardo. Espero que na onda do que vem sendo regra nos últimos jogos, desde a troca do duplo pivot de meio campo, a equipa assuma o jogo sustentado na posse de bola e não na expectativa, embora assuma que com jogadores como Rafa, Pardo e até mesmo Djavan possa ser tentador explorar o corredor direito vitoriano. Plange deverá ser o lateral, se à sua frente não puder contar com a ajuda do extremo, pode estar aqui a chave do jogo. Ainda não consegui identificar quais as maiores debilidades deste onze mais actual do SC Braga, mas penso que a sua maior força é uma organização muito forte, sustentada de trás para a frente. No ataque, a criatividade de Rúben Micael, a técnica e visão de Rafa e a explosão de Pardo, têm feito moça, aproveitando um Zé Luis que se tem apresentado intratável. Sem esquecer as galopadas impressionantes de Djavan. O que gostaria de lhe pedir, Cirilo, era uma pequena análise dos pontos fortes e fracos do onze que acha que Rui Vitória irá colocar em campo. Não aquele que gostaria de ver, mas o que acredita que efectivamente será escolhido. Obrigado!

luis cirilo disse...

Caro luso:
São realmente troféus sem expressão nenhuma e que não dão especial prestígio. Mas eles tem-nos e nós não.
caro Francisco Ferreira:
A História demonstra isso de que fala. Mas a actualidade é também como diz. Desde que Pimenta saiu e Salvador entrou a correlação de forças alterou-se muito e o Braga teve dez anos como nunca tinha tido. Mas isso já nem me preocupa. Preocupa bem mais o risco de continuar a ser assim nos próximos.
Caro Anónimo
A rivalidade civilizada, e construtiva, é um património que as duas massas associativas raramente tem sido explorar convenientemente.
O seu texto é um bom exemplo do que deviam ser as relações entre adeptos.
Quanto ao desafio que me faz respondo com todo o gosto sabendo que dificilmente a equipa que vai jogar será aquela que eu gostaria que jogasse.
Mesmo assim aqui vai:
Pontos fortes são a segurança de Douglas, a experiência e combatividade que Moreno dá ao sector defensivo, a qualidade de transporte de bola de André, a garra e a meia distância (se aproveitada) de Cafu e a capacidade de Tomané em criar desequilibrios pelos flancos e propiciar oportunidades de golo a Valente e/ou Álvez.
Pontos fracos:
Obviamente o corredor direito da defesa, a ausência de um segundo central com rotina de jogo, a incapacidade de Bernard ,nos últimos tempos, de exprimir todo o seu talento e "obrigatória" inclusão de um dos emprestados do Porto que nada acrescentam e apenas irritam os adeptos. Creio que a chave do jogo,para o Vitória, estará em bloquear as alas e não deixar o meio campo do Braga construir jogo. E aí será essencial parar Rafa e Ruben Micael.
Mas devo dizer que estou pouco optimista. Oxalá me engane

Anónimo disse...

Bom texto. Boas memórias. Outros tempos, Sr. Luís Cirilo.
Custa-me dizer isto, mas no tempo presente, as diferenças entre Vitória e Braga são abissais. O Braga apresenta um desempenho coerente baseado em elevados índices de competência técnica individual de quase metade da equipa, suportada por uma boa aptidão física coletiva. Por outro lado, o Vitória tentará compensar a desvantagem de estar a cair na tabela com emoção e o reconhecimento social dos seus adeptos.
É como irmos de vela e terço na mão para combater o Estado Islâmico.

Quim Rolhas


Anónimo disse...

Caro Luis Cirilo,

Infelizmente tem razão, a rivalidade civilidade é tudo menos regra entre estas duas massas adeptas.

Agradeço-lhe a disponibilidade para responder ao pequeno desafio que lhe lancei. Admito que não estou devidamente documentado em relação a alguns pontos que referiu, nomeadamente as qualidades que evidenciou a Cafu e a inexistência de um segundo central capaz de formar uma dupla com Moreno que lhe transmita confiança. A questão dos emprestados do FC Porto, vejo que se trata de um assunto sensível no seio vitoriano, com certeza com razão de o ser. Não conheço bem as qualidades de Ivo Rodrigues nem Otávio. Conheço duas versões do Sami, aquela que passou pelo Marítimo e fez a pré-temporada no FC Porto e depois a que se arrastou por Braga e, aparentemente, continua a arrastar por Guimarães. É de facto um mistério, já que, concordará comigo, se trata de um jogador com muito potencial e talento. Na forma que evidenciou na temporada transacta, poderia disfarçar a falta de Hernâni, que, em boa verdade, foi juntamente com André André e, numa fase inicial Bernard, o abono de família do Vitória em muitos jogos. É uma baixa tremenda, ainda para mais com a lesão de Alex, penso que concordará que o Vitória se apresentará um pouco coxo nos flancos e talvez procure centralizar um pouco o seu futebol, apostando num miolo todo o terreno.

Anda no ar o rumor de que Sérgio Conceição estará tentado a desfazer a dupla Mauro - Luiz Carlos neste jogo, se sentir total disponibilidade física da parte de Danilo. Trata-se de um talento impressionante do futebol brasileiro, que na próxima época pisará, com toda a certeza, palcos míticos do futebol europeu, pelo que a troca não me desagradaria. Sacrificaria Luiz Carlos, em seu favor.

Anónimo disse...

Excertos de dois comentários retirados do Fórum da AVS:

1) "Categoria...
Só faltava ter festejado os golos como o fdp do urso do meu vizinho de cima...
Enfim..."

2) "Ó pá deixem lá o miúdo, se calhar até foi apoiar o Bayern!

Mas infelizmente também tenho vizinhos que gritam golos do fcp, sejam os de ontem sejam os que fossem contra o Valpaços!

Vizinhos esses, que no tempo das bandeiritas nas varandas, tinham aquilo tudo cheio de bandeiras do Vitória (mais aquela verde do município e também a de Portugal), enfim, corações repartidos dá nessa merda!"

Raquel Ferreira Veiga disse...

Se me permite, qual é a equipa que gostaria de ver jogar amanhã?
A boa relação entre os adeptos deve ser, antes de mais nada, incitada pelos dirigentes e representantes do clube e, ao meu ver, não o é neste momento. Principalmente pelo sr. Sérgio Conceição que parece ter um gosto especial em provocar os adeptos vitorianos. Estudo com bracarenses e somos amigos antes de sermos rivais. Nestes dias que antecedem o derby há sempre aquelas provocações, mas de forma saudável. Como as há depois do jogo. Faz parte e faz bem.
Eu sou optimista por natureza mas estou com receio relativamente ao jogo de amanhã. O Braga está a passar um bom período, ao contrário do Vitória que tem demonstrado um futebol pobre e com poucos resultados. No jogo de amanhã estão em disputa mais do que 3 pontos e não há favoritos. O factor casa e o apoio da massa adepta vitoriana pode ser decisiva no jogo de amanhã. Pelo menos assim espero!

luis cirilo disse...

Caro Quim Rolhas:
Gostei dessa imagem de ir de terço e vela na mão contra o estado islâmicao.
De facto as nossas convicções assentam cada vez mais na fé e na mística e menos nos factos. Sexta feira assim será uma vez mais. Mas confesso que esta década tem sido frustrante em relação à velha rivalidade com o Braga.
Caro Anónimo:
Sim, é verdade. O Vitória está sem flanqueadores porque ás saídas de Hernâni e Troré se juntou a lesão de Alex. Já para não falar de Barrientos que não sendo extremo fazia o lugar.
Ao contrário parece-me que o Braga está numa fase excelente com várias opções para cada zona do terreno e jogadores em excelente forma. Vai ser um duro teste para o Vitória. Até porque receio que se repitam "teimosias" de Rui Vitória que já provaram, de forma definitiva, que não tem razão de ser.
Caro Anónimo:
Segredos de alcova. Eu também conheço alguns "vitorianos" (felizmente poucos) que em casa berram eufóricos golos,por acaso também do FCP, e publicamente se afirmavam como os maiores vitorianos deste mundo e arredores.
Esquecem-se é que o isolamento das paredes já não é o que era...
Cara Raquel:
A "minha" equipa para amanha seria:
Douglas-Arrondel-Dénis-Moreno-Luís Rocha- Cafu-André-João Pedro- Tomané- Alvez-Valente.
Estou certo que os jovens talentosos que temos na B não nos deixariam ficar mal.
E no banco, já agora, ficariam:
Assis-Kanu- Bouba-Zitouni-Bernard- Areias-Alexandre Silva.
Quanto à boa relação entre adeptos ela devia,obviamente, ser fomentada por dirigentes dos dois lados. Mas enquanto o Braga tiver o presidente que tem isso não me parece possível porque ele vive obcecado em atacar o Vitória. O Sérgio Conceição esse não conta para nada. É um funcionário que hoje está lá e amanhã noutro sítio qualquer.
Eu também tenho muitos amigos em Braga e adeptos do Braga e dou-me muito bem com eles sem faltarem as saudáveis picardias destes momentos. Desde um primo direito que foi director do Braga anos atrás, e com quem me "pego" há mais de quarenta anos, ao António Duarte com quem debatia no Porto Canal de forma bem viva mas com quem me dou muito bem cá fora. Ao ponto de quando o encontro passarmos imenso tempo a falar de futebol. É assim que deve ser.

Anónimo disse...

O SCBraga é o campeão da Taça Intertoto. Com a passagem aos oitavos-de-final da Taça UEFA de futebol, assegurada quinta-feira ante o Standard de Liège, o Sporting de Braga é o vencedor final da edição 2008 da Taça Intertoto, anunciou o sítio oficial da competição. O vencedor desta competição é a equipa que chega mais longe na Taça UEFA e com a eliminação quinta-feira de Deportivo da Corunha, Aston Villa e Estugarda, os outros clubes que restavam, o Sporting de Braga é, oficialmente, o campeão da Taça Intertoto 2008 e deverá receber em breve o respectivo troféu. O Sporting de Braga junta-se assim a FC Porto, Benfica e Sporting no restrito grupo de clubes portugueses que venceram uma prova europeia. A equipa minhota já era, também, a equipa portuguesa que mais longe conseguiu chegar na Taça UEFA depois de qualificada via Taça Intertoto. A outra equipa nacional a chegar à UEFA por esta via foi a União de Leiria, em 2007, mas quedou-se pela primeira eliminatória.
O Bordéus, em 1995, foi o clube que mais longe chegou, tendo atingido a final da Taça UEFA, mas perdendo-a depois para o Bayern de Munique. CONTRA FACTOS NÃO HÁ ARGUMENTOS! REGRAS SÃO REGRAS!

Anónimo disse...

O SCBraga vai receber o troféu de vencedor da última edição da Taça Intertoto, antes da recepção ao PSG, por ter sido a equipa proveniente da referida prova a chegar mais longe na Taça UEFA. O Sporting de Braga é o detentor, por direito próprio, da última edição da Taça Intertoto, após ter sido a equipa proveniente da referida prova a chegar mais longe na Taça UEFA do que qualquer outra das dez vencedoras.

luis cirilo disse...

Caros Anónimos:
E assim tem o Braga garantido o seu lugar na História do futebol.
Ganhou a Intertoto.
Parabéns

Anónimo disse...

Cirilo, de que forma tem o Vitória garantido o seu lugar na História do futebol?

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Como podíamos ter se não ganhamos a taça intertoto?

Anónimo disse...

Mas são o 5º clube com mais presenças na 1ª divisão!

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Isso somos

Anónimo disse...

Caros Magrebinos, sim o Vitória é o 5º Clube com mais presenças na Primeira Liga. Tem 4 pódios, contra 2 do S-C.B. Em dois desses pódios, lutou pelo título, o caso mais flagrante foi na época de 68/69, onde ficou a apenas 3 pontos do Título, sendo que nas últimas 3 jornadas estava mesmo perto de saltar para o Primeiro Lugar não tivesse perdido em Bélem. Dizer ainda que nesta época numa deslocação a Magrebe, o Vitória vencia o jogo por 1-0, estava a massacrar numa tarde chuvosa, porém o árbitro interrompe o jogo e dá por terminada a partida. Joga-se noutro dia o jogo e começou a partir do primeiro minuto com o resultado a zero. Até já nesta fase eramos altamente sonegados. Com esse triunfo o Vitória ficaria em 2º lugar, ultrapassando o Porto. foi ainda a melhor defesa da prova com apena s17 golos sofridos.
Nesse mesmo ano, o Vitória é convidado a jogar a Pequena Taça do Mundo em Venezuela, um Troféu Altamente Prestigiante, e onde o Vitória vence a Lázio por 3-0 e perde com o Valência na final.
Em 87, mais uma grande época 3º posto, Quartos de Final da Taça Uefa, numa época onde os 2 e 3º classificados da Liga Espanhola, francesa, Italiana, etc estavam presentes. Nesta fase sim a Taça Uefa era altamente competitiva e séria no formato.
O Braga pode ter estado melhor nestes 10 anos, mas não menosprezem o Historial do Vitória, que já conquistou Noites de Glória na Taça Uefa e até o podia fazer na Champions não fossem erros flagrantes da Arbitragem, mas também da Direcção diga-se o podia almejar.

Conclusão: Vitória tem 1 Taça e 1 Supertaça. o S-C.B tem 1 Taça de Portugal e 1 Taça da Liga e 1 Taça F.P.F versão Intercalar que o Vitória ganhou. Vitória tem a nível Internacional uns Quartos de Final e o Braga uma Final. Na Champions o Braga tem uma boa participação, outra péssima. No cômputo Internacional ganha vantagem. Na Liga, o Vitória tem mais presenças, tem mais pódios, tem mais carisma, tem mais bairrismo. Que a rivalidade sadia continue. Ass: Zé Vitoriano

luis cirilo disse...

Caro Zé Vitoriano:
Obrigado pelos preciosos esclarecimentos. É sempre bom fazer sentir aos nossos rivais de Braga que o mundo não começou há dez anos. Curiosa essa história do torneio na Venezuela. Nunca tinha ouvido falar dela mas é mais um dado interessante sobre a nossa História.

Anónimo disse...

Não é preciso mudar de milénio para encontrar dois (na verdade, até três) casos em que o SC Braga lutou pelo título até à reta da meta. É que nem sequer é preciso recuar mais do que uma década. E muito menos, pasme-se, é necessário regressar ao tempo em que um triunfo valia 2 pontos, o que, na altura, deixava as equipas pontualmente mais próximas umas das outras. Mas vamos lá:

Em 2004/05, o SC Braga saltou para a liderança do campeonato à 19ª jornada, altura em que venceu categoricamente no Estádio do Dragão por 1-3. Dez jornadas mais tarde, à 29ª, somava 54 pontos, os mesmos que o Sporting (2º classificado) e menos 1 que o líder, Benfica. Seguiu-se um conjunto de péssimas arbitragens que empurrariam o SC Braga para o 4º lugar no final do campeonato.

2009/10 foi o ano em que a vergonha se apoderou do futebol português, o ano do Benfica "rolo compressor", que na realidade percorreu o país montado num andor da APAF. Nesse ano o SC Braga terminaria o campeonato no 2º lugar, com 71 (!) pontos, a 5 do Benfica... com a vitória a valer 3!

Entretanto o SC Braga fez a sua estreia na Liga dos Campeões, foi à sua primeira final europeia e chegaria à 25ª jornada da Liga de 2011/12 como líder do campeonato, em pleno Estádio da Luz! Mais uma vez, a arbitragem. Com 0-0 no marcador, Lima, então Gverreiro do Minho, é derrubado na área quando seguia isolado. Penalty e expulsão que ficaram por averbar. Com 1-1 no final do tempo regulamentar, o Benfica acabaria por vencer com um golo nos descontos.

Tudo isto com Badajoz à vista, tal como em Elvas, mas apenas pelo retrovisor.