sexta-feira, julho 04, 2014

Monolitismo - Parte 2


Repare-se neste naco de prosa extraído da ultima edição da revista Bigger:

Cerca de 500 pessoas quiseram participar na homenagem, no dia 24 de Junho, pelos 28 anos de conduta exemplar do autarca António Magalhães. À chegada ao local que serviu de cenário à cerimónia e onde se realizou o jantar, era visivel o sentimento de gratidão para com o ex presidente que colocou Guimarães no mapa.

Ou neste comentário colocado por Handel de Oliveira (durante muitos anos o big boss do Grupo Santiago) na página de facebook do dr. Domingos Bragança a propósito da homenagem da câmara municipal ao Xico Andebol.

Agiu muito bem e nem outra atitude seria de esperar, excepto aqueles que andam sempre à procura de um "rodriguinho" qualquer para tentar confundir a árvore com a floresta. Parabéns pela forma abrangente e empenhada como tem procurado motivar atletas e dirigentes para um desempenho de excelência que muitos vão conseguindo e outros neles querem cavalgar para atirar pedras aos adversários políticos. A política tem os seus fóruns próprios.

Ou o jornal "Correio do Minho" de hoje que na página 3 (com chamada na capa) "noticia" uma reunião do presidente da câmara de Guimarães com a associação de pais da freguesia de Souto S. Salvador. O problema é que a "noticia" é a reprodução exacta da nota de imprensa da Câmara com fotografia e tudo. Sem tirar nem pôr.

Deixando de lado o ridiculo avassalador dos elogios, mais próprios do jornalismo do antigamente do que do actual, chega a causar assombro que se leve a subserviência ao ponto de considerar que António Magalhães pôs Guimarães no mapa!!!
Guimarães está no mapa há mil anos.
São apenas três exemplos.
Muito diferentes entre eles.
Mas que justificam bem a preocupação com o monolitismo informativo que se vive em Guimarães e que diminui o direito dos cidadãos a uma informação livre e isenta.

P.S: O problema é que ao contrário da gravura já não estamos em 1826.

11 comentários:

Anónimo disse...

É um exagero de todo o tamanho, Sr. Luís Cirilo.
No rigor geográfico dessa ordem de ideias, fez mais o Google por Guimarães nos últimos 10 anos do que o Dr. António Magalhães em 25!
Até percebo a enorme gratidão que a Imprensa Local destacada, ou como diz, monolítica e sobrevivente, tem para com o Dr. António Magalhães. Percebo para lá do admissível talhado à medida dos nossos impostos e numa escala reduzida da realidade em que estamos inseridos.
Enquanto presidente da CMG, o Dr. António Magalhães foi bom pagador dos serviços recebidos quanto aos conteúdos informativos divulgados aos quatro ventos e que, muitas vezes, se imiscuíam com promoção política. Disso, ninguém fala.
Contudo, pô-lo nos píncaros do pedestal a fazer lembrar o beija-mão das Cortes de D. João VI, é o cúmulo da subserviência e, no contexto republicano actual, raia um descaramento digno de nos fazer recordar a hierarquia da máfia siciliana.
Depois não querem ser criticados com estes actos públicos de bajulação! Se o fizessem em privado, aí a história seria outra e não dava tanto nas vistas porque o Dr. António Magalhães fez um bom trabalho e merece as homenagens que forem precisas.
Mas há que ter contenção na linguagem utilizada para que os mais desatentos não sejam comidos por lorpas. Só faltava dizer: Deus no Céu e Magalhães na Terra.
É uma atrás da outra, Sr. Luís Cirilo.
Ainda bem que o Sr. não deixa passar estas barbaridades dignas de revista cor-de-rosa, graças à sua capacidade de nos prestar uma grande serviço como provedor voluntário do leitor-cidadão.
Da minha parte, só tenho a agradecer com um muito obrigado.

Quim Rolhas

Anónimo disse...

fantasmas e mais fantasmas

Anónimo disse...

Tenho tudo em Guimarães.
Nada me falta nesta cidade.
Logo, me sinto muito bem.

Talvez um dia, os "outros" possam conseguir uma praia...com ponte!

e a caravana continua a passar.

Sakana disse...

E AQUI VAI DISTO, SAKANAGEM....ihihihihi....

http://sakanagem69.blogspot.com/

José Lima Souza disse...

Não ligo puto a politica.
E até nunca simpatizei muito com o partido da maozinha.
Agora,não me custa nada reconhecer que o homem teve algum valor.

Guimarães é agora elogiada em todos os cantos do mundo.
E pensando bem, o partido da seta será que faria melhor?
Olhe que não, olhe que não.

luis cirilo disse...

Caro Quim Rolhas:
Os méritos do dr. António Magalhães já foram reconhecidos pelo presidente da república com a condecoração que lhe atribuiu e pelo municipio com a outorga d amedalha de ouro municipal. Mas não são os méritos dele que estão em causa nem tema do post. É o monolitismo informativo que acaba por se transformar numa caixa de ressonância do poder politico e desportivo. O problema é esse.
Caro Anónimo:
Realidades e mais realidades..
Caro Anónimo:
Nada o opor.
Cada um come do que gosta. E do que lhe põe no prato se a exigência não for muita.
Caro José Lima Souza:
Mas onde é que se estão a discutir os méritos de quem quer que seja? O post não é sobre pessoas é sobre comportamentos. Quando ao PSD fazer ou não melhor é uma questão de os vimaranenses lhe darem uma oportunidade e logo se vê.

Anónimo disse...

Guimaraães
-Património Cultural da Humanidade
-Capital Europeia da Cultura
-Cidade Europeia do Desporto
-Capital Histórica de Portugal
-Uma das sete maravilhas de Portugal
-Berço da Nacionalidade

D.Afonso Henriques 1º Rei de Portugal

Anónimo disse...

Guimarães não é Património Mundial da Humanidade, caro anónimo das 1:07. Somento o Centro Histórico.
Ao contrário do que se possa pensar, o Paço do Duques, tal como está, e o Castelo de Guimarães não fazem parte do Centro Histórico que foi apresentado na UNESCO, nem foi por esses monumentos que aquela entidade atribuiu o galardão a Guimarães.
Só isso.

Quim Rolhas

Anónimo disse...

Caro Quim Rolhas:

Para a esmagadora maioria dos visitantes de Guimarães, e um pouco em todo o mundo, e até para muitos vimaranenses, é a cidade que recebeu o galardão.
Raros os que se lembram apenas que foi o CH.
Saudações.

Anónimo disse...

Saudações aceites.
Tem uma boa dose de razão, caro anónimo das 3:13. Essa fase, no meu caso, durou até à altura dos cinco anos quando descobri que o pai Natal usava a mesma água de colónia lá de casa.
Para lhe dar dois exemplos, continua haver muita gente que vai aos concertos do Mikael Carreira ou do irmão a pensar que vai ver o Tony. Assim como há quem escolhe portuguesas bem torneadas no JN e aparece-lhe no quarto uma senhora de Minas Gerais em bikini a falar caipira. Compreendo que talvez seja muito difícil recusar tamanha oferta quando se conjuga necessidade e química. Penso ainda à moda antiga: o original nunca substitui a imitação! Ou é Rolex, ou é fodex.
Se reparar bem, uma das regras para ser-se diferente, selectivo e bem sucedido é não acreditar em tudo o que lemos, vemos ou ouvimos.

Quim Rolhas

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
E que tem isso a ver com o tema do post?
Caro Quim Rolhas:
Exactamente.