quinta-feira, julho 10, 2014

Justo Finalista

Foi um jogo que vi com absoluta tranquilidade.
Tal como o Alemanha -Brasil.
Era-me indiferente quais os finalistas dentro do leque de quatro selecções que atingiram as meias finais.
Ao contrário do histórico, por muitas razões, jogo do dia anterior este encontro entre argentinos e holandeses não ficara na história dos grandes desafios dos mundiais de futebol.
Muito táctico, cheio de cautelas, com as grande figuras a não brilharem (a marcação a Messi fez-me lembrar o Gentile da Itália de 1982 atrás de Maradona e de Zico) e percebendo-se que seria jogo de muito poucos golos.
Afinal foi mesmo de nenhum.
Creio que nos penaltis se fez justiça às duas horas de futebol jogado e ganhou a equipa que ,apesar de tudo, mais fez por isso.
Fiquei satisfeito por ter vencido quem mais mereceu, sem perda da neutralidade perante duas selecções que gosto de ver jogar desde os anos 70, e quanto tal acontece é também o futebol que está de parabéns.
E aí está a final Alemanha-Argentina.
A terceira entre as duas selecções, depois de 1986 e 1990, curiosamente com uma vitória para cada lado embora o triunfo alemão de 1990 tenha tido a marca...FIFA!
Favorito?
Acho que a Alemanha está numa posição de algum favoritismo por aquilo que se tem visto mas uma final é uma final e a Argentina também tem excelentes valores individuais que podem desequilibrar a qualquer momento.
E depois há Messi.
Que terá no Maracanã aquele que poderá ser o jogo da sua vida.
Porque para o capitão da Argentina levantar a taça "Jules Rimet" em pleno Maracanã é um feito que o colocará definitivamente na galeria dos imortais bem perto de Maradona.
E essa motivação extra, e extraordinária, pode bem ser a chave da decisão!
Depois Falamos

P.S. Aos brasileiros nada corre bem. Depois da cabazada com a Alemanha ainda correm o risco, terrível para eles, de verem a Argentina ganhar o "seu" Mundial. Para o Brasil o "maracanazo" de 1950 é cada vez mais uma brincadeira ao lado deste Mundial.

P.S.2 Outro a quem as coisas não estão a correr bem é Cristiano Ronaldo. Depois do fraquissimo mundial de Portugal ainda corre o risco de no ano em que foi campeão europeu de clubes ver Messi ser campeão mundial de selecções.
E se assim for a "Bola de Ouro" ...não sei não.

3 comentários:

Francisco Guimarães disse...

Embora o futebol desta Argentina seja mais "contido" que o da Holanda, sem deslumbrar e com poucos golos marcados, não lhe fica nada mal ir à final.
Quanto a Messi: salvou a equipa de um empate embaraçoso contra o Irão de Queiroz e fez passe para Di Maria na salvação de uma ida a penalties contra os Helveticos!

Em relação a marcos históricos:
- foi a primeira vez que uma meia final de um mundial terminou sem golos;
- já não vamos ter um "novo" campeão mundial (seria a Holanda);
- ainda podemos ter a quebra da regra continental com uma equipa europeia a vencer em solo americano!

Correcção para o ilustre blogger: a taça entregue ao vencedor do Mundial já não é a "Jules Rimet", essa taça ficou com o Brasil quando ganhou o tri e até teve a particularidade de ter sido roubada pouco depois! Com uma configuração bem diferente, esta nova taça chama-se apenas "Taça FIFA" (ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Trof%C3%A9u_da_Copa_do_Mundo_FIFA)

Anónimo disse...

Até agora, ao contrário da Alemanha, a única equipa que ganhou todos os jogos, foi a Argentina, Sr. Luís Cirilo.
À excepção do jogo de ontem, onde foi preciso recorrer a grandes penalidades, ganhou todos os jogos pela margem mínima até contra o humilde Irão, mais em jeito de golpe de misericordia, prescindindo da goleada.
Há uma situação estranha que verifico em Messi desde os oitavos de final. Dá a impressão que ele joga sabendo qual vai ser o resultado final de cada jogo como se fosse um predestinado. Como se já tivesse vivido aquela situação mais do que um vez.
E claro, para esta final, o Messi vai ter de aparecer para vingar os 4-0 do último Mundial.
Mais uma nota: o pesadelo brasileiro ainda está longe de acabar. Se o inimigo de estimação, a Argentina, ganhar à Alemanha, que me parece pouco provável, mas não impossível caso Messi decida pôr em campo aquilo tudo que sabe fazer, então vai ser pior do que os 7-1 da Alemanha.
Nós e os espanhóis, ficamos na história deste Mundial como as principais decepções, mas o Brasil pode acumular o pleno da humilhação se a Argentina vencer a Alemanha, tornando o jogo de sábado contra a Holanda numa situação que nunca vivi antes e que é esta: como é possível uma selecção, mais morta que viva, dar a cara para disputar o terceiro lugar do Campeonato do Mundo quando quatro dias antes foi goleada por 7-1 e quando na imprensa brasileira já foram quase todos crucificados? Há coisas imperdíveis que vale a pena ver pelo menos uma vez na vida. Esta é uma delas.

Quim Rolhas

luis cirilo disse...

Caro Francisco Guimarães:
Inteiramente de acordo. E obrigado pela acertada correcção quanto ao nome da TAÇA. Que de facto se chama FIFA.
Caro QUim Rolhas:
De facto o jogo de sábado pode ser penoso para o Brasil. Porque os adeptos não vão perder a derradeira oportunidade de mostrarem a insatisfação. E domingo o pesadelo brasileiro pode atingir o expoente se Messi ergurar a taça.
Belo fim de semana para observar do sofá