segunda-feira, janeiro 11, 2016

Génio

Como sabem há dois "peditórios" para que não dou.
Discutir se o "melhor" é Ronaldo ou Messi e escolher por conta própria quem é o melhor jogador de todos os tempos porque me parece que essa é uma escolha impossível de ser feita face á evolução que o futebol teve ao longo dos anos.
Tenho isso sim a certeza que Pélé, Eusébio,Maradona,  Di Stéfano, Cruyff, Beckenbauer, Bobby Charlton, Best, Puskas, Yashin, Van Basten, Stanley Matthews  entre outros seriam sempre e em qualquer época futebolistas absolutamente fora de série.
Uma coisa é certa e é o tema desta publicação.
Lionel Messi ganhou hoje, com absoluto mérito, a sua quinta(!!!) bola de ouro que o consagra como o melhor futebolista mundial de 2015  e estabelece uma fasquia que dificilmente será algum dia ultrapassada por outro jogador.
Porque ganhar cinco bolas de ouro é uma marca verdadeiramente extraordinária.
E aos 28 anos é natural que o génio argentino ainda venha a elevar a fasquia porque dificilmente esta será a sua ultima bola de ouro ainda para mais actuando num Barcelona cuja sede de títulos não para de aumentar.
Este troféu foi justíssimo.
Individualmente marcou 52 golos em 61 jogos e colectivamente venceu a Liga dos Campeões, Liga de Espanha, Taça do Rei, Mundial de clubes e supertaça europeia.
E terá sido precisamente essa panóplia de títulos que terá feito a diferença em relação a Ronaldo que em termos individuais também fez uma época verdadeiramente excepcional mas viu o Real Madrid ficar a "seco" em termos de conquistas colectivas.
Mas isso em nada ensombra o brilho e o mérito de Messi.
Seguramente um dos melhores futebolistas mundiais de sempre.
Depois Falamos

P.S. Em bom rigor Messi e Ronaldo deviam ter quatro bolas de ouro cada.
Porque em 2012 venceu Messi mas quem merecia amplamente era Ronaldo.
Quase sempre é eleito quem merece mas nesse ano deu-se a excepção que confirma a regra.

7 comentários:

cards disse...

Caro Luis Cirilo,
Em minha opinião Messi mereceu vencer.
Quanto à bola de ouro de 2012 Messi também a mereceu pois nesse ano marcou 97 golos !!!

Paulo Sousa disse...

Sr. Cirilo, por essa ordem de ideias(que concordo)Messi apenas teria 3 e nao 4 como afirma.
A sua segunda Bola de Ouro deveria ter tido como destino Wesley Sneijder apos ter feito uma epoca memoravel no meio campo do Inter de Milao, campeao italiano e vencedor da Champions ao comando de Mourinho.

luis cirilo disse...

Caro cards:
Este ano mereceu sem duvida.
Em 2012 não fui dessa opinião.
Caro Paulo Sousa:
Sim Sneidjer nesse ano fez uma temporada fabulosa.
Mas Messi também.

Anónimo disse...

Hà um jogador, que é um crime acabar a carreira sem uma bola de ouro,falo de André Iniesta, um jogador fabuloso, que ganhou tudo que havia para ganhar, no club e na selecção.Mas as máquinas de propaganda escolhem os seus alvos e depois é uma questão de markting.Com isto não estou a desvalorizar nem o Ronaldo nem o Messi,mas acho que entrega sucessiva de trofeus aos mesmos jogadores é negativa para a modalidade.
Cumprimentos
J.M.

luis cirilo disse...

Caro J.M.
Não posso estar mais de acordo.
Iniesta bem merecia uma "bola de ouro" por tudo que tem dado ao futebol.
Talvez a de 2010 devesse ter sido dele.
Tem o azar de ser contemporâneo de Ronaldo e Messi e de estes marcarem muitos golos. E os golos pesam imenso nesta matéria.

Anónimo disse...

Messi e Ronaldo são dois grandes jogadores, dizer qual o melhor dos dois não é tarefa fácil. Este ano Ronaldo, individualmente, foi melhor do que Messi e isso, na minha opinião, é que deveria bastar para a atribuição do prémio. Enquanto continuarem a olhar para feitos coletivos, para se atribuir um prémio de deveria ser individual, esta atribuição será sempre uma farsa. Os jogadores não deixam de ser os melhores se representarem outros clubes e no final não apresentem titulos coletivos.

luis cirilo disse...

Caro Anónimo:
Se olharmos exclusivamente para as prestações individuais ao longo de 2015 talvez Ronaldo merecesse ganhar sim.
A verdade é que os titulos colectivos também dependem das prestações individuais e sem Messi seguramente que o Barcelona não teria ganho tanto como ganhou.
Penso que não é fácil chegar a um critério totalmente justo.