segunda-feira, fevereiro 20, 2017

O Nosso 14

O Restelo foi o primeiro jogo pós Janeiro em que Pedro Martins pôde contar praticamente com todo o plantel, incluindo reforços , sem as restrições causadas pelos empréstimos nem ausências por esta ou aquela razão.
É verdade que não pôde contar com Rafael Miranda (mas isso infelizmente tem sido mais regra que excepção) nem com Bernard (cuja influência tem sido muito abaixo do expectável) mas todos os outros estavam disponíveis para um primeiro teste ao "plantel mais equilibrado e com mais soluções" que é a " bandeira" erguida para justificar as saídas de Soares e João Pedro.
Correu mal.
O Vitória foi a melhor equipa, a que mais oportunidades criou mas as "falhas na concretização" identificadas pelo treinador, e para as quais me dispenso de apontar uma razão óbvia tão evidente ela é, impediram o regresso a Guimarães com os três pontos que tanto jeito dariam.
Individualmente:
Douglas: Sem culpa no golo ainda fez duas intervenções de bom nível. Jogo tranquilo.
Bruno Gaspar: Não foi tão ofensivo como habitualmente face à presença regular de Miguel Rosa (como é que este talento ainda joga no Belenenses?) nos seus terrenos mas esteve em bom plano.
Josué: Boa exibição sem problemas a defender e tentando ajudar o ataque. Quase marcou.
Pedro Henrique: O Belenenses não lhe pôs grandes problemas e ele também não os criou. Divide com Konan responsabilidades no golo porque Miguel Rosa isolou-se em zona que lhes competia defender.
Konan: Melhor a atacar do que a defender ,o que vem sendo habitual nele, embora neste ultimo aspecto apenas se lhe possam apontar algumas responsabilidades no golo.
Zungu: Já sabemos que tem bom toque de bola. Mas joga sempre à mesma velocidade,lenta, sem uma aceleração de ritmo, sem um passe longo, sem criar um desiquilibrio que seja.
Celis: Parecido com Zungu o que origina um centro de terreno vitoriano amorfo, sem mudanças de ritmo, sem variações de flanco nem pressão alta. É neste meio campo modificado para pior, por força das lesões de Rafael Miranda e da saída de João Pedro que reside boa parte da quebra de rendimento da equipa.
Hurtado: Não há dois sem três. E o peruano, embora jogador de raio de acção mais vasto que Zungu e Celis, passa boa parte do jogo dando a sensação de que anda à procura da sua verdadeira posição. E é pena porque podia ser uma unidade bem mais importante na equipa.
Marega: Não foi feliz embora tivesse tentado lutar contra a má sorte. Um remate ao poste, algumas iniciativas a tentar levar a equipa para a frente, mas uma exibição aquém do que desejaria. Foi o primeiro a sair ,provavelmente devido ao problema de "fadiga crónica", quando pelo andamento do jogo isso nem se justificaria.
Rafael Martins: É seguramente melhor do que aquilo que tem mostrado e que anteriores passagens pelo nosso futebol atestam. O maior problema dele será o necessitar de algum tempo para ganhar ritmo (quase não jogou no Levante)  e se adaptar quando se sabe que a meio da época tempo é um bem muito escasso. Apenas um remate relativamente perigoso.
Hernâni: Está em forma! Os dribles saem-lhe bem, as arrancadas desbaratam as defesas e em termos de remate nota-se que está confiante. Um grande golo, um remate que lhe saiu por alto quando estava bem posicionado para fazer melhor e algumas jogadas que foram o melhor que se viu no jogo de ontem. A sua substituição só pode dever-se a cansaço. 
Foram suplentes utilizados:
Raphinha: Percebeu-se a sua chamada ao jogo e ele procurou corresponder. Teve o seu melhor momento na execução de um livre às malhas laterais.
Sturgeon: Teve a melhor oportunidade da segunda parte mas o remate saiu-lhe por alto.
Texeira: Esperava-se a sua chamada mais cedo para formar dupla com Rafael Martins, e não para o substituir, porque o Belenenses dava claros sinais de estar contente com o resultado e pouco interessado em arriscar na busca do segundo golo. Entrou a quatro minutos do fim. Muito tarde.
Não foram utilizados:
João Miguel Silva, João Aurélio, Prince e Tozé.

Melhor em campo: Hernâni

O Vitória foi a melhor equipa, a que mais oportunidades criou mas a verdade é que não ganhou o jogo. 
Do meu ponto de vista, naturalmente discutível, também porque Pedro Martins não arriscou o suficiente para isso quando na segunda parte o adversário conseguiu "adormecer" o jogo sem reacção visível do Vitória.
Substituir dois extremos e um ponta de lança por outros dois extremos e outro ponta de lança foi manter tudo como estava, sem inovar, sem mudar a estratégia, sem em suma ...arriscar.
Ter-se-ia, talvez, justificado trocar um dos trincos por Tozé para dar mais dinâmica à intermediária e Hurtado por Texeira para aumentar a pressão no centro da defesa belenense que me pareceu francamente vulnerável.
Não foram essas as opções de Pedro Martins e o treinador é ele.
A verdade é que empatamos.
Há que dar a volta a este ciclo que já vai em quatro maus resultados.
Depois Falamos.

8 comentários:

Saganowski disse...

4 maus resultados e 10 pontos perdidos! Só de imaginar onde poderíamos agora estar se tivessemos ganho pelo menos contra Marítimo, Paços e Belenenses, até me dá raiva!

Mas o que nos consola é saber que temos "uma equipa mais equilibrada e com melhores opções"...

Anónimo disse...

Há que dar a volta como bem diz mas agora estamos a 6 pontos do Sporting e temos o Marítimo à perna. Estou como o Saganowsky: dá raiva. Daqui a 2 semanas podíamos ir a Alvalade discutir o terceiro lugar. É na Champions que estão os milhões que dariam para equilibrar a equipa nas aberturas de mercado.

Miguel Silva

Mr.Karvalhovsky disse...

O Pedro Martins às vezes demora demais a fazer mudanças na equipa. E neste jogo arriscou pouco... Demonstrando dessa forma alguma insegurança no que respeita ao potencial da equipa, contrariamente aquilo que disse no fecho da janela de transferências.
Desilusão!

luis cirilo disse...

Caro Saganowski:
Espero estar muito enganado mas receio que o pior ainda esteja para vir.
Caro Miguel Silva:
É pena que na SAD não pensem dessa forma e ajam em conformidade. Este ano valia bem a pena ter arriscado para tentar o terceiro lugar.
Caro Mr Karvalhovsky:
Arriscou zero e ainda por cima mexeu mal.
É o que digo. No Vitória tem havido palavras a mais e pontos a menos

Anónimo disse...

Ate parece que não perdemos pontos contra Tondela, chaves, belenenses, feirense, braga em casa.. e isto com Soares e joao pedro. Um campeonato é isto, e há fases boas e menos boas. Acontece! Só que às vezes dá jeito olharmos so para o passado recente, eu sei.

Pedro Bastos

luis cirilo disse...

Caro Pedro Bastos:
Se não perdessemos pontos com ninguém era campeões e ficaríamos todos felizes.
Infelizmente a nossa realidade não é essa.
E um coisa é um resultado mau no meio de vários resultados bons e outra uma sequência de maus resultados como aquela em que estamos desde a ida a Braga.
Eu sei que não dá jeito, pelo menos a alguns, mas a verdade é que a quebra da equipa se regista após a saída de Soares e João Pedro.

De Guimarães disse...

De há muito que desejava o Sturgeon no Vitória,e veio quando já não contava com ele.
É um belissimo jogador que pode jogar em qualquer lugar do meio-campo para a frente.
A modorrice que vem reinando no nosso meio-campo pode ter os dias contados se o colocarem já de imediato a jogar !

luis cirilo disse...

Caro de Guimarães:
não tenho opinião definitiva sobre ele.
Mas oxalá seja como diz